Congresso em Foco

O ex-ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, e o presidente Jair Bolsonaro [fotografo]Reprodução[/fotografo]

Para líderes, Bolsonaro e Ministério da Saúde são os piores gestores da pandemia

16.08.2020 15:30 6
Atualizado em 27.07.2021 14:29

6 respostas para “Para líderes, Bolsonaro e Ministério da Saúde são os piores gestores da pandemia”

  1. Felix disse:

    Não temos mais ministro da Saúde faz tempo. Temos lá um general da ativa totalmente leigo e incompetente no assunto que obedece cegamente um chefe totalmente leigo, incompente e omisso no assunto.

  2. Valdir disse:

    O Presidente Bolsonaro está 100% isento de responsabilidades. A decisão do STF só lhe permitiu a determinar o que eram “atividades essenciais” e “em parte” nos casos de restrição de transportes interestaduais e intermunicipais. E mesmo assim, quando ele quis incluir algumas categorias como “essenciais”, governadores e prefeitos recorreram e disseram que não iriam cumprir (lembras ditaDÓRIA?).
    Para que ninguém esqueça:
    “Governadores, Prefeitos, Mídia Marrom e STF, vocês têm os sangues da COVID-19 em suas mãos.”
    DECISÃO DO STF
    “Decisão: O Tribunal, por maioria, referendou a medida cautelar
    deferida pelo Ministro Marco Aurélio (Relator), acrescida de
    interpretação conforme à Constituição ao § 9º do art. 3º da Lei nº
    13.979, a fim de explicitar que, preservada a atribuição de cada
    esfera de governo, nos termos do inciso I do art. 198 da
    Constituição, o Presidente da República poderá dispor, mediante
    decreto, sobre os serviços públicos e atividades essenciais,
    vencidos, neste ponto, o Ministro Relator e o Ministro Dias
    Toffoli (Presidente), e, em parte, quanto à interpretação conforme
    à letra b do inciso VI do art. 3º, os Ministros Alexandre de
    Moraes e Luiz Fux. Redigirá o acórdão o Ministro Edson Fachin.
    Falaram: pelo requerente, o Dr. Lucas de Castro Rivas; pelo amicus
    curiae Federação Brasileira de Telecomunicações – FEBRATEL, o Dr.
    Felipe Monnerat Solon de Pontes Rodrigues; pelo interessado, o
    Ministro André Luiz de Almeida Mendonça, Advogado-Geral da União;
    e, pela Procuradoria-Geral da República, o Dr. Antônio Augusto
    Brandão de Aras, Procurador-Geral da República. Afirmou suspeição
    o Ministro Roberto Barroso. Ausente, justificadamente, o Ministro
    Celso de Mello. Plenário, 15.04.2020 (Sessão realizada
    inteiramente por videoconferência – Resolução 672/2020/STF).”

  3. CARLOS ALBERTO RANGEL disse:

    Este bloguezinho puxadinho do uol.. que é só um puxadinho do pute.. vão TER DE ENGOLIR… o PRESIDENTE BOLSONARO vai ser reeleito em 2022 em primeiro turno!!!! Não adianta!!!

  4. Rodrigo Homer disse:

    Dizer que o presidente não tem responsabilidade sobre os mortos nessa pandemia é de um mau caratismo sem tamanho. Em tempos onde se pedia isolamento social, era ele quem boicotava de todas as formas, é ele quem quer vender fórmula mágica de cura, através da tal cloroquina, como solução para disfarçar sua inépcia e é ele quem não usa toda a verba destinada à saúde nesses tempos onde seria mais do que necessário. Para analfabetos funcionais que sacam o argumento de que ” o STF o impediu de agir”, saibam que o STF nada mais fez do que ratificar o que já diz a Constituição, onde reza que estados, municípios e união possuem competências concomitantes e suplementares na área da saúde e não é competência única da esfera federal, como queria nosso amado presidente, ao pedir para centralizar tudo nessa esfera. Foi nada mais do que isso, portanto é uma falácia sem vergonha dizer que o presidente está impedido de agir e que a responsabilidade é dos estados e municípios apenas…

  5. Valdir disse:

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    SEM COMENTÁRIOS!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

Seja Membro do Congresso em Foco

Apoie

Newsletter Farol Político

Perspectivas exclusivas e a melhor análise do poder

assine

Receba notícias também via