Caso Marielle: Aliado de Bolsonaro promete denunciar Witzel à PGR

Um dia depois de o presidente Jair Bolsonaro afirmar que "outras armações virão" sobre o caso Marielle, aliados do presidente voltaram a acusar o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), de forjar provas para incriminar a família Bolsonaro no assassinato da vereadora Marielle Franco. O deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ), por exemplo, gravou um vídeo em que diz ter recebido informações de que uma "conversa forjada entre milicianos" será divulgada em breve com essa intenção e promete denunciar Witzel na Procuradoria-Geral da República (PGR) por conta disso.

> Caso Marielle: Bolsonaro diz que tem “muito carinho pelo porteiro”

"Estão armando conversas de miliciano. Um miliciano conversa com o outro e a polícia pega esse contato para incriminar a família do presidente, incriminar Flávio, Carlos e o próprio presidente no caso Marielle. Só que na verdade não tem conversa nenhuma. A conversa é montada", afirma o deputado Otoni de Paula. No vídeo que circula na internet, ele ainda diz que essas conversas foram forjadas pela Polícia Civil do Rio de Janeiro por determinação do governador Wilson Witzel.

Otoni de Paula acusa Witzel de "usar o serviço de inteligência da Polícia Civil para montar uma armação contra o presidente Bolsonaro". "Como você faz isso, Witzel? Em que monstro você se transformou?", diz Otoni de Paula, lembrando que o governador contou com o apoio da família Bolsonaro para se eleger.

O deputado afirma, então, que vai se reunir com o procurador-geral da República, Augusto Aras, nesta segunda-feira (16) para fazer uma denúncia contra o governador do Rio de Janeiro. "Vou protocolar uma queixa-crime contra o governador Wilson Witzel", adianta. "Estamos em uma guerra. O jogo é pesado", justifica. Veja:

O deputado, que é do mesmo partido de Witzel, ainda diz que essas conversas falsas entre milicianos serão entregues à TV Globo da mesma forma que aconteceu com o depoimento do porteiro do condomínio em que moram a família Bolsonaro e um dos suspeitos de matar Marielle - depoimento que, segundo ele, é falso. "Podem estar preparando uma matéria para o Jornal Nacional ou até para o Fantástico, igual àquela do porteiro", diz Otoni de Paula, que pede para seus seguidores compartilharem esse vídeo para que todos saibam que se trata de mais uma "mentira". "Só há um jeito de segurar esses imbecis e desgraçados. É denunciar essa bandidagem! Quem não é covarde compartilha", pede.

O vídeo de Otoni de Paula já teve mais de 225 mil visualizações e foi compartilhado pelo vereador Carlos Bolsonaro (PSL-RJ). O filho do presidente Bolsonaro disse que o deputado estava revelando a "trama de Witzel a Bolsonaro".

O Congresso em Foco procurou o governo do Rio de Janeiro, mas ainda não recebeu nenhuma manifestação sobre o caso.

> Após saída de Bolsonaro, PSL marca jantar com Witzel para debater 2020

> Promotora que apoia Bolsonaro deixa caso Marielle após ter imparcialidade questionada

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!