Exército abrirá processo sobre presença de Pazuello em trio com Bolsonaro

O Exército Brasileiro vai abrir um processo disciplinar para investigar a participação do general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde de Jair Bolsonaro, em um ato político do presidente. O general, que ainda está na ativa da corporação, participou de um passeio motociclístico com Bolsonaro neste domingo (23). Em um dos momentos, ele subiu a um trio elétrico onde o presidente discursou para apoiadores. As informações são do jornal 'O Globo'.

Pazuello deve ser investigado por infrigir Regimento Disciplinar do Exército, de 2002. No item 57 do Anexo I – que regulamenta as transgressões – está vedado ao militar  da ativa "manifestar-se, publicamente", "sem que esteja autorizado, a respeito de assuntos de natureza político-partidária".

Os registros do ato pró-Bolsonaro foram feitos pela secretária de comunicação do Palácio. Pazuello permaneceu ao lado do presidente Bolsonaro durante todo o percurso, sempre sem usar máscara de proteção facial. Este ato promoveu mais uma aglomeração em meio à pandemia e contrastam com as falas dadas pelo próprio ex-ministros à CPI da Covid três dias antes, onde disse ser a favor do uso de máscaras. 

Mais cedo, em entrevista à imprensa, o vice-presidente – e general da reserva – Hamilton Mourão afirmou que Pazuello sabia que a ida ao ato na capital fluminense teria sido um erro.

O processo, quando concluído, poderá culminar com a ida de Pazuello, um general de três estrelas, para a reserva da corporação.


> Deputado pede informações a Braga Netto sobre punição a Pazuello
> Felipe Neto, Xuxa e Fábio Porchat pedem impeachment de Bolsonaro

Continuar lendo