Saiba quem é Carlos Portinho, o novo senador do Rio de Janeiro

Primeiro congressista a morrer em decorrência da covid-19, o senador Arolde de Oliveira (PSD-RJ), 83 anos, será sucedido no Senado por um advogado de 47 anos, com larga experiência na Justiça desportiva. Carlos Francisco Portinho, o primeiro suplente do senador, tem pela frente mais de seis anos de mandato. Ainda não foi informada a data em que ele tomará posse.

Filiado também ao PSD, o futuro senador ocupou dois cargos públicos em seu estado: foi secretário municipal de Habitação da capital fluminense, na gestão de Eduardo Paes, e secretário estadual de Meio Ambiente, no governo Luiz Fernando Pezão. Em 2016 concorreu a cargo de vereador no Rio, recebeu sete mil votos, mas não conseguiu se eleger.

Advogado formado pela PUC-RJ, Portinho se especializou em direito esportivo, tributário e público e deu aulas em faculdades particulares. O futuro senador foi vice-presidente jurídico do Flamengo, mas também atuou na defesa de outros clubes e de atletas, como Dodô e Jobson, do Botafogo, em processos a que respondiam na esfera esportiva por dopping.

Portinho tem experiência no Congresso. Ele foi assessor parlamentar do ex-deputado Indio da Costa (PSD-RJ), colaborando na assessoria do relatório dele para a Lei da Ficha Limpa. O futuro senador declarou patrimônio de R$ 2,5 milhões à Justiça eleitoral em 2018.

Arolde morreu nessa quarta-feira (21) em decorrência de complicações respiratórias da covid-19. Ex-capitão do Exército, o senador estava internado desde 4 de outubro. Era amigo e um dos principais aliados de Bolsonaro no Senado. Eleito na mesma chapa de Flávio Bolsonaro (hoje no Republicanos-RJ), Arolde foi deputado federal por nove mandatos.

Senador Arolde de Oliveira morre de covid-19

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!