Flávio Dino anuncia desfiliação do PCdoB e deve migrar para PSB

O governador do Maranhão, Flávio Dino, pediu a desfiliação do PCdoB. Ele deixa partido após 15 anos de atuação e o que se ventila é que o destino dele será o PSB. O nome dele é visto como uma possível aposta dos socialistas para majoritária - Planalto ou Senado - em 2022.

Em carta, encaminhada à presidente da legenda, Luciana Santos, datada desta quinta-feira (17), o governador afirma que "derrotar o projeto antinacional e antipopular que se instalou no Brasil é tarefa central e emergencial". Ele disse também acreditar em "uma Frente da Esperança que será vetor decisivo para um novo clico".

Leia a carta:

No início da tarde, Flávio Dino postou nas redes sociais a decisão pela desfiliação.

O governador, único do partido atualmente, reconheceu discordâncias em estratégias e táticas da legenda, mas reforçou o papel do PCdoB na história política nacional.

"Diferenças que hoje temos, de estratégia e tática políticas, são menos importantes do que o meu reconhecimento ao papel histórico do partido na defesa de um novo projeto nacional de desenvolvimento para o Brasil", escreveu.

Flávio Dino sai do partido levando o secretário de Comunicação do Maranhão, Ricardo Cappelli.

Um dos motivos dessa saída de Dino é a busca pela sua manutenção eleitoral diante do risco de o partido sucumbir nas eleições de 2022 devido à cláusula de barreira. Atualmente em tramitação no Congresso, o projeto que cria a federação partidária é tido como uma tábua de salvação para as siglas menores na medida em que permitiria a união entre elas para que atuassem como um único partido. Apesar de ter ganhado urgência para votação em plenário, a proposta segue no aguardo de ser pauta.

Enquanto as mudanças na legislação eleitoral não avançam, os socialistas flertam uma fusão justamente com o Partido Comunista Brasileiro. O movimento de Dino reforça a tese da junção das duas siglas.

> “Bolsonaro é inconstitucional do cabelo ao pé”, diz Flávio Dino

Continuar lendo