Eduardo diz que vai dar aumento para assessor que mantém página de ódio

No dia em que se anunciou o vínculo do gabinete de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) com a página Bolsofeios, acusada de propagar notícias falsas e discurso de ódio contra opositores da família Bolsonaro, o filho do presidente da República ironizou e falou que vai dar aumento para o funcionário que criou a página.

> Envolvimento de Eduardo com fake news é criminoso, dizem deputados

"Estou pensando o que eu vou fazer, estou pensando o que fazer. Olha, mas... qual infração foi cometida? Mandar esse pessoal catar coquinho. Eu vou dar um aumento para o meu funcionário se isso aí for verdade", disse o deputado em entrevista veiculada no Jornal Nacional, da Rede Globo.

Apesar do tom irônico de Eduardo, a acusação que paira sob seu gabinete pode ter implicações judiciais.  A mais nova líder do PSL, Joice Halssemann (PSL-SP) foi pra cima de Eduardo Bolsonaro e pediu para que a Justiça investigue e puna os envolvidos. "Usar dinheiro público para criar uma máquina de fake news a fim denegrir pessoas e reputações é um ato covarde daqueles que foram eleitos para acabar com isso e hoje repetem atos da esquerda", disse Joice no Instagram. "Que a Justiça investigue e puna esses milicianos digitais", finalizou.

A líder do Psol, Fernanda Melchionna (RS), também acredita que as investigações devem gerar desdobramentos. “A CPMI pode fazer encaminhamento, mandar aos órgãos de Justiça e ao Ministério Público, mas nós podemos também entrar com processo no Conselho de Ética”, declarou ao site.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!