Senado confirma derrubada de veto ao voto impresso

Ao rejeitar o projeto, Dilma acatou recomendação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE),que argumentou sobre os custos de sua implementação, calculados em R$ 1,8 bilhão em equipamentos e custeio das eleições

O Senado derrubou o veto ao voto impresso para conferência, previsto no projeto de lei da minirreforma eleitoral (PL 5735/13). Foram 56 votos contra e cinco a favor do veto. Na votação anterior, pela Câmara dos Deputados, 368 deputados foram contra e 50 a favor do veto.

A matéria será reinserida na Lei 13.165/15. O texto determina o uso do voto impresso nas urnas eleitorais para conferência pelo eleitor, sem contato manual, assim como para posterior auditoria. A regra entrará em vigor nas próximas eleições gerais, em 2018.

O veto ao voto impresso foi recomendado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) devido aos custos de sua implementação, calculados em R$ 1,8 bilhão para a aquisição de equipamentos e as despesas de custeio das eleições.

 

Mais sobre vetos

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!