Senado aprova indicações de diretores do Dnit e da ANTT

Para cargos de direção do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, foram aprovados André Martins de Araújo, Halpher Luiggi Rosa e Gustavo Adolfo de Sá. Já para direção da Agência Nacional de Transportes Terrestres, o indicado foi Mário Rodrigues Júnior

O plenário do Senado aprovou nesta terça-feira (16) as indicações da Presidência da República para a direção de órgãos da administração pública e para cargos de embaixadores do Brasil nos Estados Unidos e na União Europeia.

Para cargos de direção do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), foram aprovados os nomes de André Martins de Araújo, Halpher Luiggi Rosa e Gustavo Adolfo de Sá. Já para a direção da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), o indicado aprovado foi Mário Rodrigues Júnior.

Foram aprovados também os nomes dos diplomatas Sérgio Amaral, para o cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos; Everton Vieira Vargas, para a chefia da Missão do Brasil na União Europeia; e Mauro Vieira, como representante permanente do Brasil na Organização das Nações Unidas (ONU).

Unanimidade

As indicações foram aprovadas durante reunião da Comissão de Infraestrutura (CI) desta terça (16). Durante a sabatina no colegiado, o senador Hélio José (PMDB-DF) questionou aos indicados ao Dnit como melhorar a recuperação da malha rodoviária do país. Gustavo Adolfo Andrade Sá afirmou que 90% da malha rodoviária está coberta com manutenção a cargo da iniciativa privada e que a principal solução seria uma política de controle de peso dos veículos nas rodovias.

"Isso é que é importante. Estamos lançando um grande programa chamado PNCV, que é o controle total das nossas rodovias com relação a veículos pesados e leves e vamos trazer resultados, como já está acontecendo com os radares e as lombadas", afirmou.

Questionado a respeito da construção da ponte que vai ligar as BRs 101, 116 e 242, na região metropolitana de Salvador, Halpher Luiggi respondeu ao senador Roberto Muniz (PP-BA) que o Dnit deve entregar o projeto da BR 101 em setembro.

"Especificamente sobre a ponte, entendo que o que deve ser cotejado neste momento é se nós partiríamos para uma obra pública, com recursos públicos, para uma parceria público-privada ou mesmo de uma concessão pública para executar o serviço, precedido de obra pública", explicou.

Mário Rodrigues Júnior foi questionado pelo senador Roberto Diniz sobre um possível impedimento para que assuma o cargo de diretor da ANTT, uma vez que é funcionário da empresa pública Valec (Engenharia, Construções e Ferrovias S.A). Segundo o indicado, não haveria conflito de interesses com a ANTT pelo fato de a Valec ser uma empresa pública que não atua em rodovias.

"Está superado dentro da ANTT, porque nós já esclarecemos isso para o corpo técnico", disse.

Ele informou ao senador Hélio José que a ANTT já aprovou o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental do trem que ligará Brasília a Luziânia (GO).

"É o primeiro passo para a implantação dessa ferrovia", explicou.

Os indicados

Halpher Luiggi é graduado em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e especialista em Logística de Transporte pela mesma universidade. É servidor público, especialista em Regulação da ANTT. Ocupou o cargo de superintendente regional do Dnit e foi diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem do Espírito Santo (DER-ES).

Natural de Mato Grosso do Sul, Gustavo Adolfo Andrade Sá é formado em Engenharia Civil pela Universidade Federal da Paraíba. Com mais de 30 anos de experiência em engenharia rodoviária, exerceu cargos de chefia de seção técnica, de residência de unidade local e de engenharia. Todos esses cargos vinculados à Superintendência Regional no Estado da Paraíba. Atualmente, exerce o cargo de diretor-executivo do Dnit.

Natural de São Paulo, Mário Rodrigues é engenheiro e especialista em Engenharia de Transportes. Atual presidente da Valec, já foi diretor da ANTT, de 2008 a 2012. Trabalhou de 2000 a 2007 no Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de São Paulo (DER-SP), ocupou cargos de diretor técnico de Licitações e Contratos, de diretor de Engenharia e de superintendente.

* Com informações da Agência Senado

Mais sobre gestão pública

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!