Os 21 jornalistas que votarão no Prêmio Congresso em Foco

Se fosse uma redação, estaria com certeza entre as mais competentes e plurais do país. Um time de craques, reunindo tanto nomes muito conhecidos do jornalismo político nacional quanto jovens talentos.

Abaixo, os 21 jornalistas que escolherão os senadores e deputados mais bem avaliados pelos profissionais de imprensa que acompanham as atividades dos parlamentares. O “júri” de jornalistas é uma inovação do regulamento deste ano. Até o ano passado havia uma votação, aberta aos colegas interessados, mas que na prática ficava praticamente restrita aos jornalistas presentes fisicamente no Congresso.

Como demonstraram a pandemia de covid-19 e o isolamento social por ela imposto, o teletrabalho possibilita, nos tempos de hoje, acesso às melhores fontes e às informações mais quentes, o que tornava anacrônico limitar a consulta aos jornalistas credenciados da Câmara e do Senado, como ocorria.

Para garantir representatividade, convidamos profissionais de diferentes veículos, perfis etários, visões de mundo e trajetórias jornalísticas. Pela primeira vez, votam jornalistas de outras cidades, como Dora Kramer (Veja) e Ascânio Seleme (O Globo), ambos residentes no Rio. Ou Reinaldo Azevedo (Rádio Band News, UOL e Folha), que mora em São Paulo.

No Prêmio Congresso em Foco, são homenageados os escolhidos pelos jornalistas, por um júri especializado e pelo público, que manifestará suas preferências entre 17 e 31 de julho.

> Vote agora no Prêmio Congresso em Foco 2020

> Primeira parcial: veja quem saiu na frente

Veja a seguir a relação dos profissionais que indicarão os senadores e deputados mais bem avaliados pelos jornalistas no Prêmio Congresso em Foco 2020:

Amanda Audi – repórter do site Intercept Brasil em Brasília, tem como foco central de trabalho o acompanhamento da política e dos direitos humanos. Formada pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), já colaborou para veículos como Folha de S.Paulo, O Globo, Gazeta do Povo, TV Globo, Congresso em Foco e Poder360, entre outros.

Ângela de Oliveira – repórter da Record TV no Congresso. É graduada pelo Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Trabalhou nas rádios Transamérica, Globo e CBN na cobertura local e nacional. Atua no jornalismo político e econômico há quase 30 anos, período em que também foi setorista do Palácio do Planalto.

Ascânio Seleme – colunista do jornal O Globo, do qual foi diretor de redação e correspondente em Paris. Iniciou-se como jornalista em Florianópolis (SC) e também atuou em Brasília, Belo Horizonte e no Rio. Passou pela TV Globo, IstoÉ e Gazeta Mercantil, entre outros veículos. Tem vários prêmios jornalísticos, incluindo três Esso.

Dora Kramer – colunista de política da revista Veja, começou no jornalismo em 1973 e passou por diversos veículos, como Agência Folha e Jornal do Brasil, onde ficou por 20 anos e inaugurou a coluna de política no espaço antes ocupado por um dos maiores ícones do jornalismo político brasileiro de todos os tempos, Carlos Castello Branco.

Glauciene Lara – coordenadora-geral da TV Senado e apresentadora do programa de entrevistas Salão Nobre. Mineira, formou-se em Jornalismo pela UFMG e tem mestrado em Comunicação Social pela Universidade de Brasília. É especialista em Ciência Política pelo Instituto Legislativo Brasileiro (ILB). Cobre o Congresso há 11 anos.

Guilherme Amado – colunista na revista Época e na CBN, é vice-presidente da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji). Também é membro da International Consortium of Investigative Journalists (ICIJ) e parceiro da John S. Knight Journalism Fellowships at Stanford. É dele, em parceria com Lauro Jardim, o furo das delações da JBS.

Isabel Mega – apresentadora no Band News TV e âncora da Rádio Bandeirantes, em São Paulo. Está desde abril de 2013 no grupo Bandeirantes, onde atuou como repórter local e nacional antes de exercer as atuais funções. Antes, fez estágio e foi produtora da Empresa Brasil de Comunicação (EBC).

José Maria Trindade – correspondente da Rede JP e diretor da rádio Jovem Pan Brasília, é comentarista político da emissora e jornalista da Rede Vida na capital federal. Acumula mais de 25 anos de experiência na cobertura jornalística do Congresso Nacional. Mineiro de Medina, formou-se em Jornalismo em Belo Horizonte, em 1983.

Juliana Cezar Nunes – coordenadora-geral do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do DF. É graduada em Comunicação Social e mestra em Jornalismo pela UnB. Jornalista da EBC (licenciada), atuou no Correio Braziliense, na Agência Brasil, na Radioagência Nacional e na Rádio Nacional. Já foi agraciada com os prêmios Vladimir Herzog, Líbero Badaró e Tim Lopes.

Julianna Sofia – secretária de redação da sucursal da Folha de S.Paulo em Brasília. No jornal desde 2000, atuou por muito tempo na cobertura de temas econômicos. Trabalhou antes nos jornais Extra, Correio Braziliense e Jornal de Brasília. Venceu os prêmios SIP de Excelência Jornalística, Grande Prêmio CNT e Prêmio CNH.

Leonardo Cavalcanti – editor do SBT. Apresentou o programa de entrevistas CB.Poder (Rede TV) e colaborou com a revista Newsweek. Foi editor sênior do Poder360 e de política do Correio Braziliense. Pós-graduado em Comunicação e Ciência Política, recebeu os prêmios Andi, Vladimir Herzog, Embratel, CNT de Jornalismo e República (ANPR).

Lincoln Macário – jornalista concursado da Câmara dos Deputados, atua como âncora na Rádio Câmara e na TV Câmara. Entre outros, exerceu os cargos de editor e apresentador da TV Brasil, repórter da CBN, editor-chefe e apresentador da TV Band Brasília e repórter e produtor da Rede TV. Presidiu o Sindicato dos Jornalistas de Brasília entre 2010 e 2013.

Luciana Lima – repórter do site Metrópoles. Jornalista formada pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), atua em redações de jornal, rádio, TV e internet desde 1998. Seu foco central é a cobertura dos fatos políticos e dos bastidores do Congresso e do Palácio do Planalto. Participou da cobertura das últimas campanhas eleitorais.

Marina Oliveira – editora do Congresso em Foco. Tem passagens por rádio, revistas e jornais. Participou da cobertura da Operação Lava Jato, em Curitiba, para O Globo. Graduada pela PUC-PR, tem mestrado em Sociologia pela Universidade de Coimbra, de Portugal. É autora do livro Em pauta – Manual prático da comunicação organizacional.

Raquel Alves – analista de política no Jota. Iniciou a carreira em 1998, na extinta Radiobrás, e trabalhou na Agência Nordeste, no jornal DCI, na TV Record e na Agência CMA, sempre na cobertura do Congresso e do Palácio do Planalto. Especializou-se na cobertura do processo legislativo e dos andamentos de projetos no Congresso.

Reinaldo Azevedo – um dos jornalistas mais conhecidos do país, costuma dizer que escreve e fala o que quer, ainda que não queiram. É o que faz no seu blog no UOL, na rádio Band News e em sua coluna na Folha. Foi redator-chefe das revistas Primeira Leitura e Bravo, articulista e blogueiro da Veja e editor-adjunto de política da Folha.

Rudolfo Lago – editor-chefe do Jornal de Brasília. Tem 33 anos de jornalismo, com experiência principalmente na cobertura do Congresso. Passou por veículos como O Globo, Folha, Estadão, Veja e IstoÉ. Foi editor-executivo do Congresso em Foco e chefe da assessoria de comunicação do Ministério da Justiça.

Taciana Collet – produtora do Congresso Nacional da Record TV. Jornalista formada pela Universidade Federal de Goiás e escritora, atua há 21 anos no jornalismo político em Brasília. Foi repórter da TV Anhanguera, afiliada da Globo em Goiânia, e do Jornal de Brasília e do Valor Econômico na capital federal.

Tales Faria – autor do Blog do Tales Faria e chefe do UOL em Brasília. Dirigiu as sucursais brasilienses do iG, da Gazeta Mercantil e do Jornal do Brasil, do qual chegou a ser vice-presidente editorial. Escreveu com Gustavo Krieger e Luiz Antônio Novaes o livro Todos os sócios do presidente, vencedor do Prêmio Jabuti de 1993 na categoria Reportagem.

Vera Magalhães – colunista de política do Estadão e apresentadora do programa Roda Viva, da TV Cultura. Iniciou-se como repórter no Diário do Grande ABC, antes ainda de se formar em Jornalismo, na Universidade de São Paulo (USP). Antes, assinou a coluna Radar, da Veja, foi comentarista da Jovem Pan e editora do Painel, da Folha de S.Paulo.

Vicente Nunes – editor-executivo do Correio Braziliense. Desde 2000, quando chegou ao jornal, exerceu diversas funções, como corresponde internacional e editor. Em 33 anos de profissão, acumula passagens pelo Jornal do Comércio, O Globo, Jornal do Brasil, O Estado de S. Paulo e Gazeta Mercantil. Tem três prêmios Esso de Jornalismo Econômico.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!