Maia diz que espera comissão da reforma tributária na quarta

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta terça-feira (11) em entrevista coletiva que a comissão mista que vai unir os textos das reformas tributárias da Câmara e do Senado deve ser instalada na quarta-feira (11).

"Acredito que sim, quem está olhando isso é o Aguinaldo, ainda não conversei com ele sobre isso, mas espero que seja amanhã, uma boa data para gente poder começar logo esse trabalho, agregando ao trabalho da comissão da Câmara e da comissão do Senado".

A expectativa de instalação na quarta-feira é compartilhada pelo presidente do MDB e líder do partido na Câmara, Baleia Rossi (SP).  O emedebista disse que tem participado de reuniões com o senador Roberto Rocha (PSDB-MA), futuro presidente da comissão mista, o deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), futuro relator, e com o presidente do Congresso, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Um dos pontos que atrasa a instalação é a insatisfação de senadores com a falta de posição do governo.

> Reforma tributária: deputados chegam a acordo, mas comissão depende de senadores

Baleia é autor da proposta de emenda à Constituição que tramita na Câmara. “A nossa é mais simples, mais objetiva, mas a do Hauly [ex-deputado autor do texto que deu origem a PEC do Senado] conseguiu avanços importantes em várias áreas que vão ser absorvidas", disse o líder.

O presidente partidário criticou disputas de protagonismo sobre a reforma e negou que ela esteja "patinando".

"Política não pode atrapalhar a reforma tributária, acho que essa união é que vai consagrar o sucesso, fazer com que ela ande. Essa instabilidade acaba gerando um desconforto e uma sensação novamente que a tributária vai patinar e não é verdade. O Aguinaldo está trabalhando no texto, está avançando bastante no texto, acho que a gente vai conseguir através da comissão mista sugestões da PEC do Senado e do governo e fazer um texto que a gente consiga votar primeiro e segundo turno na Câmara e primeira e segundo turno no Senado no primeiro semestre."

> Decisões do STF pressionam governo a fazer reforma tributária para cobrir rombo bilionário

> O que o Congresso deverá votar em 2020

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!