Jornais: Alstom orientou diretores a pagar propinas, diz MP suíço

Presidente da empresa no País pediu a diretores que acionassem lobista e citou ‘bom relacionamento’ com tucanos

O ESTADO DE S. PAULO

Alstom orientou diretores a pagar propinas, diz MP suíço

Documentos enviados pela Procuradoria da Suíça ao Brasil reforçam, segundo investigadores do caso Alstom, suspeitas de corrupção e pagamento de propina em contratos da empresa em São Paulo, informam Fausto Macedo c Ricardo Chapola. Em e-mail de 15 de novembro de 2004, o então presidente da Alstom no Brasil, José Luiz Alquéres, “recomenda enfaticamente” a diretores que utilizem os serviços de Arthur Gomes Teixeira, apontado pelo MP como lobista e pagador de propinas a servidores de estatais do setor metroferroviário do governo paulista, entre 1998 e 2003. Na mensagem, Alquéres destaca o “bom relacionamento” com os governantes. Na época, José Serra fora eleito prefeito de São Paulo e Geraldo Alckmin era governador. Os tucanos negam ter beneficiado a Alstom.

Improbidade

Um dos projetos citados nos e-mails enviados pelos procuradores suíços foi alvo de ação de improbidade movida pela promotoria de SP.

BNDES deve financiar hospitais de planos de saúde

O governo estuda abrir linha de crédito do BNDES para financiar empresas de planos de saúde, segundo o presidente da ANS, André Longo. O objetivo é oferecer crédito para investimento na ampliação das redes hospitalares privadas. O pedido partiu das operadoras, que dizem não ter como bancar os investimentos.

Merkel diz que os EUA grampearam seu celular

A chanceler alemã, Angela Merkel, telefonou ontem para o presidente americano, Barack Obama, exigindo explicações após saber que seu celular pessoal teria sido grampeado pela inteligência dos EUA. Obama assegurou à líder alemã que suas comunicações não estão sendo espionadas.

Setor privado contesta editais sobre portos e aeroportos

O setor privado foi à Justiça contra planos para arrendamento dos portos e concessão de aeroportos. Os editais dos portos foram questionados no Paraná, na Bahia, no Pará e em São Paulo. Nos aeroportos, foi condenada regra que limita a 15% a participação dos operadores de Guarulhos, Campinas e Brasília na disputa por Galeão (RJ) e Confins (MG).

Governo tem pressa para explorar Libra

Em reunião do governo, foi apresentada a ideia de a Petrobrás pagar o bônus de assinatura já em novembro, para que o consórcio possa iniciar a produção em Libra o quanto antes.

Renegociação de dívidas ajuda a capital paulista

A Câmara aprovou a renegociação de dívidas de Estados e municípios, o que permite aumento do endividamento da Prefeitura de São Paulo em até R$ 24 bilhões. Com isso, Fernando Haddad poderá contratar novos financiamentos.

Contra o made in China

Entidades ligadas ao setor têxtil protestam contra o aumento das importações da China e da índia.

Dora Kramer: parece piada

As propostas de mudanças eleitorais aprovadas pela Câmara são realmente minis, mas, diante do modelo falido, de reforma não têm nada.

 

 

O GLOBO

Renegociação de municípios e estados ameaça Lei Fiscal

Por ampla maioria, a Câmara dos Deputados aprovou projeto que altera o índice de correção das dívidas de estados e municípios com a União e ainda retroage até 1997, o que, para especialistas, fere a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

No total, as dívidas de estados e municípios chegam hoje a R$ 468 bilhões. Só a prefeitura de São Paulo, comandada pelo petista Fernando Haddad, abateria R$ 24 bilhões de R$ 54 bilhões. A renegociação, que precisa passar pelo Senado, pode levar à revisão da nota de risco do Brasil. Mais cedo, o FMI divulgou relatório em que critica a política fiscal brasileira e prevê potencial menor de crescimento para o país.

Nova era do pré-sal: Petrobras diz já ter R$ 6 bi de Libra

A presidente da Petrobras, Graça Foster, disse que a estatal já tem os R$ 6 bi para pagar o bônus pelo Campo de Libra. Para isso, disse, não precisa do reajuste da gasolina. A Petrobras também ofereceu 8,56% de reajuste a petroleiros em greve. (Págs. 1 e 29, Agostinho Vieira e Carlos Alberto Sardenberg)

Privatizar ferrovias só em 2014

O TCU rejeitou estudos feitos para concessões no setor, e o governo agora corre para fechar nova proposta.

Infraero: Gleise rebate Moreira

Ministra diz que Infraero ficará com 49% de cada aeroporto a ser privatizado.

A hora da conta: PMDB discute relação com Dilma

Diretórios do PMDB em seis estados querem forçar o partido a realizar uma convenção para impor condições de apoio a Dilma na eleição de 2014.

Promessa não é meta: a matemática das creches públicas

Dilma ontem contestou a meta de construir 8.685 creches, citada pelo GLOBO. Disse que são 6 mil, embora tenha prometido 8.685 em programa de rádio em abril. (Págs. 1 e 4)

Celular vigiado: espionada, Merkel reclama com Obama

A chanceler alemã telefonou para o presidente Obama para cobrar explicações sobre indícios de espionagem em seu celular. O governo americano nega as acusações.

Crise europeia: Espanha sai, enfim, da recessão

País registrou crescimento de 0,1% no terceiro trimestre, após dois anos no vermelho, o que se configurou na mais longa recessão em 38 anos. Desemprego persiste. (Págs. 1 e 31)

EUA: maioria apoia maconha legalizada

Pela primeira vez, a maioria dos americanos — 58%, segundo o Galupp — apoia a legalização da maconha. O índice é dez pontos percentuais acima do registrado em 2011 e oito pontos maior em relação à pesquisa de 2012. O uso da droga já foi aprovado nos estados de Washington e Colorado.

 

 

FOLHA DE S.PAULO

FMI prevê que Brasil crescerá menos e critica política fiscal

Relatório aponta 'erosão gradual' das contas públicas e diz que país precisa elevar taxa de investimento para PIB subir

'Não pensa que é mole', diz Dilma sobre a Presidência

A presidente Dilma Rousseff afirmou que "não é mole" exercer o cargo. "Não pensa que é mole, não. Todos os dias sou obrigada a aprender, tenho que estar aberta para aprender", disse Dilma em Minas Gerais

Haddad sofre revés e Câmara adia votação do novo IPTU

Sem apoio para a aprovação, a base aliada do prefeito Haddad (PT) adiou para hoje a votação do IPTU. Partidos que apoiaram o prefeito  neste ano, como PSD, PV e PSB, não aprovaram o reajuste do imposto

Pegando fogo

Manifestante pula catraca em chamas em protesto do Movimento  Passe Livre por transporte no Grajaú, na zona sul de SP

Merkel cobra Obama por possível escuta em seu celular

A chanceler Angela Merkel cobrou o presidente Barack Obama após a Alemanha dizer ter indícios de que o celular pessoal dela foi vigiado pelos EUA

SP vê filme sobre Guimarães Rosa que filhas querem vetar

Exibido hoje na Mostra de Cinema de SP, o documentário "Outro Sertão" traz a atuação do escritor Guimarães Rosa (1908-1967) como diplomata em Hamburgo

Pé de Pato

Alexandre Pato lamenta, e Renato Gaúcho, técnico do Grêmio, comemora com Alex Telles, após o corintiano desperdiçar o pênalti que eliminou a equipe da Copa do Brasil; 'Eu havia treinado assim', justificou o atacante

 

CORREIO BRAZILIENSE

Voto aberto avança no Congresso. Já no DF...

A Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ) aprovou, ontem, proposta de emenda à Constituição que acaba com o voto secreto em todas as sessões do Congresso e dos legislativos nos estados, nos municípios e no Distrito Federal. Para valer, o texto precisa ainda ser aprovado em dois turnos no plenário do Senado. Enquanto o país aplaude o avanço da medida, Brasília assiste, perplexa, a um retrocesso. Aqui, a Câmara Legislativa já até aprovou o fim das sessões secretas em processos de cassação de parlamentares. Mas, por decisão do Tribunal de Justiça, terá de julgar, em sigilo, o caso do deputado distrital Raad Massouh, acusado de desviar dinheiro destinado a evento em Sobradinho.

Câmara empurra fim da censura a biografias para STF

O projeto que regulamenta a publicação de obras sem autorização prévia deve demorar a ser votado, mesmo com as promessas de agilidade dos deputados. O Supremo pode acabar resolvendo a polêmica antes.

Lei muda e ajuda Haddad

A capital paulista é uma das maiores beneficiadas pela lei que prevê a renegociação das dívidas de estados e de municípios.

FMI diz que o Brasil piorou

Fundo Monetário faz duras críticas aos rumos da economia do país e reduz as estimativas para o crescimento.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!