Toffoli cobra que Aras se manifeste sobre mentiras de Bolsonaro

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, ordenou que o Procurador-Geral da República, Augusto Aras, se manifeste num pedido para obrigar o presidente Jair Bolsonaro a apresentar provas de fraude nas eleições de 2018. Em um despacho feito ao caso, Toffoli diz que a manifestação de Aras é "imprescindível" ao caso.

O caso teria ido à Procuradoria-Geral da República (PGR) em 27 de julho, retornando em 4 de agosto - sem o parecer do chefe do órgão. Em casos onde há a atuação de autoridades como o presidente da República, a competência para o papel do Ministério Público só pode ser feita pelo procurador-geral. Apesar do seu papel, críticas recaem sobre Aras desde sua posse sobre seu papel considerado leniente com a atuação do presidente Jair Bolsonaro.

A interpelação judicial foi feita pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), que indicou ser graves as falas de Bolsonaro colocando em dúvida o funcionamento das urnas eletrônicas. "Apontar que houve fraudes no último pleito sem qualquer esforço probatório equivale a dizer que inexiste confiabilidade em toda a Justiça Eleitoral e que, portanto, todo o Poder Judiciário padece de um vício insanável, deixando de merecer o prestígio e o respeito de que deve gozar em um Estado Democrático de Direito", escreveu o parlamentar à corte.

"Quando o Presidente da República, por reiteradas vezes, faz afirmações infundadas a respeito da lisura da Justiça Eleitoral, especialmente quanto ao sistema de votação e apuração", continua o senador, "deve ser instado a esclarecer o que assevera e a prová-lo". A manifestação foi enviada ao STF em 21 de julho, oito dias antes da live onde Bolsonaro subiu o tom das críticas às urnas - confessando, no entanto, não possuir provas.


> Seminário da Anafe discute liberdade de expressão e discurso de ódio
> Aziz suspende depoimento de Barros para reconvocá-lo, como investigado

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito.
Mantenha o Congresso em Foco na frente.
JUNTE-SE A NÓS
Continuar lendo