“Bolsonaro, se pudesse, demitiria quase toda a Câmara”, diz Frota

O deputado Alexandre Frota (PSDB-SP) disse que, se pudesse, o presidente Jair Bolsonaro demitiria quase toda a Câmara dos Deputados, inclusive o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Segundo Frota, caso o presidente tivesse esse poder, poderiam restar só uns 50 dos 513 deputados atuais. Apenas os liderados pelo seu terceiro filho, Eduardo Bolsonaro(PSL-SP), continuariam.

> Bolsonaro chama Joice de “fofucha” e Kim Kataguiri de “japonesinho pitoco”

"Bolsonaro se pudesse ele demitiria quase toda Câmara. Incluindo você viu, Rodrigo Maia. Só ficariam dos 513 uns 50 liderados claro pelo embaixador da Disney e pela Bruxa do 71", escreveu Alexandre frota no Twitter na manhã desta sexta-feira (10). Frota ainda fez questão de marcar o presidente Bolsonaro e os seus três filhos mais velhos no post. Veja:

A declaração de Frota foi dada poucas horas depois de Bolsonaro criticar outros de seus ex-aliados para defender a possível sanção do fundo eleitoral de R$ 2 bilhões. Bolsonaro chamou Joice Hasselmann (PSL-SP) de "fofucha" e Kim Kataguiri de "japonesinho pitoco" para afirmar que poderia sofrer um impeachment caso vetasse o fundão, como deseja parte de seu eleitorado.

Depois, ainda sugeriu mais uma vez que o deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), que foi o relator da reforma da Previdência na Câmara, estava mentindo ao dizer que o valor de R$ 2 bilhões do fundão foi proposto pelo próprio governo. Moreira saiu, então, em defesa da sua declaração no Twitter.Veja:

Samuel Moreira ainda acabou recebendo o apoio do agora colega de partido Alexandre Frota. O ex-ator, que migrou do PSL para o PSDB após se desentender com a família Bolsonaro, compartilhou o post de Moeira e disse nas suas redes sociais que o presidente estava confuso e inseguro sobre o fundão porque ocupa uma cadeira enorme para ele e "não sabe ler a bússola", em possível referência à Constituição. Confira o que Frota tuítou:

Joice e Kim Kataguiri também rebateram as críticas recebidas na live dessa quinta-feira de Bolsonaro. A ex-líder do governo no Congresso disse que "é lamentável que um presidente da República tenha esse comportamento e vocabulários dignos de um botequeiro de quinta categoria". "Sinceramente, tenho vergonha de ver quem deveria chefiar nossa nação tecendo comentários chulos praticamente todos os dias, provocando crises internas e externas porque não consegue ter a maturidade de um homem, quiçá de um estadista", afirmou Joice.

Frota também criticou a fala de Bolsonaro sobre Joice, dizendo que, seguindo a lógica do presidente, todas as pessoas gordas poderiam ser chamadas de mentirosas. Veja:

Já Kim Kataguiri disse ao Congresso em Foco que Bolsonaro usa apelidos infantis como esse para justificar a própria covardia utilizando. "Tese do impeachment é conversa de quem fez acordo pelo fundão. Se veto desse impeachment, Bolsonaro teria caído em março", afirmou Kim.

Veja aqui as respostas completas de Joice e Kim

> Bolsonaro defende sanção ao fundo eleitoral de R$ 2 bilhões

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!