“Povo argentino, lamento. É o que vocês merecem”, diz Bolsonaro sobre Fernández

O presidente Jair Bolsonaro atacou publicamente o presidente da Argentina, Alberto Fernández. Em live transmitida na noite desta quinta-feira (8), Bolsonaro afirmou que os argentinos "merecem" o governo que elegeram. A vice-presidente do país é Cristina Kirchner, vice de Fernández. Bolsonaro se referiu aos dois como “esquerdalhas”.

"Tome conhecimento do que está acontecendo com a Argentina", disse Bolsonaro, referindo-se à notícia de que o presidente argentino assumiu o compromisso de apoiar uma legislação para o aborto seguro no país. "O Fernández e a Cristina Kirchner vão legalizar o aborto na Argentina. Deram tanta porrada no [Mauricio] Macri, chamaram ele de tanta coisa...Lamento povo argentino, mas é o que vocês merecem."

A declaração foi dada no momento que Bolsonaro rebatia críticas sobre a escolha de nomes que seu governo faz ao Judiciário, como o desembargador Kassio Nunes Marques para o Supremo Tribunal Federal (STF). O exemplo argentino veio quando o presidente brasileiro se queixou do que seriam críticas infundadas às suas escolhas. "Quer dar porrada em mim? Dá. Mas dá por um motivo justo", disse.

Veja a íntegra da live:

Segundo ele, é necessário que o Brasil não cometa os mesmos erros da Argentina ao criticar excessivamente um presidente de viés liberal e conservador, como era Maurício Macri. O Congresso em Foco não conseguiu ainda contato com a embaixada argentina. O texto será atualizado assim que houver uma resposta por parte do corpo diplomático.

Ainda durante a live, Bolsonaro se defendeu das críticas que recebeu afirmar que havia acabado com Lava Jato porque, de acordo com ele, em seu governo"não há notícia de corrupção". "Para nós, a Lava Jato não tem finalidade".

> Bolsonaro não está comprometido com o combate à corrupção, diz Lava Jato

O presidente disse que, para alguns órgãos, estados e municípios, a operação vai continuar. "O covidão nem começou ainda", complementou.  Na quarta-feira (7) foi deflagrada 76ª fase da Operação Lava Jato, com o cumprimento de quatro mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro. Diferentes políticos e ex-integrantes da operação protestaram contra a fala de Bolsonaro.

Ao lado do ministro Bento Albuquerque, de Minas e Energia, e do presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, Bolsonaro rebateu novamente as críticas recebidas pela indicação de Kassio Marques Nunes para o Supremo Tribunal Federal."O nome ideal para ir para o Supremo era o meu. Por vezes esse candidato dos sonhos vai ter dificuldade de ser aprovado. Quem aprova é o Senado. [...] Quem não conhece o Kassio diz que ele é abortista. Acha que eu ia colocar um abortista lá?", indagou.

Bolsonaro disse que tem indicado nomes para universidades de partidos opositores, como PT, PCdoB e Psol, porque faz parte do processo de indicações. "Agora vamos lá, chega lista e dai você quer que eu faça o quê? Vai chegar uma lista tríplice pro STJ e essa lista vai ser feita pela OAB [Ordem dos Advogados do Brasil]. Qualquer nome que eu escolha vocês vão bater. Raciocina um pouquinho", disse. O Congresso em Foco aguarda resposta da Embaixada da Argentina no Brasil

O presidente também defendeu a indicação feita por ele de Jorge Oliveira , ministro da Secretaria-Geral da Presidência, ao Tribunal de Contas da União (TCU). "Trabalhou comigo mais de dez anos. Tem origem na Polícia Militar do Distrito Federal, é advogado conhecido em Brasília e teve ampla aceitação".

Ele criticou um de seus apoiadores que reclamou, pelo Facebook, das duas indicações. "É gente da direita burra, moleque, fedelho, que quando entrei no Exército e participei da luta armada no Vale do Ribeira, do lado das Forças Armadas, que fique claro, o pai de vocês não era nem nascido ainda. E o pessoal quer criticar com baixaria".

Durante vários momentos da live , o presidente usou palavrões e xingamentos. Ao se defender de críticas, o presidente bradou: "E dizem, ah, Bolsonaro é corrupto. Puta que o pariu, porra. Não fode, porra. Fala merda o tempo todo".

O presidente também voltou a fazer críticas ao médico Davi Uip, por não ter admitido o uso da cloroquina, medicamento sem comprovação de eficácia no tratamento da covid-19. "Ah, vá plantar cebola, porra. (sic) Tomou a cloroquina (sic) depois vazou a receita", disse. Uip foi secretário da Saúde do estado de São Paulo e é considerado um dos principais especialistas em doenças infecciosas do Brasil.

Eletrobras

Bolsonaro disse ainda que gostaria que o Congresso desse celeridade e aval à privatização a Eletrobras. “Os poderes são independentes e harmônicos entre si. A gente gostaria que fosse mais célere, mas rápido. Mas dentro do Congresso, da Câmara e do Senado, temos múltiplos, os mais variados interesses”, disse.

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse que tem trabalhado junto com o Congresso para aprovar o projeto desde que o texto foi enviado ao Congresso, em novembro de 2019. “A privatização, ou capitalização da Eletrobras – que é melhor – é fundamental. A Eletrobras, como outras empresas estatais, perderam a capacidade de investimento”, disse o ministro. “Quando o Congresso julgar que é momento de apreciar o projeto de lei, nós acreditamos que ele já vai estar maduro”, finalizou.

Relações

Após formalizar apoio a Celso Russomano para a prefeitura de São Paulo, Bolsonaro disse que está apoiando também diferentes candidatos em Santos, Manaus, Belo Horizonte, Fortaleza e Manaus.

Sem dar detalhes, o presidente disse ainda que na semana que vem pode "ter uma boa noticia sobre jogos eletrônicos". "A garotada começou a reclamar dos preços de jogos eletrônicos, e passamos para 40%. Já conversei com Guedes e agora vai passar para 30% os impostos", disse.

O presidente também afirmou que busca junto a Ernesto Araújo uma saída para o imbróglio do brasileiro Robson Oliveira, preso na Rússia por entrar no país com medicamentos proibidos, a pedido do jogador de futebol Fernandinho. Bolsonaro disse que recebeu o apelo das redes sociais e do atleta do Palmeiras, Felipe Melo, e que o chanceler já tomou providências sobre o caso. "Estamos vendo que medidas podemos tomar e se necessário vamos buscar solução com o presidente Putin. No nosso entendimento houve uma falha do Robson, mas não houve má-fé".

O presidente está na Ilha de Marajó para a inauguração de uma série de programas do governo em parceria com a Caixa Econômica e os ministérios de Minas e Energia, e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Bolsonaro diz que argentinos escolheram mal na eleição presidencial

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!