Jornais: ministro levou família a Cuba em jato oficial

Ministro do Esporte, Aldo Rebelo, usou um avião da Força Aérea Brasileira para ir a Cuba no Carnaval com a mulher, o filho e assessores

Folha de S. Paulo

Ministro levou família a Cuba em jato oficial

O ministro Aldo Rebelo (Esporte) usou um avião da FAB (Força Aérea Brasileira) para ir a Cuba no Carnaval com a mulher, o filho e assessores.

Ele esteve em Havana em missão oficial e justificou a carona à mulher e ao filho dizendo que ambos também foram convidados pelo governo cubano.

Nenhum dos dois representou o governo brasileiro na missão. Quando o ministério publicou nota sobre a viagem de Aldo, em fevereiro, o nome deles não constava na lista oficial da comitiva.

A mulher do ministro, Rita, é coordenadora na Secretaria da Mulher do governo do Distrito Federal, controlada pelo PC do B, mesmo partido de Aldo. Já o filho, de 21 anos, é estudante universitário e estagiário.

A Folha revelou que três políticos usaram aviões da FAB para dar caronas a amigos e parentes a eventos fora da agenda oficial. Depois dos casos revelados, todos anunciaram a devolução dos valores das passagens.

O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), foi o primeiro flagrado dando carona a parentes para ir ver o jogo do Brasil. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), levou a mulher a uma festa de casamento da filha de outro senador em Porto Seguro.

Carona não gerou custo ao governo, diz ministério

Em nota, o Ministério do Esporte disse que a viagem da mulher e do filho do ministro Aldo Rebelo a Cuba, em missão oficial, não gerou custos ao governo. Segundo a pasta, os dois foram convidados pelo governo de Cuba e cumpriram a programação "definida pelo protocolo cubano".

"A esposa e o filho do ministro o acompanharam na viagem a Cuba como convidados do governo daquele país. O ministro cumpriu agenda oficial em reuniões com autoridades. Sua esposa e seu filho cumpriram programação definida pelo protocolo cubano. A presença dos dois não representou acréscimo ao custo da viagem".

O ministério, contudo, admitiu que a mulher e o filho foram em voo da Força Área Brasileira. "A esposa e o filho do ministro, também convidados do governo cubano, o acompanharam na viagem "" em avião da Força Aérea Brasileira", diz a nota.

Segundo a pasta, não houve gastos com hotel, uma vez que a mulher e o filho do ministro "foram hospedados pelo governo de Cuba".

Lula diz que colocará as 'unhas de fora' contra adversários

Em um discurso de mais de uma hora em que criticou as manifestações de rua, a imprensa, as elites, a oposição e até o PMDB, o ex-presidente Lula disse que não tem hora para se aposentar da política e que, em reação a uma suposta ação dos "setores conservadores", vai voltar a colocar as unhas de fora.

O petista, que participou de encontro com movimentos negros em Brasília, afirmou que a presidente Dilma Rousseff sofre mais preconceito do que ele no Planalto.

"A Dilma não é nada mais do que uma extensão da gente lá. Nós somos responsáveis pelos erros e acertos. Mais uma vez os setores conservadores começam colocar as unhas de fora e eu, que já estava cortando as minhas com os dentes, vou deixar a bichinha crescer", afirmou em um momento em que se referia às manifestações de rua.

Ex-presidente faz críticas à mídia durante encontro

O ex-presidente Lula disparou ataques à imprensa durante seu encontro ontem com movimentos sociais.

O petista disse ter sido vítima de "maldade" e "preconceito" em sua gestão. Afirmou que certamente alguns jornalistas estavam irritados por não poderem mais falar mal dele e, na sequência, demonstrou mágoa com um episódio ocorrido em 2004.

"A maldade comigo era tanta que eu ganhei uma bala, mas eu estava sentado na cadeira e não tinha onde guardar. Desembrulhei a bichinha e coloquei o papel com muito cuidado no pé da cadeira. (...) Tamanha foi minha surpresa que a capa do jornal era só o papel de bala."

Ele não fez referência a nenhum veículo de comunicação. Em 2004, a Folha publicou fotos mostrando que Lula comeu um bombom e jogou o papel no chão.

O ex-presidente também insinuou que há preconceito de parte da mídia em relação a sua sucessora, Dilma Rousseff. Para ele, parte da imprensa não deu destaque ao tratamento afetuoso do papa Francisco em relação a Dilma. "Ontem eu vi o papa beijar a nossa Dilma nas duas bochechas e isso não apareceu em muitos canais de TV."

O Estado de S. Paulo

PF suspeita que deputado recebeu terreno de empresa

A Polícia Federal afirma ter encontrado indícios de corrupção passiva dos deputados federais Efraim de Morais Filho (DEM-PB) e Valtenir Pereira (PSB-MT), supostamente envolvidos com a Ideia Digital - empresa que teria sido favorecida em contratos superfaturados com recursos de emendas parlamentares para implantação de internet gratuita em João Pessoa.

A PF interceptou e-mails de um sócio da empresa - Paulo de Tarso - para Efraim, entre 14 e 20 de dezembro de 2010. A correspondência trata de um terreno que, segundo a PF, seria de interesse do deputado, em área do resort Barra do Garaú, litoral paraibano. Da agenda de outro diretor da Ideia consta o nome de Efraim e a palavra "terreno".

A PF cita duas emendas do deputado, no valor de R$ 1,5 milhão, para projetos de inclusão digital na Paraíba com verba do Ministério da Ciência e Tecnologia. A PF captou e-mail de Mário Lago, outro sócio da Ideia, para Tarso. Citam "uma reunião em Brasília" com Efraim. "Há indicativos de ajustes entre esse parlamentar e os sócios da Ideia contemplando as emendas. E-mails reveladores foram encontrados", diz a PF.

A Ideia é alvo de escândalo envolvendo o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), e o vice, Rômulo Gouveia (PSD). Em 2009, a empresa foi contratada com verba de emenda de Gouveia, então deputado federal. Na ocasião, Coutinho era prefeito da capital paraibana. A PF apurou desvio de R$ 1,66 milhão.

Efraim afirma que nunca teve interesse no imóvel

O deputado Efraim Filho disse que soube do empreendimento em Barra do Garaú através do presidente da Associação Brasileira de Turismólogo na Paraíba "como um projeto de desenvolvimento turístico para o Estado". Efraim, parlamentar paraibano, participava de evento em Brasília quando foi procurado pelo presidente da entidade que lhe perguntou se sabia do investimento. A assessoria esclareceu taxativamente que o deputado jamais teve interesse no terreno. "Ele era apenas conhecedor do projeto e foi essa informação que passou adiante. O projeto até hoje sequer saiu do papel por falta de licenças ambientais, o que torna impossível qualquer tratativa que envolvesse terrenos." O gabinete de Efraim destaca que suas emendas destinadas ao Ministério da Ciência e Tecnologia foram vetadas pela presidente Dilma Rousseff e que a PF não o vincula às fraudes envolvendo a Ideia Digital e a prefeitura de João Pessoa. A Ideia Digital rechaçou a PF. "As informações são absurdas, sem fundamentação."

Senadores dizem que texto do PT é ‘incompreensível’

Senadores da base aliada criticaram a resolução do Diretório Nacional do PT, discutida no final de semana, segundo a qual o Senado tem um "funcionamento oligárquico" que ajudou a levar à atual crise de legitimidade do sistema político. Os parlamentares da base rechaçaram a resolução, qualificando-a de "incompreensível" e até de "meio autista".

"É incompreensível, uma vez que nesta legislatura tem sido o Senado que tem dado sustentação ao governo", afirmou o líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira (CE), que disse não se considerar integrante de uma oligarquia, por não ter parente ou familiar na política. Ele disse que, durante o governo Dilma Rousseff, a bancada do partido na Casa "tem sido muito mais fiel" do que a da Câmara dos Deputados, às vezes, destacou, até mais do que o próprio PT, partido da presidente.

O senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES) disse que a crítica feita na resolução traz consigo uma "desfaçatez", pois os petistas, segundo ele, têm sido sócios da atual hegemonia política no Senado. "Me parece uma coisa meio autista", afirmou.

Ministro pede urgência para marco da internet

O governo federal vai pedir a tramitação do marco civil da internet em regime de urgência no Congresso. O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo,já encaminhou a solicitação à Casa Civil ontem. Os recentes episódios de espionagem cibernética nos Estados Unidos contribuem para o Brasil dar prioridade ao assunto.

Ontem, Paulo Bernardo reuniu-se com o presidente do Google Brasil, Fábio Coelho. O ministro admitiu que há divergências pontuais sobre o projeto, mas há um clima mais propício à aprovação.

Segundo Bernardo, a empresa norte-americana se mostrou preocupada com a possível exigência no projeto da construção de datacenter para armazenamento, de dados no Brasil. "O Google afirmou que não é uma questão financeira, mas de arquitetura de redes e de engenharia. Por isso, eles se mostraram resistentes à implantação desses bancos de dados no País." O ministro disse que o armazenamento de dados aqui resolveria pendências judiciais. O governo, disse, terá política pública para o desenvolvimento do setor.

TCU precisa de controle, diz líder do PT

O líder do PT no Senado, Wellington Dias (PI), apresentará em agosto projeto para que integrantes do Tribunal de Contas da União (TCU) e das cortes que julgam finanças de Estados e municípios passem a ser fiscalizados pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Segundo o parlamentar, o caso do ministro do TCU Raimundo Carreiro reforça a necessidade de criação desse controle externo, cujo texto legal vem sendo elaborado desde maio.

Conforme revelou o Estado no domingo, Carreiro mudou seu registro de nascimento para ficar dois anos "mais novo" e, com isso, esticar sua permanência no cargo de ministro do TCU. Assim, ele terá a chance de ocupar a presidência do órgão no biênio 2017-2018 - se não tivesse mudado a idade, ele teria de se aposentar compulsoriamente antes, ao completar 70 anos.

Definido pela Constituição como órgão auxiliar do Poder Legislativo, o TCU não se submete a nenhum órgão de controle externo que avalie condutas de autoridades e servidores ou estabeleça normas e metas de funcionamento e transparência.

Eduardo Campos ‘empareda’ alas do PSB que insistem em apoiar Dilma

O governador de Pernambuco e presidente do PSB, Eduardo Campos, deflagrou um movimento para emparedar alas do partido que ainda resistem a seu. projeto de concorrer ao Planalto em 2014.

Motivado pela queda brusca de popularidade da presidente Dilma Rousseff por seu crescimento nas últimas pesquisas de intenção de votos, ele ampliou o diálogo com diretórios defensores da reeleição de Dilma e com movimentos sociais que orbitam na área de influência do partido. No último sábado, discretamente, 200 dirigentes de movimentos sociais do PSB reuniram-se em Brasília e divulgaram nota de apoio candidatura de Campos. O aumento da adesão a Campos poderia antecipar o lançamento de uma pré-candidatura em setembro.

“Temos uma alternativa a oferecer ao Brasil que é a candidatura a presidente da República do nosso líder, o presidente nacional do Partido Socialista brasileiro, Eduardo Campos”, diz a nota. "A construção da candidatura precisa ser tocada por todos os segmentos do partido. O PSB está unido na decisão de ter candidatura própria, Acreditamos no final de um ciclo que foi liderado pelo PT, disse ao Estado Joílson Cardoso, coordenador do braço sindical do PSB.

Lula promete ‘lutar com unhas afiadas’ por Dilma

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou ontem que vai lutar com "unhas afiadas" para defender a presidente Dilma Rousseff de ataques dos adversários. Em palestra no Museu Nacional, Lula disse que Dilma é vítima de "preconceito" por parte da elite brasileira e sofre "falta de respeito" por ser mulher.

"Dilma não é mais do que uma extensão da gente lá. Nós seremos responsáveis pelos acertos e pelos erros que ela cometer", afirmou Lula. Aplaudido pela plateia, formada em sua maioria por negros que participavam do Festival da Mulher Afro-Latino-Americana e Caribenha, o ex-presidente disse que os "conservadores" começam a "colocar as unhas de fora" para tirar o PT do poder, em 2014 e prometeu ajudar Dilma. "Eles estão com preconceito contra Dilma maior do que o que tinham contra mim. É a maior falta de respeito a uma i mulher da qualidade da Dilma Rousseff. Será que eles têm essa falta de respeito com a mãe deles, com a mulher deles, como têm com a Dilma?", perguntou.

Apesar da fragilidade política do governo, Lula acha que Dilma vai superar os problemas. "Tenho a convicção de que ela está no caminho certo, a despeito das dificuldades que enfrenta." Para Lula, a inflação é um "mal a ser extirpado da política econômica" e o governo precisa fazer um "esforço monstruoso" para impedir seu retomo.

O Globo

Ciro: Dilma pilota aliança com base na 'putaria'

Em entrevista concedida ontem à emissora de rádio Verdinha AM, do Ceará, Ciro Gomes, ex-ministro dos governos Fernando Henrique e Lula, disse considerar urgente a necessidade de uma reforma ministerial que sinalize à sociedade uma ação do governo após os protestos de rua. Mas Ciro questionou a experiência da presidente Dilma Rousseff para liderar esse processo, principalmente por comandar uma aliança política "assentada na putaria e na roubalheira".

Sem meias palavras, Ciro Gomes considerou desastrosa a sequência de pronunciamentos de Dilma na televisão após os protestos.

- A Dilma convocar uma rede de televisão, falar quase 10 minutos, para não dizer absolutamente nada, inventar uma lambança de uma Constituinte exclusiva para fazer a reforma política, não tinha um cartaz na rua pedindo reforma política, embora seja uma pauta emergente para a sociedade brasileira. Depois, trocar os pés pelas mãos nesse negócio dos médicos, porque tem um problema sério, mas resolver desse jeito, esquecendo a condição de trabalho, trazendo médico do estrangeiro sem revalidar o diploma. Essas fórmulas são de uma equipe de quinta categoria - afirmou Ciro.

"Dilma é meio arrogante"

O ex-ministro prosseguiu na crítica destacando que as medidas propostas não deram em nada, e que a presidente deveria fazer uma reforma profunda no ministério, eliminando muitas pastas:

- Dilma não é má pessoa, ela é uma pessoa decente, trabalhadora, é meio arrogante, muito inexperiente, e cercada de gente de quinta categoria, pilotando uma aliança que é assentada na putaria, com licença da má expressão, na fisiologia, na roubalheira, no clientelismo. É isso aí.

Lula: Dilma não deve diminuir o Ministério

Em meio à crise na relação entre o PT e a presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entrou em cena ontem para defender a presidente, apagar o incêndio com o partido e deixar claro que pretende atuar intensamente na política nos próximos anos. Mas sem ser candidato. Diante de um público quase integralmente formado por integrantes dos movimentos negro, de mulheres e do PT, Lula criticou os pedidos - feitos pelo PMDB e setores do PT - para que Dilma reduza o atual número de 39 ministérios, e defendeu as pastas sociais:

- Estou vendo um zum zum zum que tem gente que vai pedir para a presidenta Dilma diminuir ministério. Olha, fiquem espertos, porque ninguém vai querer acabar com o Ministério da Fazenda, com o Ministério da Defesa. Vão querer mexer com a Igualdade Racial, com os Direitos Humanos. Eu acho que a Dilma não vai mexer, eles vão falar que precisa fazer ajuste, precisa diminuir. Não tem que diminuir ou aumentar, tem que saber para que serve.

O ex-presidente desembarcou na capital federal para dar uma palestra no Festival da Mulher Afro Latino-Americana e Caribenha, no Museu da República, e foi recebido aos brados de "Lula, guerreiro do povo brasileiro" e "Olê, olê, olê, olá, Lula, Lula". Com um discurso em tom de campanha, como sempre faz, levantou a plateia:

- Eu não fiz tudo o que fiz na vida para agora achar que estou errado. Eu tô mais motivado, e se alguém pensa "ah, o Lulinha está com 67 anos, pegou um câncer..." Eu não tenho tempo para parar e não preciso ser governo para fazer as coisas nesse país. Se eu incomodo, vou continuar incomodando, vou continuar falando - afirmou, tratando em seguida das divergências entre Dilma e grupos do PT. - Eu acho que a gente tem que dizer claramente: a Dilma não é nada mais do que uma extensão da gente (PT) lá. Nós seremos responsáveis pelos acertos e pelos erros.

Mares Guia sai oficialmente da presidência do PSB em MG

O ex-ministro Walfrido dos Mares Guia foi oficialmente destituído ontem da presidência estadual do PSB de Minas. Em seu lugar, assume amanhã o deputado federal Júlio Delgado, ligado ao grupo político do senador e presidenciável Aécio Neves (PSDB-MG). Desde a disputa eleitoral de 2012, Mares Guia havia se afastado da presidência do partido.

Amigo pessoal do ex-presidente Lula, o ex-ministro foi alijado do cargo logo após o anúncio do rompimento da aliança entre PT e PSB em torno do prefeito Marcio Lacerda no ano passado. Ele defendia que os petistas ocupassem a vaga de vice e participassem da coligação na chapa para vereador. Com o fim da dobradinha, Lacerda foi reeleito com a ajuda de Aécio. Desde então, Mares Guia e Lacerda romperam politicamente.

Médicos vaiam, xingam e se viram de costas para ministro da Saúde

Não está fácil a vida do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, para promover pelo país o programa Mais Médicos. Nos dois últimos dias, em suas viagens ao Pará, Maranhão e Amazonas, ele foi alvo de protestos de médicos contrários ao programa. Houve vaias, gritos de "judas" e até mesmo médicos virando as costas para o ministro.

Padilha, que tenta obter a adesão dos gestores municipais para o programa, usou o Twitter para tentar demonstrar que não está abalado com os protestos. "Com o #maismédicos hoje no Pará, Maranhão e Amazonas, saí mais convicto: sou médico, mas estou ministro da Saúde, como tal penso na saúde dos 200 milhões de brasileiros", relatou na noite de segunda-feira e acrescentou: "Vi manifestações legítimas, mesmo que muitas truculentas e arrogantes. Mas seguiremos em frente, a saúde dos brasileiros em primeiro lugar".

Insatisfeitos, médicos paralisaram atendimento em nove estados

Insatisfeitos com o programa Mais Médicos, do governo federal, e com os vetos à lei conhecida como Ato Médico, profissionais de nove estados - Acre, Ceará, Goiás, Paraná, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Amazonas e Bahia - paralisaram ontem o atendimento médico. Foram suspensas cirurgias, consultas e o atendimento do Programa Saúde da Família. Foram mantidos apenas serviços de emergência, urgência, quimioterapia, hemodiálise, radioterapia e hemoterapia.

Em Brasília, médicos realizaram um ato no Hospital Regional da Asa Norte, usando roupas, tarjas ou laços pretos em sinal de protesto, mas as atividades não foram afetadas. Em Pernambuco, os médicos fizeram ato em frente do Hospital Estadual da Restauração, em Recife. A paralisação atingiu todos os 26 hospitais públicos estaduais, além de unidades federais, municipais e privadas. Na Bahia, os médicos fizeram um protesto em frente ao Shopping Iguatemi, onde uma feira de saúde prestou atendimento gratuito à população.

Correio Braziliense

Lula defende programa Mais Médicos

Sob aplausos de uma plateia com 500 pessoas, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva discursou em defesa do programa Mais Médicos, lançado pela presidente Dilma Rousseff, há duas semanas. “Se os médicos brasileiros não querem trabalhar no sertão, que a gente traga médicos do exterior”, disparou ele, em palestra no Festival da Mulher Afro-Latino-Americana e Caribenha, no Museu Nacional de Brasília. Lula também responsabilizou a “elite” pelo fim da CPMF e a consequente redução dos recursos destinados à saúde.

O ex-presidente tentou afastar a tese de que o programa diminuirá as chances para médicos brasileiros, em um tom de quem ainda está à frente do governo: “Ninguém quer tirar o emprego de ninguém. Longe de mim tirar emprego de brasileiro. O que eu quero é levar médico para quem não tem médico. Isso é o que a gente tem que fazer”, afirmou Lula. Ele afirma que a importação de profissionais é “importante”, enquanto o país não formar os profissionais necessários para preencher as vagas. “Qual é o problema? Qual é o preconceito com a gente de fora?”, provocou.

Sobre a CPMF, ele afirmou que, desde que o imposto foi revogado, a área da saúde perdeu R$ 350 bilhões. “Nós sabemos que é preciso melhorar muito a saúde no Brasil. Todo mundo aqui sabe, a Dilma sabe, eu sei, você sabe. Entretanto, é importante que este país não esqueça que eles, a elite brasileira, a pretexto de diminuir imposto neste país, tirou no primeiro ano do meu segundo mandato a CPMF”. Lula disse ainda que a “elite” tem acesso aos planos de saúde, e que o objetivo seria prejudicá-lo. “A mim não, eu tenho acesso a esses planos (de saúde)”, completou.

Boicote em 14 estados

Médicos de 14 estados paralisaram, ontem, os atendimentos ambulatoriais e os de cirurgias programadas, segundo o balanço da Federação Nacional dos Médicos (Fenam). Funcionaram somente a urgência e emergência dos centros de saúde. Já há outras mobilizações previstas para os dias 30 e 31. “Estamos nos preparando para uma grande marcha a Brasília, em 8 de agosto”, disse Ferreira. Além disso, as associações de classe continuam agindo contra a medida provisória (MP) que instituiu o programa Mais Médicos, na Justiça. Ainda ontem, a Fenam entrou com uma ação civil pública por alterações na MP. Na última sexta-feira, o Conselho Federal de Medicina (CFM)solicitou a suspensão do programa na Justiça Federal, e a Associação Médica Brasileira (AMB) também promete acionar os tribunais, esta semana.

A mobilização contra o Mais Médicos — que prevê a contratação de profissionais formados no exterior para trabalhar em áreas carentes — ocorre, principalmente, por não ser exigida a revalidação do diploma. A proposta também aumenta em dois anos a graduação em medicina, por meio da inclusão de um segundo ciclo de trabalho em urgências e unidades básicas de saúde. No Distrito Federal, não houve greve, mas, sim, uma manifestação liderada pelo Sindicato dos Médicos do Distrito Federal (SindMédico), que solicitou à categoria para trabalhar usando roupas, tarjas ou laços pretos. A adesão foi tímida.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!