Governo revê projeções e pode desbloquear R$ 4,8 bilhões do orçamento

O Ministério da Economia anunciou nesta sexta-feira (21) a redução da previsão de déficit primário para este ano, de R$ 286 bilhões (3,5% do PIB) para R$ 187 bilhões (2,2%). A mudança na projeção se deu, segundo o governo, principalmente pela melhora nas estimativas de receitas, o que reflete a reaceleração da economia.

O conteúdo deste texto foi publicado antes no Congresso em Foco Premium, serviço exclusivo de informações sobre política e economia do Congresso em Foco. Para assinar, entre em contato com comercial@congressoemfoco.com.br.

Os dados estão no Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas Primárias do 2º bimestre, elaborado pela Secretaria Especial de Fazenda da pasta. Com a melhora do cenário, o secretário de Fazenda, Bruno Funchal, anunciou que passa a ser possível a liberação de R$ 4,8 bilhões, dos R$ 9,3 bilhões bloqueados no orçamento deste ano.

Leia a íntegra do relatório:

Pela projeção divulgada nesta sexta, o governo ainda tem um déficit de R$ 4,5 bilhões para cumprir o teto de gastos. Funchal ressaltou ainda que caberá à Junta de Execução Orçamentária (JEO) definir como os recursos desbloqueados serão utilizados e quais áreas serão beneficiadas.

O Ministério da Economia destacou ainda que as projeções consideram a manutenção dos vetos de quase R$ 20 bilhões ao Orçamento deste ano, feitos pelo presidente Jair Bolsonaro e que ainda precisam ser votados no Congresso.

>>Educação concentra maior bloqueio de verbas do orçamento deste ano

>>Bolsonaro opera orçamento paralelo para aliados, indica jornal

Continuar lendo