Flordelis apela a colegas para não ter mandato cassado: “pelo amor de Deus”

A deputada Flordelis (PSD-RJ), apontada como mandante do assassinato do marido, pastor Anderson Carmo, enviou um pedido de socorro na madrugada de hoje em um grupo de Whatsapp da bancada feminina da Câmara do Deputados. Na mensagem ela diz que “jura” que vai conseguir provar a inocência e pede “pelo amor de Deus” para não ter o mandato cassado. Segundo uma deputada do grupo das parlamentares, nenhuma integrante se manifestou. “Deram a ela o silêncio como resposta”, disse a fonte ao Congresso em Foco.

Flordelis diz que os colegas “não se arrependerão” de a ajudarem. Ela também afirma que “não sabia” que o marido estava fazendo coisas que “serão reveladas nos próximos dias”. A deputada  conta que apesar de ganhar, em média, R$ 30 mil por mês, depende de cestas básicas para comer com os filhos, porque paga financiamento da casa, luz, água, gás e remédios.

A deputada foi denunciada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, acusada de homicídio triplamente qualificado, homicídio tentado, associação criminosa, uso de documento ideologicamente falso e falsidade ideológica. O MP pediu a prisão de Flordelis, mas o pedido não foi aceito porque ela possui imunidade parlamentar.

No início da semana, o PSD afirmou que abriu processo de expulsão da deputada e suspendeu sua filiação. Eventual cassação do mandato pelo Conselho de Ética depende de decisão da maioria do colegiado, que será posteriormente submetida ao Plenário da Casa. No entanto, as comissões ainda não foram instaladas em 2020 em função da pandemia, o que inviabiliza uma decisão neste momento.

> Polícia conclui que Flordelis é mandante do assassinato do marido 

Mensagem da deputada Flordelis em grupo de WhatsApp da bancada feminina. Foto: Reprodução

Mensagem da deputada Flordelis em grupo de WhatsApp da bancada feminina. Foto: Reprodução

O caso da deputada reacendeu a discussão sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 333/2017, conhecida como PEC do foro privilegiado, de autoria do senador Álvaro Dias(Podemos-PR). O texto foi aprovado no Senado ainda em 2017, mas está engavetado na Câmara dos Deputados.

Senadores do movimento Muda Senado assinaram esta semana um documento pedindo urgência na votação da Câmara. “O que está em jogo é a credibilidade do Parlamento, não podemos permitir que a descrença nas instituições ponha em risco o legado conquistado a duras penas no pós-Anos de Chumbo”, diz o documento.  Na Câmara, líderes também pressionam o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) para a instalação de uma comissão de ética que avalie o caso.

Leia a íntegra da mensagem de Flordelis:

Boa noite a todas
Estou aqui para pedir ajuda
Estou sendo denunciada por coisas que não fiz
Não matei meu marido e não mandei matar
Fui indiciada por mensagens que não escrevi
Minha filha confessou em juízo que pegou meu celular e escreveu e enviou as mensagens se fazendo passar por mim para conseguir o que ela queria
Vou enviar no domingo o depoimento dela
Minha outra filha também me pediu perdão porque fez a mesma coisa
Eu não sabia que meu marido estava fazendo coisas que serão reveladas e provadas nos próximos dias não sabia mesmo 😭😭😭😭😭😭😭
Querem caçar meu mandato venho aqui pedir a vocês pelo amor de Deus não deixem que façam isso comigo eu juro que vou conseguir provar a minha inocência e que vocês não se arrependerão de me ajudarem
Estão dizendo que mandei matar por poder e dinheiro
Que poder?
Que dinheiro?
Vou enviar meu extrato bancário pra vocês
Estou vivendo com quase a metade do meu salário porque tive que pegar empréstimo minha casa é financiada está no nome de terceiros porque a onze anos atrás não tínhamos como financiar uma casa
Ainda pago esse financiamento
Meu marido morreu e sua conta estava no vermelho
Também fui vencedora e tem políticos se aproveitando da situação para tentarem me destruir
Ganhei a reforma da minha casa porque estava cheia de vazamentos e hoje dependo de cestas básicas para comer com meus filhos porque pago financiamento da minha casa luz água gás remédios
Eu não fui julgada nem condenada fui indiciada denunciada pela promotoria tenho direito de lutar para provar minha inocência mas se caçarem meu mandato estão me tirando o direito de lutar porque vou para prisão
Não gosto de criticar veículos de imprensa, mas o veículo em questão tem narrativa e sensacionalismo e mentiras
Me deixem solta para lutar e isso só será possível com a não caçassão do meu mandato
Eu vou conseguir fazer justiça a verdadeira justiça pela morte do meu marido porque nada justifica terem matado ele
Me ajudem

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!