Nos jornais: governo opera para controlar foco da CPI

Estratégia montada por partidos aliados, em especial ao PT, já está montada, revela O Estado de S. Paulo. Já a Folha de S. Paulo informa que vídeos mostram ligação de Cachoeira com policiais

O Estado de S. Paulo

Governo opera para controlar foco da CPI

Centralizar tudo nas mãos de poucos para evitar eventuais vazamentos de documentos sigilosos, poupar a Delta Construções, limitar a apuração aos funcionários da empreiteira com participação no esquema do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, e tentar pôr o foco das investigações em cima do governador de Goiás, o tucano Marconi Perillo. Esta é a estratégia que começou a ser montada pelos partidos aliados do governo, em especial o PT, na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Cachoeira.

Incentivados pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, os petistas buscarão tirar o foco das investigações de cima da Delta Construções, principal empreiteira do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal. A ideia é impedir a convocação de empregados da empresa que não têm relação com o esquema de Cachoeira, como defende a oposição. A oposição estuda elaborar requerimentos, que os governistas tentarão derrubar, propondo a convocação dos diretores e gerentes da Delta dos 23 Estados onde existem obras da empresa.

Ao mesmo tempo em que tentam restringir as investigações em torno da Delta, a orientação é procurar incriminar o governador tucano no esquema ilegal de Carlinhos Cachoeira. A tática dos governistas é verbalizada pelo líder do partido na Câmara, Jilmar Tatto (SP), e será posta em prática tão logo sejam analisados os documentos das operações Vegas e Monte Carlo, da Polícia Federal.

Dilma manda divulgar contratos com Delta

O presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), disse ontem que a criação da CPI do Cachoeira já começou a ter consequências. Segundo ele, a presidente Dilma Rousseff determinou que todos os contratos do governo federal com a Construtora Delta, uma das supostas beneficiadas pelo esquema de Carlinhos Cachoeira, sejam publicados na internet. O objetivo é dar transparência às operações da Delta com a União.

Ele destacou que a presidente Dilma tem acompanhado "de longe" os trabalhos da comissão. "A postura do Executivo tem sido de deixar os trabalhos andarem sem interferências. Dilma tem muita gordura para queimar", disse Maia, referindo-se à credibilidade da presidente com a opinião pública. O petista participou ontem do Fórum de Comandatuba, na Bahia.

O vice-presidente Michel Temer (PMDB), também presente no evento, reforçou a distância do Executivo com as investigações da CPI. "O governo não entrou nesse processo, que é de competência do Congresso. Não estamos preocupados, a CPI não vai atrapalhar o governo", afirmou.

Agnelo perde apoio e PSB e PPS ameaçam deixar base

Abandonado à própria sorte pelo Palácio do Planalto, sob ameaça de ser convocado pela CPI do Cachoeira, o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), enfrenta debandada de aliados. Nos próximos dias, dois partidos importantes da base - PSB e PPS - devem anunciar seu desembarque do governo, seguindo o caminho do PDT.

Crítico dos rumos do governo e ressentido com o espaço que ocupa, o PSB chegou a marcar sua saída na semana passada, mas cedeu a um apelo de Agnelo. Adiou a decisão por dez dias, período em que consultará diretórios. A tendência é que a legenda devolva duas secretarias e 52 cargos de confianças. "Discutir a saída é sinal de que há uma insatisfação grande", resumiu o senador Rodrigo Rollemberg, maior liderança local do partido.

Grampo indica elo entre Perillo, Cachoeira e Delta

Diálogos interceptados pela Polícia Federal em julho de 2011, na Operação Monte Carlo, indicam que o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), teria se comprometido com o contraventor Carlinhos Cachoeira para contratar a empreiteira Delta, sem licitação, para restaurar rodovias do Estado.

No diálogo gravado, Wladimir Garcez, ex-presidente da Câmara Municipal de Goiânia e ex-vereador, lembra a Cachoeira que Marconi fez o acerto na casa de Edivaldo Cardoso - ex-presidente do Detran de Goiás, exonerado no início deste mês após a divulgação de sua relação com o contraventor.

Garcez cita o governador ao responder à Cachoeira que o pagamento pelas obras será feito pelo Detran. "Tem, uai, o Detran tem verba, recurso", responde ele. "Isso é aquilo que o Marconi - você lembra - falou, inclusive, lá na casa do Edivaldo para nós dois", acrescenta.

Outra conversa grampeada aconteceu no dia 3 de agosto do ano passado. Nela, o ex-vereador conversa com o então diretor da Delta no Centro-Oeste, Cláudio Abreu, preso na última quarta-feira. Ambos sinalizam como corriqueira a iniciativa de Perillo de lotear os contratos da Agência Goiana de Obras e Transportes (Agetop) com a Delta-Carlinhos, como consta no áudio.

Delta já recebeu R$ 3 bi de recursos do PAC

A Delta Construções é a empreiteira que mais recebeu recursos do Orçamento federal para executar projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). De 2007, ano de criação do programa, até agora, foram perto de R$ 3 bilhões, segundo levantamento da organização não-governamental Contas Abertas. A Queiroz Galvão, que fica em segundo lugar, recebeu R$ 1,7 bilhão no período.

Os dados não levam em conta os serviços que a Delta prestou a empresas estatais, como a Petrobrás. Nesse universo mais amplo, a empreiteira já embolsou R$ 4,130 bilhões, segundo informou o governo à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Cachoeira.

Importados estão parados nos portos e aeroportos

Produtos comprados em sites internacionais estão demorando até quatro meses para serem entregues no País. A Operação Maré Vermelha, da Receita Federal, cujo objetivo oficial é reduzir o contrabando, aumentou a fiscalização para itens que vem do exterior e consumidores. Mercadorias adquiridas por comércio eletrônico e cargas de importadores estão paradas em portos e aeroportos. As compras pela internet são as que mais afetam o consumidor final.

Cadastro de transplantes é falho, diz TCU

Auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) identificou falhas na segurança do Sistema Nacional de Transplantes que abrem espaço para fraudes. O trabalho critica, por exemplo, a falta de integração do sistema de registro em São Paulo com a base de dados nacional.

Currículo com cor local

Para conter a evasão em comunidades extrativistas, ensino formal é aliado a conhecimentos tradicionais.

Folha de S. Paulo

Vídeos mostram ligação de Cachoeira com policiais

Vídeos inéditos feitos pela Polícia Federal durante a Operação Monte Carlo mostram as ligações do grupo de Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, com policiais acusados de corrupção e acompanham até mesmo um suposto pagamento de propina em uma igreja. As imagens são as primeiras que surgem na operação Monte Carlo e foram reveladas ontem com exclusividade pela "TV Folha".

Os vídeos se complementam com os áudios obtidos pela PF na operação que levou o Ministério Público Federal a denunciar 81 pessoas e revelou as relações de políticos, servidores públicos e policiais civis e federais com o empresário acusado de comandar jogos ilegais.

Detentor de prestígio na PF até a deflagração da operação, em 29 de fevereiro, o delegado federal Fernando Byron é apontado como um dos principais informantes de Cachoeira dentro do aparato policial de Goiás. Ele foi preso e afastado de suas funções na PF.

Defesa diz que imagens estão fora de contexto

A defesa de Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, argumentou que desconhece os vídeos. Os advogados do empresário, acusado de corrupção, disseram na defesa entregue à Justiça que as gravações telefônicas eram ilegais, pois foram interceptadas conversas de políticos com foro privilegiado sem autorização da Justiça.

Grupo pediu lobby de senador na Educação

Gravações telefônicas feitas pela Polícia Federal mostram que o senador Demóstenes Torres (ex-DEM-GO) foi acionado pelo empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, para fazer lobby no Ministério da Educação.

Nos diálogos obtidos pela Folha, gravados em julho do ano passado, o senador diz a Cachoeira que procurou o ministro da Educação, na época o petista Fernando Haddad, e o secretário-executivo, José Paim Fernandes, para resolver pendências na pasta.

As conversas entre Cachoeira e Demóstenes apontam, segundo a PF, que o senador foi acionado para solucionar um impasse envolvendo um pedido de abertura de curso de medicina da Faculdade Padrão, de Goiânia.

Corrupção cresceu em relação a meu governo, diz FHC

Para o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, a corrupção aumentou em relação ao que havia em seu governo. A "faxina" da presidente Dilma Rousseff é importante, mas, afirma, "talvez ela não avalie o risco político que está correndo".

"O Congresso brasileiro é mais forte do que se pensa. Se não tem certa capacidade de entender o papel do Congresso no sistema brasileiro, você pode se dar mal", disse Fernando Henrique em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, antes de partir para Paris, na quinta-feira passada.

Situação do emprego é 'alarmante', diz OIT

O relatório "World of Work Report 2012" da OIT (Organização Internacional do Trabalho), agência da ONU, revela que as medidas de austeridade fiscal tomadas pelos países em crise deixam o mercado global de trabalho em situação "alarmante".

As informações do documento foram reveladas ontem por Raymond Torres, diretor do Instituto Internacional para Estudos do Trabalho, ligado à OIT.

O Globo

Portos terão investimentos de R$ 31 bi com privatizações

As regras para concessão de portos brasileiros à iniciativa privada já estão prontas e devem ser anunciadas em breve pelo governo. Com as licitações, a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) prevê que os terminais do país receberão R$ 31 bilhões em investimentos privados para aumentar a eficiência e a lucratividade. Desse total, o Rio receberá R$ 7,5 bilhões nos próximos cinco anos.

Entre os primeiros a serem licitados estão os portos de Manaus, Espírito Santo e Sul da Bahia. O programa para o setor prevê também R$ 6 bilhões em investimentos federais até 2014, sendo quase R$ 1 bilhão para o porto do Rio, principalmente para a expansão de dois terminais de contêineres e um de veículos. Mais de 95% das exportações brasileiras em volume usam navios como meio de transporte.

Demóstenes foi ao STJ por Cachoeira

Para evitar a condenação de um vereador de Anápolis (GO) aliado de Cachoeira, o senador Demóstenes Torres procurou ministros do STJ. Em conversa com o contraventor, disse que “aquele ministro que nós pedimos votou com a gente”, em referência a Mauro Campbell Marques, único entre quatro que foi a favor da anulação do caso. Marques confirma que o recebeu, mas nega combinação de voto: "Se isso está nas gravações, ele está vendendo algo que não pode ter."

PM fará segurança dentro de escolas

A partir de maio, policiais militares armados vão atuar dentro de colégios da rede estadual. O convênio entre as secretarias de Educação e Segurança será assinado na quarta-feira. Inicialmente, o policiamento será feito em 90 escolas, por 450 PMs de folga. A lista dos colégios atendidos pelo programa foi feita a partir de queixas de pais e diretores, que vão do uso indevido das instalações a brigas, roubos e até consumo de drogas.

Jovens da favela rumo à pós-graduação

No Complexo da Maré, uma das primeiras favelas a ter pré-vestibular comunitário e gratuito, começou a funcionar no mês passado o projeto Novos Saberes, que pretende facilitar o acesso de moradores de comunidades carentes a programas de mestrado e doutorado.

Europa terá € 200 bi para voltar a crescer

A Comissão Europeia planeja anunciar em maio um projeto para estimular o crescimento dos países mais afetados pela crise. A ideia é investir € 200 bilhões em infraestrutura, energia limpa e alta tecnologia, com participação do setor privado, para não elevar a dívida dos governos.

Jornalista francês vira refém das Farc

Repórter do “Le Figaro” e do canal France 24, o jornalista Roméo Langlois foi ferido no braço e levado pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) durante um confronto no departamento de Caquetá, no qual três militares e um policial morreram.

Correio Braziliense

DF registra dois ataques a bancos por semana

Aumenta o número de ataques a agências bancárias do Distrito Federal, alguns com uso de explosivos. Só nos três primeiros meses do ano houve 20 casos, o que representa uma alta de 17,6%, em comparação ao mesmo período de 2011, conforme dados da Secretaria de Segurança (SSP-DF). Em abril, ocorreram outros 10. Segundo o diretor do Sindicato dos Bancários de Brasília, Eduardo Araújo, a situação exige diferentes reforços. “Há falta de vigilantes e também é necessária a ampliação dos itens de segurança", acredita.

Receita ainda aguarda a declaração de 3 milhões

No último dia para fazer o Imposto de Renda, retardatários não devem dar chance ao azar. Envio de dados nos minutos finais da noite está sujeito congestionamento no site da Receita Federal. Aqueles que preferirem entregar em disquete devem estar atentos ao expediente da Caixa e do Banco do Brasil.

A CPI não tem tempo a perder, dizem congressistas

A semana ficou curta devido ao 1° de Maio, mas senadores e deputados prometem trabalho intenso para apresentar, em breve, um cronograma de atividades e definir os primeiros depoimentos da comissão mista. Enquanto isso, lista de políticos visados por grupo de Cachoeira não para de crescer.

Pecuária no DF cresce com tecnologia

Os rebanhos locais estão entre os mais produtivos do país, garantindo carne com alta qualidade. O uso de modernas técnicas também faz a região se destacar no mercado de leite.

Na mão das Farc

Jornalista francês teria sido capturado durante confronto entre Exército colombiano e guerrilheiros no sábado. Episódio sepulta tentativa de trégua anunciada há dois meses.

África sangra

Escalada de conflitos étnicos e religiosos faz do continente um barril de pólvora

Continuar lendo