Bolsonaro dá a Centrão mais um cargo no Ministério de Desenvolvimento Regional

O governo federal escolheu nesta quinta-feira (7) o advogado Tiago Pontes para comandar a Secretaria de Mobilidade e Desenvolvimento Regional e Urbano do Ministério do Desenvolvimento Regional. A decisão está no Diário Oficial da União desta quinta (íntegra).

>Governo entrega parte de ministério ao PP; Centrão espera novos cargos

Pontes foi escolhido por indicação do presidente nacional do Republicanos e vice-presidente da Câmara, Marcos Pereira (SP). A informação foi confirmada pelo Congresso em Foco com membros do partido. A articulação principal para a nomeação envolveu a bancada de Pernambuco da legenda.

As principais informações deste texto foram enviadas antes para os assinantes dos serviços premium do Congresso em Foco. Cadastre-se e faça um test drive.

O Republicanos é um das siglas do Centrão mais próximas do governo federal. São filiados ao partido o filho mais velho do presidente, senador Flávio Bolsonaro (RJ), e o segundo filho, vereador Carlos Bolsonaro (RJ).

O advogado indicado pelo Republicanos para a Secretaria era até semana passada diretor da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) em Pernambuco, mas foi demitido da função para acomodar um indicado do PSC.

Tiago Pontes responde a um processo de improbidade administrativa (íntegra)por prejuízo ao erário na condução de aquisição de medicamentos. A ação foi aberta pelo Ministério Público Federal do Distrito Federal quando ele trabalhava no Ministério da Saúde em 2018, na gestão de Ricardo Barros (PP-PR). 

Na quarta-feira (6), o PP emplacou um aliado no Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), autarquia também vinculada ao Ministério de Desenvolvimento Regional.

As mudanças no órgão do Ministério de Desenvolvimento Regional acontecem em meio às negociações do presidente Jair Bolsonaro com partidos do Centrão. O PP deve ficar também com o comando do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE),órgão do Ministério da Educação que movimenta mais dinheiro que muitos ministérios - em 2019 foram R$ 55 bilhões.

O presidente tem recorrido a líderes partidários do PP, Republicanos, PSD, PL e PSC para ter uma base legislativa na Câmara e não ficar vulnerável a articulação do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), seu desafeto.

Deputado do PP é nomeado vice-líder do governo

Bolsonaro  também nomeou nesta quinta-feira o deputado Evair de Melo (PP-ES) para ser um dos vice-líderes do governo na Câmara. A decisão foi informada no Diário Oficial da União (íntegra).

Evair substitui o deputado Herculano Passos (MDB-SP). A decisão acontece em meio às primeiras nomeações de cargos no governo indicados pelos partidos do Centrão.

Além do deputado do Espírito Santo, o PP já estava com uma das vice-lideranças do governo no Congresso, função exercida desde o final de 2019 por Ricardo Barros (PP-PR).

> Centrão, que determinará futuro de Bolsonaro, festeja saída de Moro

>Em atrito com Maia, Bolsonaro recebe presidente do DEM

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!