PPS vai ingressar com representações contra investigados na Lava Jato

Legenda vai acionar parlamentares tanto no Conselho de Ética do Senado, quando na Corregedoria da Câmara. Bancada também quer que investigados que atuem no Poder Executivo sejam afastado de suas funções públicas

A bancada do PPS na Câmara decidiu, nesta quarta-feira (4), que vai ingressar com representações com representações na Corregedoria da Casa e no Conselho de Ética do Senado pedindo a apuração de quebra de decoro, com possibilidade de cassação de mandato, contra todos os deputados e senadores envolvidos no escândalo de corrupção da Petrobras, descobertos por conta da Operação Lava Jato. Nesta terça-feira (3), a Procuradoria Geral da República ingressou com 28 pedidos de abertura de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) contra 54 pessoas. Entre elas, deputados federais e senadores.

O Congresso em Foco revelou que, no Senado, além do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), foi pedida abertura de inquérito contra Romero Jucá (PMDB-RR), Edison Lobão (PMDB-MA), Fernando Collor (PTB-AL), Lindbergh Farias (PT-RJ), Humberto Costa (PT-PE), Ciro Nogueira (PP-PI), presidente nacional do PP, e a ex-ministra da Casa Civil Gleisi Hoffmann (PT-PR). Na Câmara, a PGR pediu inquérito contra o presidente da Casa Eduardo Cunha (PMDB-AL).

Em nota oficial, o líder Rubens Bueno (PPS-PR) disse que a bancada também vai entrar com representações na Comissão de Ética Pública da Presidência da República contra todos os investigados que atuam no Executivo Federal, requisitando o afastamento imediato dos que ocuparem cargos de chefia e direção. Além disso, a bancada defende, desde já, o afastamento das funções nas Mesas da Câmara, Senado e na CPI da Petrobras de todos os parlamentares que passarem a ser investigados na Operação Lava Jato.

"Com essas medidas, a bancada do PPS cumpre com o seu compromisso manifestado desde o início do escândalo da Petrobrás, de apurar tudo e investigar todos, sem exceção, para que os responsáveis e beneficiários do esquema de corrupção sejam penalizados pelos seus atos com o rigor da lei", diz o líder Rubens Bueno por meio de nota oficial.

Mais sobre a Operação Lava Jato

Os políticos citados na Operação Lava Jato

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!