Presidente do PDT sobre Lula: “visitei na prisão, quanto mais em liberdade”

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, afirmou nesta quinta-feira (14) que aceitaria um convite do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para dialogar. "Para mim não ten problema nenhum, visitei ele na prisão, quanto mais em liberdade", disse ao Congresso em Foco.

O dirigente partidário afirmou que soube da intenção de Lula de ter uma reunião, mas diz que ainda não foi feito um convite.

>Lula busca diálogo com PSB e PDT

>Lula é “enganador profissional”, diz Ciro em entrevista exclusiva

Mesmo com críticas de Ciro Gomes (PDT) a Lula, o petista quer ter proximidade com o partido do ex-governador do Ceará.

De acordo com Lupi essa proximidade já existe na oposição ao governo do presidente Jair Bolsonaro, mas deixa claro que as duas legendas seguem caminhos distintos quando o assunto é eleição.

"A discussão, debate, unidade contra o Bolsonaro, isso tudo está caminhando bem. Agora candidaturas em 2022 é natural que cada partido tenha seu candidato. A visão é essa, [nas eleições de 2020]pode ser que alguns municípios [PT e PDT] venham juntos, outros não, isso é a característica de cada município que vai dizer", disse.

Questionado sobre o que muda com a soltura do ex-presidente, o comandante do PDT disse: "ele vai ficar mais solto, livre para poder andar o país, vai ser mais ouvido, mas o público-alvo é o mesmo".

Lula ficou preso por 580 dias na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Após ser solto no último sábado (8), beneficiado por decisão do Supremo Tribunal Federal que proibiu prisão em segunda instância, o petista foi à São Bernardo do Campo (SP), onde mantém residência atualmente.

>Governo minimiza influência de Lula em pauta econômica; PT aposta em reforço

Campanha do Congresso em Foco no Catarse

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!