Invasão do Capitólio, vacinas e Brasil “quebrado”. Veja resumo da semana

O Congresso norte-americano roubou a cena nesta primeira semana do ano. A invasão promovida por apoiadores de Donald Trump trouxe à memória tentativas de golpes de Estado na América Latina. O presidente Jair Bolsonaro e o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, reforçaram o discurso dos manifestantes de que houve fraude na vitória de Joe Biden. Bolsonaro antecipou que essa insurreição pode ocorrer no país caso ele perca em 2022.

Por aqui, as boas notícias vieram do Instituto Butantan e da Fiocruz, que pediram à Anvisa registros de vacinas contra a covid-19. Já o Ministério da Saúde ainda não definiu calendário de vacinação nem comprovou a existência de estoque de insumos suficiente para imunizar a população. O Palácio do Planalto decretou sigilo de até cem anos ao cartão de vacinação do presidente Jair Bolsonaro e a qualquer informação sobre as doses de vacinas que ele tenha recebido.

Na terça-feira (6), ao conversar com um grupo de apoiadores na parte externa do Palácio da Alvorada, Bolsonaro transferiu para a mídia a responsabilidade pela crise provocada pela covid-19, que essa semana ultrapassou os 200 mil óbitos no país.

"Chefe, o Brasil está quebrado, e eu não consigo fazer nada. Eu queria mexer na tabela do Imposto de Renda, teve esse vírus, potencializado por essa mídia que nós temos. Essa mídia sem caráter. É um trabalho incessante de tentar desgastar para tirar a gente daqui e atender interesses escusos da mídia", disse.

Câmara e Senado tiveram avanços importantes na construção de alianças para as eleições a presidente e demais cargos da Mesa Diretora. Jair Bolsonaro confirmou em reunião realizada na sexta-feira (8) com o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), que apoiará o candidato de Davi Alcolumbre (DEM-AP), Rodrigo Pacheco (DEM-MG), à presidência do Senado.

Trinta e dois deputados do PSL abandonaram o apoio à candidatura de Baleia Rossi (MDB-SP) à presidência da Câmara dos Deputados nesta quinta-feira (7). A maioria dos parlamentares da legenda optou por apoiar Arthur Lira (PP-AL). Baleia e Lira começaram a campanha viajando pelo país. Neste fim de semana, os deputados visitam as regiões Norte e Nordeste do país atrás de apoio.

O Painel do Poder, produto de pesquisa do Congresso em Foco, indica cenário mais favorável às reformas em 2021.

> Audiência do Congresso em Foco cresce 66,6% em 2020

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!