PTB vai ao STF contra reeleição de Maia e Davi Alcolumbre

O PTB entrou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) no Supremo Tribunal Federal (STF) para evitar que Davi Alcolumbre (DEM-AP) e Rodrigo Maia (DEM-RJ) possam ser reeleitos como presidentes do Senado e da Câmara.

A  ação movida pelo partido presidido por Roberto Jefferson argumenta que a Constituição e o regimento interno não possibilitam a recondução ao cargo em uma única legislatura.

Leia aqui na íntegra:

“Ao vedar a recondução para o mesmo cargo na eleição imediatamente subsequente, o objetivo do legislador constituinte é claro: evitar a reeleição e a perpetuação de um indivíduo no poder, em homenagem ao princípio republicano”, aponta o documento.

O partido diz ainda que "o que se requer é que interpretações que violam o texto constitucional sejam vedadas, em especial as que dizem respeito à dispositivo constitucional que não pode ter o seu alcance alterado pelos Regimentos Internos das Casas ou por quaisquer atos emanados pelos Poderes Públicos, sob pena de inconstitucionalidade.” O PTB diz ainda que não solicita ao STF que "decida como devem Senado e Câmara interpretar seus respectivos Regimentos Internos".

Cristiane Brasil, filha de Roberto Jefferson, comentou sobre a ADI no Twitter.

Nesta terça-feira (4), um conjunto de dez partidos assinou um requerimento para que o deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) deixe a liderança da maioria da Câmara. O grupo defende a escolha de Celso Sabino (PSDB-PA) para o cargo. A manobra faz parte da estratégia do deputado Arthur Lira (PP-AL) de tentar enfraquecer Aguinaldo, um dos nomes cotados por Rodrigo Maia (DEM-RJ) para sucedê-lo na presidência da Câmara em 2021.

> Disputa pela sucessão de Maia na Câmara é majoritariamente masculina

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!