Condenado por chefiar milícia será candidato à prefeitura no RJ

A disputa pela prefeitura do Rio de Janeiro contará com um candidato que ficou preso por dez anos, condenado por chefiar milícias. O ex-vereador Jerônimo Guimarães Filho (PMB-RJ), conhecido como Jerominho, pretende ir às urnas. Em 2008, o pré-candidato, que é ex-policial e na época exercia o segundo mandato de vereador, foi preso acusado de ligação com a milícia Liga da Justiça.

> ‘Indulto de Bolsonaro a policiais favorece milícia’, afirma policial civil

O nome do ex-vereador está no relatório da CPI das Milícias, que foi apresentado pelo hoje deputado federal e também pré-candidato à prefeitura Marcelo Freixo (Psol-RJ), e indiciou 226 pessoas por envolvimento com os grupos criminosos.

Jerominho cumpriu pena entre 2008 e 2018. Além dele, o irmão e ex-deputado estadual Natalino José Guimarães, o filho Jerominho Luciano Guinâncio Guimarães e o gento Luiz Malvar, também foram presos acusados de liderar a milícia. Todos são ex-policiais.

Ao Estadão, Jerominho negou que tenha cometido qualquer crime ou mesmo que tenha pertencido à milícias. O ex-presidiário afirmou que é um líder comunitário.

A primeira versão desta matéria, contava com a informação de que Jerominho também havia sido condenado por assassinato, o que não confere. Segue a nota da família.

"A  família Jerominho salienta que não há registrada nenhuma condenação baseada no que foi publicado. Estamos abertos a qualquer tipo de conversa para esclarecer os assuntos que envolvam Jerominho, mostrando a importância do diálogo e a veracidade dos fatos".

> Sergio Moro vai pra cima do Congresso em 2020; veja as propostas

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!