Flávio Dino contradiz informações da Saúde sobre cepa indiana no Maranhão

Enquanto o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciava o envio de 600 mil testes rápidos ao Maranhão para , o governador do estado, Flávio Dino, contradizia o chefe da pasta pelas redes sociais. “Ele diz que debateu sobre o Maranhão com com os secretários municipais de Saúde de São Paulo e do Rio. E com o prefeito de Guarulhos. Menos com o governo do Maranhão”, criticou.

O Ministério informou que vai focar na “busca ativa” de pessoas contaminadas pela cepa indiana com aumento na testagem de pacientes sintomáticos e assintomáticos. O Maranhão é o primeiro estado do Brasil a diagnosticar uma pessoa com a nova variante indiana. O paciente está internado em um hospital particular de São Luís. O Ministério, no entanto, disse que o paciente estava em um hospital público.

Barreiras

Em São Paulo, passageiros vindos do Maranhão que passarem na rodoviária do Tietê ou pelas rodovias Fernão Dias e Dutra serão testados. Caso o resultado seja positivo, a pessoa será isolada. Uma pesquisa genética vai mostrar se a variante é a indiana ou não. A medida também será inserida em outras cidades.

Ao todo, serão distribuídos 2,4 milhões de testes rápidos no país. Voos vindos do Reino Unido, Índia, África do Sul e Irlanda do Norte seguem proibidos. Devido às novas cepas, passageiros que estiveram nestes países só podem entrar no Brasil após quarentena de 14 dias, teste e preenchimento de declaração de saúde.

Mais uma vez, Dino comentou a decisão do Ministério pelas redes.

Luana Araújo

Neste sábado, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) protocolou requerimento de convocação da ex-secretária de enfrentamento à covid-19, Luana Araújo, que ficou pouco mais de uma semana no cargo antes de pedir exoneração. Alessandro quer entender os motivos que levaram a saída da ex-secretária.

Questionado sobre o motivo da saída do cargo, Marcelo Queiroga negou ter sofrido pressão do Planalto pela demissão da especialista, mas disse que não comentaria mais sobre o caso. Antes de assumir o cargo, Luana criticou o uso do chamado "kit covid", ao que chamou de "neocurandeirismo".

Os senadores votam na próxima quarta-feira (26) uma série de requerimentos para a CPI da Covid.

> Viagem a Israel discutiu terrorismo estatal, liberdade de culto e missão espacial


 

Continuar lendo