Estamos mudando o site. Participe enviando seus comentários por aqui.

Bolsonaro é oficializado como candidato à presidência; assista

O PSL oficializou, neste domingo (22), capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro como candidato à presidência da República. Depois de tentativas frustradas de alianças, o evento ocorreu sem a definição sobre o seu vice. O partido tem até o fim do prazo legal, em 5 de agosto, para tomar uma decisão.

Assista aos discursos na convenção:

 

No evento, no Rio de Janeiro, Bolsonaro foi ladeado por aliados que sonhava em ter como vice: o senador Magno Malta (PR), o general reformado do Exército Augusto Heleno (PRP) e a advogada Janaína Paschoal. Os dois primeiros foram impedidos pelos partidos de formalizarem aliança com o presidenciável. Janaína é apontada como a bola da vez. Porém, ela disse que ainda não se decidiu se aceitará o convite.

"A possibilidade [de ser vice] muito me honra. Mas algo tão sério precisa ser bem discutido", disse a advogada no evento, que reúne cerca de 2,5 mil pessoas. Ela foi uma das autoras do pedido de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

Malta, Augusto Heleno e Janaína discursaram enaltecendo características de Bolsonaro, como "ser cristão" e "dizer a verdade". Com isso, o partido tenta passar a imagem de que o presidenciável não está isolado na corrida eleitoral, o que vem sendo apontado por causa da dificuldade de formalizar alianças.

Bolsonaro chorou durante a execução do hino nacional na convenções que oficializou sua candidatura
Reprodução
Logo após por anúncio da candidatura, o presidenciável discursou por cerca de uma hora. Ele afirmou que, se eleito, irá extinguir boa parte das estatais e manter apenas as "estratégicas"; vai "valorizar" militares do Exército, Marinha e Aeronáutica, sinalizando que entregará cargos do governo a estas classes; mudará a chamada "lei da palmada", que impede que pais castiguem os filhos; e vai reforçar as normais para delimitar propriedade privada.

Em sua fala, Bolsonaro também disse que "não é o salvador da pátria", em uma referência ao seu nome do meio (Messias). Logo em seguida, porém, sinalizou que seria o "escolhido". "Há uma citação que diz que 'Deus não chama os capacitados, capacita os escolhidos'", disse ele. O candidato também se chamou de "patinho feio" das eleições.

No discurso, o candidato aproveitou para criticar o chamado "centrão", que no fim da última semana aprovou apoio ao pré-candidato Geraldo Alckmin (PSDB).  "No mínimo 40% desses deputados [do centrão] estão conosco e não concordam com as decisões tomadas por essas legendas", afirmou.

Também são oficializadas na convenção as candidaturas do filho mais velho do presidenciável, Flávio Bolsonaro, que tentará eleição como senador, e dos demais postulantes do partido a cargos federais.

Continuar lendo