Braga Netto terá de dar explicações sobre nota de ameaça a Omar Aziz

A Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara dos Deputados aprovou requerimento de Elias Vaz (PSB-GO) para que o ministro da Defesa, Walter Braga Netto, explique nota, em tom de ameaça, contra o trabalho realizado pela CPI da Covid no Senado.

Assinada pelo ministro e pelos comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica, a nota afirmou que as Forças Armadas não aceitariam "ataques levianos às instituições que defendem a democracia e a liberdade do povo brasileiro”. O recado das Forças Armadas foi dado após declaração do presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), que disse que há muitos anos “o Brasil não via membros do lado podre das Forças Armadas envolvidos com falcatrua dentro do governo”.

“Não vamos aceitar intimidação ao trabalho parlamentar de fiscalização de agentes públicos. A lei é para todos, doa a quem quer. O papel das Forças Armadas e do Ministério da Defesa não é tentar esconder irregularidades e atacar quem investiga corrupção, mas sim identificar e responsabilizar quem comete crime”, afirmou o deputado Elias Vaz.

Foi aprovado também, requerimento para que o ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, preste esclarecimentos sobre as investigações conduzidas sobre suspeitas de corrupção na compra de vacinas no Ministério da Saúde.

O requerimento foi subscrito pelos deputados Kim Kataguiri (DEM-SP), Léo de Brito (PT-AC), José Nelto (Podemos-GO), Padre João (PT-MG) e Hildo Rocha (MDB-MA).

>  “CPI nunca acusou o deputado Ricardo Barros de nada”, diz Aziz

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito.
Mantenha o Congresso em Foco na frente.
JUNTE-SE A NÓS

Continuar lendo