PT nega ter comprado tuítes e diz que vai apurar denúncia

A presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), disse nesta segunda-feira (27) que o partido está averiguando a acusação de que uma agência pagou por comentários favoráveis a candidatos da legenda no Twitter. A declaração foi dada por Gleisi, ao lado do candidato a vice-presidente Fernando Haddad, após visita ao ex-presidente Lula na sede da Superintendência da Polícia Federal do Paraná.

“O PT nunca adotou esse tipo de prática, nossa relação com as redes sempre foi de respeito e de militância. Nunca pagamos ninguém para falar em rede, muito pelo contrário. Estamos averiguando o que é isso, para esclarecer essa situação”, disse.

No último sábado (25) a jornalista Paula Holanda, militante de esquerda e influenciadora digital, conhecida no Twitter como @pppholanda, escreveu na rede social que foi convidada por uma agência de marketing digital mineira, a Lajoy, a promover em seu perfil conteúdo esquerdista mediante pagamento.

Ela conta que passou a escrever tuítes favoráveis a Gleisi, candidata a deputada federal, e ao candidato a governador de São Paulo, Luiz Marinho, ambos do PT. Por último, Paula diz que recebeu pedido para tuitar sobre o governador do Piauí, Wellington Dias (PT). A jornalista afirma que entendeu, então, que estava trabalhando para candidaturas do PT, o que, ressaltou, não havia sido combinado previamente. Paula ressalta que se recusou a escrever sobre o governador piauiense.

A prática é vedada pela legislação eleitoral, que prevê multa de até R$ 30 mil para o infrator. Pela resolução, só é permitida propaganda eleitoral em redes sociais na forma de impulsionamento, por meio da qual candidatos, partidos e coligações contratam diretamente a rede social. Nesse caso, é preciso informar explicitamente quem contratou.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!