Artigo: “A coragem e a dignidade de Dilma calaram senadores”

Para autor, presidente "sairá do julgamento de espírito elevado e o Senado, completamente desmoralizado"

Laurez Cerqueira *

Os senadores golpistas não esperavam que Dilma fosse ao Senado fazer a própria defesa. Fosse lá encará-los e desafiá-los a provar que ela cometera crime de responsabilidade.

Talvez tenham pensado que seria uma sessão sobre a qual teriam domínio, como de costume, mas não foi bem assim.

O discurso de Dilma foi tão forte e esclarecedor sobre as tramas e conspirações que levaram ao golpe que os fez calar.

Os senadores saíram pela retórica, coisa que eles estão acostumados a fazer. Mas, num julgamento, apenas a retórica não vale.

A defesa dela foi impecável. Senadoras e senadores como Ana Amélia, Aloysio Nunes, Aécio Neves, Cássio Cunha Lima e outros desceram da tribuna de rabo entre as pernas.

O Brasil conheceu, mais uma vez, a coragem e a dignidade de Dilma, que enfrentou na vida dois tribunais injustos: o da ditadura militar e o do golpe parlamentar, no Senado. Os dois por lutar pela democracia e pela justiça.

Dilma não cometeu nenhum crime. E os senadores e senadoras golpistas sabem disso.

Ela sairá do julgamento de espírito elevado. O Senado, completamente desmoralizado, rebaixado e exposto ao Brasil e ao mundo como uma instituição dominada por um bando de ratos.

 

* Laurez Cerqueira, jornalista e assessor técnico da Câmara dos Deputados, foi assessor especial da então ministra Dilma Rousseff, atuando na produção de discursos e outros textos.

 

Veja também:

Por que o impeachment não é golpe

Mais sobre o impeachment

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!