Bancada da bala defende Jorge Oliveira no Ministério da Justiça

A Frente Parlamentar da Segurança Pública divulgou uma carta, neste domingo (26), em apoio à indicação do nome de Jorge Oliveira para o Ministério da Justiça e Segurança Pública. Em seu posicionamento, a chamada bancada da bala, diz que o atual ministro da  Secretaria-Geral da Presidência “possui conhecimento técnico na seara jurídica e na de segurança pública, suficientes para fazer frente ao desafio de tão importante Ministério para o Governo e para o Brasil como um todo”.

> Em carta, delegados federais pressionam Bolsonaro e exigem garantia de autonomia

As credenciais formais do currículo de Oliveira tem sido o principal alvo de críticas desde que seu nome passou a ser sondado para assumir o lugar de Sergio Moro. Jorge Oliveira não tem uma carreira jurídica de destaque na academia ou no Judiciário. Major da Polícia Militar do Distrito Federal ele é ligado à família Bolsonaro e já foi chefe de gabinete de Jair e Eduardo Bolsonaro na Câmara dos Deputados. 

No sábado, a Frente Parlamentar da Segurança Pública havia soltado outra carta pública, em que pedia a criação de uma pasta específica para a segurança pública. A criação do superministério atual foi feita no governo de Jair Bolsonaro. 

Leia a íntegra do posicionamento:

CARTA ABERTA DOS DEPUTADOS FEDERAIS E SENADORES DA REPÚBLICA, MEMBROS DA FRENTE PARLAMENTAR DA SEGURANÇA PÚBLICA, EM APOIO AO MINISTRO JORGE OLIVEIRA

A FRENTE PARLAMENTAR DA SEGURANÇA PÚBLICA, instituída nos termos do Ato da Mesa nº 69 de 2005, maior Bancada junto ao Poder Legislativo Federal, congregando mais de trezentos Parlamentares Federais, entre Deputados Federais e Senadores da República, REITERA PERANTE TODA A SOCIEDADE SEU AMPLO APOIO AO MINISTRO JORGE OLIVEIRA PARA O MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA.

O Ministro Jorge Oliveira possui conhecimento técnico na seara jurídica e na de segurança pública, suficientes para fazer frente ao desafio de tão importante Ministério para o Governo e para o Brasil como um todo.

Este colegiado se coloca à disposição para somar forças na continuidade do processo de resgate da ordem e do progresso.

Brasília-DF, 26 de abril de 2020.

> Após saída de Moro, cúpula do Ministério da Justiça entrega os cargos

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!