Com Bia Kicis na CCJ e Aécio candidato, Câmara define comissões

As comissões permanentes da Câmara dos Deputados serão instaladas nesta quinta-feira (4). Os colegiados, que fazem uma análise prévia dos textos a serem discutidos em plenário, ficaram durante todo o ano de 2020 sem funcionar por conta da pandemia do coronavírus e da falta de acordo político.

Apesar de estar marcada para esta quinta, a instalação das comissões pode ser adiada para semana que vem por conta do foco na votação da proposta de emenda à Constituição (PEC) Emergencial, que deve ser aprovada nesta quarta pelo Senado e analisada pelos deputados em seguida.

Os maiores partidos têm prioridade na definição das presidências dos grupos. A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a mais importante por analisar a constitucionalidade das iniciativas e por ser  parada obrigatória de quase todas as matérias, deve ficar com a deputada Bia Kicis (PSL-DF).

O conteúdo deste texto foi publicado antes no Congresso em Foco Premium, serviço exclusivo de informações sobre política e economia do Congresso em Foco. Para assinar, entre em contato com comercial@congressoemfoco.com.br.

Outro colegiado importante, a Comissão de Relações Exteriores é alvo de disputa e ainda não há um nome de consenso para presidir. Tentam comandar o grupo os deputados Aécio Neves (PSDB-MG), Arlindo Chinaglia (PT-SP) e Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PSL-SP).

Embora Aécio tenha o desejo de presidir a Comissão de Relações Exteriores, o partido ainda não decidiu se vai reivindicar o comando dessa comissão ou da de Ciência e Tecnologia. O PSDB ficou em 2019 com a presidência da Comissão de Educação, que era comandada por Pedro Cunha Lima (PSDB-PB). O DEM deve emplacar o sucessor de Cunha Lima.

Confira uma lista preliminar das indicações para presidir as comissões:

  • CCJ: Bia Kicis (PSL-DF)
  • Desenvolvimento Econômico: Otto Alencar Filho (PSD-BA)
  • Finanças e Tributação: Julio César (PSD-PI)
  • Educação: Professora Dorinha (DEM-TO)
  • Seguridade Social e Família: Dr. Luizinho (PP-RJ)
  • Agricultura: Aline Sleutjes (PSL-PR)
  • Minas e Energia: Édio Lopes (PL-RR); quer disputar: Carlos Chiodini (MDB-SC)
  • Ciência e Tecnologia:  Vitor Lipp (PSDB-SP)
  • Relações Exteriores: Arlindo Chinaglia (PT-SP); quer disputar: Luiz Phillipe de Orleans e Bragança (PSL-SP) e Aécio Neves (PSDB-MG)
  • Viação e Transportes: Gutemberg Reis (MDB-RJ)
  • Trabalho, Administração e Serviço Publico:  Afonso Motta (PDT-RS).

>Ex-chanceleres defendem que Bolsonaro mude política externa por Biden

Continuar lendo