Ferramentas inéditas e poderosas para você conhecer melhor o Congresso

Qual a bancada estadual mais alinhada ao governo de Jair Bolsonaro? As deputadas e senadoras estão mais na oposição ou na base do governo? Os parlamentares mais jovens têm mandatos mais transparentes? Quem responde ao maior número de acusações criminais na Justiça? 

As respostas para essas perguntas e muitas outras podem ser encontradas agora no mesmo lugar: o Radar do Congresso, uma ferramenta poderosa que o Congresso em Foco começou a construir no ano passado após ser selecionado por um programa de apoio ao jornalismo lançado pelo Google.

Desde março uma versão preliminar da plataforma está no ar, com informações sobre a assiduidade, os discursos, os gastos individuais, as propostas legislativas e o posicionamento dos congressistas nas principais votações. A partir de hoje, ela foi substancialmente enriquecida. 

Em mais um passo no sentido de incorporar a tecnologia à produção jornalística, o Radar do Congresso publica três conjuntos de dados: um com informações exclusivas sobre o grau de transparência dos parlamentares; outro que cruza informações oferecidas pela Câmara e pelo Senado para criar um indicador de governismo dos congressistas ; e, o terceiro, também exclusivo, com informações sobre inquéritos e ações criminais.

Para completar, no perfil de cada representante da população no Legislativo nacional você encontrará todas as matérias do Congresso em Foco em que ela ou ele foi citado.

“Modéstia à parte, o Radar será uma revolução nos mais de 16 anos de história do Congresso em Foco e no monitoramento legislativo em geral”, diz Sylvio Costa, fundador deste site. “Criamos uma plataforma aberta a aprimoramentos contínuos, e certamente não vamos parar de aperfeiçoá-la e de torná-la mais útil à população. Somos muito gratos ao Google por ter acreditado em nosso projeto e ter nos ajudado a dar esse grande salto”, completa ele.

O Radar do Congresso terá acesso público e gratuito, mas também possibilitará desenvolver produtos personalizados, voltados para assinantes. Sylvio explica: “Apesar do nosso esforço para democratizar a informação e alcançar o maior possível de pessoas gratuitamente, graças principalmente às receitas de publicidade, está óbvio para nós que conquistar assinantes premium, assim como apoiadores voluntários, é essencial para uma estratégia sustentável de financiamento, que nos permita melhorar sempre a qualidade do que fazemos”. 

Nível de transparência

A Câmara dos Deputados e o Senado Federal tornam públicos muitos dados sobre os mandatos, independentemente da ação ou da anuência dos parlamentares. Eles já informam, por exemplo, o nome e o salário de todos os funcionários contratados e os recursos usados no exercício da atividade parlamentar com despesas passíveis de reembolso, como transporte, alimentação e gastos com divulgação.

> Exclusivo: menos de 20% dos parlamentares passam no teste de transparência

Mas há outras informações, não divulgadas por nenhum dos dois órgãos legislativos, que ajudariam bastante a população a acompanhar as ações de cada parlamentar.

Para identificar que informações seriam essas e como desenvolver uma metodologia para traduzir as diferenças de comportamento entre os políticos, quebramos a cabeça. Procuramos especialistas da área, estabelecemos uma interlocução com os próprios legisladores e suas assessorias e pesquisamos profundamente a literatura existente.

O resultado, é um indicador inovador – o “nível de transparência” – que, usando a escala de uma a cinco estrelas, mede a transparência de cada gabinete parlamentar. No levantamento foram levados em conta a divulgação da agenda pessoal do  deputado ou do senador, a manutenção de canais de comunicação atualizados com a sociedade e o detalhamento dos gastos reembolsados pelo Congresso.

Além disso, aprópria disposição dos parlamentares em responder a um questionário sobre o tema – o que, infelizmente, nem todos fizeram – foi considerada como uma atitude pró-transparência. 

A primeira rodada da pesquisa teve dados coletados nos meses de julho e agosto. O questionário segue aberto a parlamentares que não o responderam e aos que implementarem melhorias em seus sites e quiserem uma reavaliação da nota. Para isso, basta entrar em contato pelo email transparência@congressoemfoco.com.br ou pelo WhatsApp (61) 9 9128 2138.

Nível de governismo

Um dos temas políticos mais debatidos nos últimos meses tem sido a relação do governo Jair Bolsonaro com o Congresso Nacional.

O principal objetivo dessa articulação entre Executivo e Legislativo é a construção de uma base no Congresso que vote de acordo com a orientação do governo. E é justamente esse dado que o Congresso em Foco passa publicar no Radar do Congresso.

Usando as informações oficiais da Câmara e do Senado, comparamos o voto de cada parlamentar com a orientação do líder do governo em todas as votações nominais. Com isso, é possível ver quais são aqueles deputados que mais se aproximam do Planalto e quais os que mais se distanciam. Se você é do tipo curioso, que gosta de embarcar nesse tipo de exercício, mergulhar nesses dados trará revelações surpreendentes. 

Com diferentes tipos de filtro, será possível ainda ver a posição dos parlamentares em relação ao governo a partir de recortes de gênero, partido e estado.

Investigações criminais

Primeiro veículo jornalístico brasileiro a divulgar dados oficiais sobre acusações criminais envolvendo políticos, ainda em março de 2004, o Congresso em Foco retoma o tema, desta vez com atalhos que possibilitará a você saber quais são os congressistas que se encontram nessa situação. Sempre que isso ocorrer, você verá a indicação dos procedimentos judiciais encontrados por nossa equipe de investigação jornalística.

Na busca desses registros, uma equipe especializada fez em todos os tribunais brasileiros pesquisas que serão periodicamente atualizadas.

Mesmo assim, não podemos garantir que encontramos todos os registros judiciais referentes a denúncias ou investigações criminais contra os parlamentares federais. Afinal, ainda existem no Brasil os chamados “processos ocultos”, que sequer aparecem nos portais dos tribunais. Em outros tantos, a arte de separar o joio do trigo envolve o descarte de homônimos e múltiplas confirmações – por número de CPF, nome dos advogados etc.  

Por isso, pedimos a você que nos informe sobre eventuais falhas, omissões ou possíveis aprimoramentos que ajudem a tornar este canal o melhor endereço da internet brasileira para obter informações sempre atuais e confiáveis (e, frequentemente, exclusivas) sobre o Congresso e a política.

Sugestões, críticas ou comentários podem ser postados aqui embaixo, em nossas redes sociais usando a hashtag #RadarDoCongresso ou enviados para o e-mail redacao@congressoemfoco.com.br 

> Entre agora no Radar do Congresso

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!