Decreto de Bolsonaro extingue 14 mil postos efetivos

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) assinou nesta sexta-feira (20) o decreto nº 10.185 extinguindo 27.611 cargos efetivos na administração pública, a partir de 26 de fevereiro de 2020.

> Os 60 principais ataques ao estado de direito em 2019, segundo o Pacto pela Democracia

O texto prevê também a proibição da abertura de concurso público e o provimento de vagas adicionais em quantitativo superior ao estabelecido em edital de abertura de concurso público para uma série de categorias.

Parte do número total de postos previsto para ser extinto, no entanto, ainda está ocupado, e as vagas indicadas devem permanecer em funcionamento até que os atuais funcionários deixem suas posições. O restante, que soma 14.227 empregos, poderá ser extinto na data indicada no documento.

As categorias mais afetadas com o decreto são agentes de saúde pública, que perderão 10.661 vagas; guarda de endemias, com uma redução de 5.212 postos; e auxiliares em indigenismo, que sofrerão uma baixa de 700 empregos.

Confira a lista completa no decreto.

> “Golden shower” aparece entre as pesquisas em alta no Google em 2019

> Estudo dos tuítes de Bolsonaro revela o que o presidente mais ama e mais odeia

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!