Glenn Greenwald afirma que não deixará o Brasil

Dono do site Intercept Brasil, o jornalista Glenn Greenwald rebateu as declarações do presidente Jair Bolsonaro sobre sua possível prisão. Glenn afirmou que não há nenhuma prova para levá-lo à cadeia. “O governo não tem o poder de me deportar, mas eu tenho o poder de sair o Brasil voluntariamente – e tinha esse poder o tempo todo”, anunciou pelas redes sociais. “Mas não fiz e não vou, apesar dessas ameaças. Porque sei que não tem nada contra mim”, continuou.

Pela manhã, Bolsonaro disse que o americano “talvez pegue uma cana aqui no Brasil”, quando questionado sobre a portaria do Ministério da Justiça que prevê a deportação de “pessoas perigosas”, editada nesta semana após a deflagração da Operação Spoofing, que prendeu quatro suspeitos de hackearem os celulares de, pelo menos, mil autoridades públicas, incluindo o próprio presidente.

Nas redes sociais, o editor do site The Intercept Brasil, que tem publicado reportagens com base em diálogos vazados do ministro da Justiça, Sergio Moro, e de procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato, em Curitiba, Glenn prometeu defender a democracia.

“Ao contrário dos desejos de Bolsonaro, ele não é (ainda) um ditador. Ele não tem o poder de ordenar pessoas presas. Ainda existem tribunais em funcionamento. Para prender alguém, tem que apresentar provas para um tribunal que eles cometeram um crime. Essa evidência não existe”, disse.

>> Manuela diz que repassou contato de Glenn Greenwald a anônimo

>> Entenda como hackers tiveram acesso a mensagens de Moro

>> PF suspeita que Moro e Guedes foram vítimas do mesmo hacker

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!