Congresso terá semana tensa, com novos pedidos de CPI e impeachment. Veja a agenda

A semana promete ser marcada politicamente por desdobramentos da demissão do agora ex-ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública), com a apresentação de novo pedido de impeachment e coleta de assinaturas para a criação de uma CPI para investigar denúncias do ex-ministro de interferência política, da parte do presidente da República, sobre a Polícia Federal.

O PSB deve entrar com pedido de abertura de processo de impeachment nesta segunda. O partido também corre atrás de assinaturas para a criação de uma CPI, assim como o Cidadania e o PSDB. Para isso, é necessário o apoio de ao menos 171 deputados.

> Cadastre-se e acesse de graça por 30 dias o melhor conteúdo político premium do país   

O presidente Rodrigo Maia tem cerca de 30 requerimentos de abertura de processo contra Bolsonaro sobre a mesa. Na semana passada o ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu dez dias para Maia se manifestar em relação a pedido feito por dois advogados.

A pauta legislativa da semana ainda está por ser definida pelos líderes partidários com os presidentes da Câmara e do Senado. Ambos silenciaram, até agora, sobre a saída de Moro, em um gesto claro de evitar novo atrito com Bolsonaro.

MPs em pauta

A Câmara tem sessão marcada para esta segunda-feira. Em pauta, duas medidas provisórias: a MP 907/19, que transforma a Embratur (Instituto Brasileiro do Turismo) em agência autônoma; e a MP 913/19, que autoriza o Ministério da Agricultura a prorrogar contratos temporários de servidores da área de tecnologia da informação e comunicação.

A MP 907/19 também destina à nova Embratur parte dos recursos da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) antes destinada ao Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

A agência deve atuar também na repatriação de brasileiros retidos no exterior em razão do fechamento de portos e aeroportos por causa da pandemia de covid-19.

A medida provisória também acaba com a cobrança de direitos autorais sobre as músicas executadas no interior dos quartos de hotéis e cabines de navios. A alteração é feita na Lei dos Direitos Autorais.

O texto também prevê o escalonamento, até 2024, do aumento do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) cobrado por remessas ao exterior destinadas à cobertura de gastos pessoais de brasileiros em viagens de turismo, negócios, serviço, treinamento ou missões oficiais.

Até 2019, incidiam 6% sobre as remessas. Os aumentos gradativos levam a alíquota a 15,5% em 2024.

Já a MP 913, que autoriza o Ministério da Agricultura a prorrogar por até um ano o contrato temporário de nove servidores da área de tecnologia da informação e comunicação empregados pela pasta, estabelece que os nove servidores temporários são responsáveis pela gestão de 17 contratos e pela manutenção de 48 sistemas de informações.

Auxílio a estados

O Senado deve avançar nas negociações por uma nova proposta de socorro federal aos estados durante a pandemia. A expectativa é que o projeto seja relatado, em caráter excepcional, pelo presidente Davi Alcolumbre (DEM-AP), e contenha diferenças substanciais em relação à versão aprovada pela Câmara. Os deputados não negociaram com o governo. Os senadores assumiram postura diferente e já estão em conversas avançadas com o Ministério da Economia.

Com informações da Agência Câmara

> Cadastre-se e acesse de graça por 30 dias o melhor conteúdo político premium do país   

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!