Divulgação de supersalários gerou 50 ações contra o site

A maioria dos processos era idêntica e foi patrocinada pelo Sindicato dos Servidores do Legislativo

Uma série de reportagens do Congresso em Foco revelou vencimentos pagos acima do limite constitucional a políticos, autoridades e servidores no Executivo, Judiciário e Legislativo. Alguns servidores chegaram a receber quase R$ 46 mil mensais. Devido à publicação das reportagens, o site foi alvo de 50 processos, a maioria idêntica e sob a tutela dos mesmos advogados patrocinados pelo Sindicato dos Servidores do Legislativo (Sindilegis). Até agora, não houve nenhuma decisão desfavorável ao Congresso em Foco.

Juiz nega indenização a ex-diretor do Senado

O próprio presidente do grupo, Nilton Paixão, é também dono de um supersalário. Em maio de 2011, ele recebeu R$ 33.396 brutos. Ele integra uma cúpula de funcionários da Câmara que, num período de 18 meses, entre janeiro de 2010 e junho de 2011, recebeu, em média, R$ 44 mil mensais.

De acordo com a Constituição, nenhum funcionário público ou ocupante de cargo político pode receber mais que o valor pago aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). O teto, que era de R$ 26,7 mil até dezembro passado, subiu este mês para R$ 28 mil.

Inicialmente, 43 servidores ingressaram no Juizado de Pequenas Causas para pedir indenizações por danos morais. O ex-diretor-geral do Senado Haroldo Tajra, no entanto, acionou a Justiça comum alguns meses depois, em março de 2012, a fim de pedir uma indenização mais alta, equivalente a 2,5 vezes o valor que o site divulgou. O pedido foi negado pelo juiz Matheus Stamillo Santarelli Zuliani, da 10ª Vara Cível de Brasília.

O ex-diretor-geral assumiu o cargo depois do escândalo dos atos secretos no Senado em 2009. Inicialmente o mandato seria de 90 dias, mas Tajra deixou o cargo em fevereiro de 2011. Em seu discurso de posse no cargo, ele afirmou que sua gestão seria voltada para a total transparência das ações do Senado, além do aprimoramento da gestão de pessoal.

Atualmente, Tajra é diretor do Interlegis, uma secretaria do Senado responsável pela execução do Programa Interlegis, que tem por missão modernizar e fortalecer o Poder Legislativo nos níveis municipal, estadual e federal por meio da capacitação de servidores e parlamentares.

Leia ainda:

TCU vê rombo de R$ 157 milhões por ano com supersalários

Legislativo está no topo da cadeia dos supersalários

MP investigará divulgação de salários do Senado

Veja quem são os funcionários que integram a turma do milhão

Um contracheque de meio milhão líquidos

Câmara paga cerca de 2 mil supersalários

Um quinto dos servidores do Senado tem supersalário

Senado paga até R$ 765 mil por ano a servidora

Juiz absolve Congresso em Foco no Caso Sindilegis

Exclusivo: um quarto do Congresso tem supersalário

Exclusivo: todos os supersalários do Senado

Por que estamos publicando a lista

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!