Congresso em Foco

Lídice da Mata. relatora, e Ângelo Coronel, presidente da CPI, comandam as investigações[fotografo]Edilson Rodrigues/Ag. Senado[/fotografo]

CPI das Fake News pauta convocação de Carlos Bolsonaro, Lula e Dilma

16.02.2020 14:08 28

Publicidade

28 respostas para “CPI das Fake News pauta convocação de Carlos Bolsonaro, Lula e Dilma”

  1. CARLOS ALBERTO RANGEL disse:

    Se quiserem chamar a dilmandioca ladra terrorista será ótimo.. vamos rir MUITO das idiotices que vão sair daquela boca dentuça. Já o condenado criminoso chefe de quadriha de nove dedos.. só pode dar DEPOIMENTO em frente a algum juiz. CRIMINOSO não deve participar de CPI. Se quiserem.. que colham o depoimento do meliante condenado em algum FORUM.

  2. Alessandro Bongiovani Tonelli disse:

    O Dep Marco Feliciano vai mesmo querer dar palanque para o Condenado de 9 dedos? Péssima ideia. Convoca o João Santana e a Mônica.

  3. Eduardo disse:

    Tudo errado…tem que convocar o Lula ..Dilma…e Lulinha para esclarecer a corrupção na OI…onde o Lulinha recebeu 300 milhões…e foi com este dinheiro que foi comprado o sítio de ATIBAIA…

  4. Eduardo disse:

    Alguém acha que o Lula é a Dilma vão falar a verdade…..Lula é um mentiroso…O Haddad foi condenado por ter espalhado uma grande quantidade de FAKE NEWS….O PT foi o partido que mais colocou Fake para desmoralizar o Bolsonaro….

  5. nuno. m disse:

    “”A CPI DA FAKENEWS FOI CRIADA PELO PEDIDO DO DEPUTADO DE DIREITA, LUIS MIRANDA do DEMO do DF””, e é PRESIDIDA PELO SENADOR DE DIREITA ÂNGELO CORONEL do PSD da Bahia. Mas se TORNOU um pesadelo PRA PROPRIA DIREITA porque ela “É INIMIGA DA VERDADE”. A CPI pedida pela ESQUERDA é a CPI DA LAVA-JATO, que o MORO está MORRENDO de MEDO.

  6. João Batista disse:

    Infelizmente são os parlamentares que temos! Cada um querendo ficar em evidência, gastando nosso rico dinheirinho. Nojo!

  7. Joao Assumpcao disse:

    A Folha não provou até hoje o disparo em massa do Bolsonaro, ficou provado que o PT fez uso, a jornazista da folha que deu o furo, a terrorista digital do PT. Eu acredito no Hans.

  8. Henri Croisille disse:

    Tem que acabar com esta palhaçada que só gera gastos e perda de tempo. Vão trabalhar que dá mais certo !

  9. Gaetano Galtieri disse:

    Pelo que vi até agora, estou receoso que esta CPMI seja de fato, como o próprio nome diz, uma “CPI DAS Fake News” e não uma CPMI CONTRA as Fake News.

  10. Antonio Carlos Wanderley disse:

    Estas CPIs se tornam “palanques políticos” sem nenhum resultado prático mas custando caríssimo aos contribuintes. Hoje a “palavra da moda” é fake news, entretanto, mentiras, difamações, acusações infundadas, etc. sempre for comuns em campanha políticas e nunca ninguém se preocupou com isto. Me parece que o “glorioso” congresso nacional seria muito mais produtivo se criasse uma lei que punisse severamente qualquer “fake news” e não só quando se trata de políticos mas de todas.

  11. Guido disse:

    Que palhaçada é está? Já foi dito que disparos em massa foram feitos pelo PT e pelo Rui Falcão. O condenado por Fakes foi o ¨poste do Lula Haddad. CPMI para atacar o governo que deu com os burros na água! Insistência descabida. Querem por que querem achar pelo em ovo. Vocês perderam a eleição e o rumo da história. Mentirosos!

  12. ezequiel-sp disse:

    Eu continuarei com fake news, principalmente pq eu me lembro muito bem a campanha sórdida do “país quebrou 3 vezes”, da herança maldita e dos aloprados…Eles,(PT), começaram muito antes…

    • Antonio Carlos Wanderley disse:

      Concordo que não é novidade alguma, aliás, existem desde que “reinventaram” esta democracia à brasileira, entretanto, não deixa de ser crime e leis que punissem com rigor já deveriam ter sido criadas pelos parlamentares que só buscam aparecer criando CPIs que darão em nada e custarão caríssimo aos contribuintes.

  13. julio disse:

    Em relação ao envolvimento dos Bolsonaros com Fake News, nem é preciso recorrer à CPI, basta acompanhar as manifestações diárias dessa turma nas redes sociais… Parece que não podem ver uma mentira circulando, que já pegam carona. Foi assim no caso bizarro da jornalista da Folha, nas acusações de que ONGs, e até aquele ator famoso estaria financiando as queimadas na Amazônia. Sem falar, do “quite gay” nas escolas, das mamadeiras com formato de “pirocas”, etc… Mentiras sempre houve e haverá em qualquer eleição, mas é evidente que a campanha de Jair Bolsonaro acabou por institucionalizar de forma profissionalizada, essa prática.

    • Antonio Carlos Wanderley disse:

      Afinal, você é contra as fakes news ou só as do Bolsonaro? Com certeza é crime, portanto, qualquer um que as pratique deve ser punido seja pela interneta, seja em panfletos, seja em debates, etc.

  14. JORGE LUIZ ARAÚJO DOS ANJOS disse:

    Está claro que foram os petistas que cometeram crime de disparo em massa de fake news, e esse jornal que se diz independente, continua na sua cruzada contra Bolsonaro. O povo está com Bolsonaro.

    • Antonio Carlos Wanderley disse:

      Todos os partidos usam deste artifício desde a “reinvenção” da democracia no Brasil, portanto, me parece que estmos dando força aos criminosos que as praticam, seja, do PT, seja Bolsonaros ou qualquer outro. É crme e deve ser combatido. Precisamos acabar com esta estupidez de “se eles fizeram nós também podemos”, isto só fortalece os políticos imorais de todos os partidos em detrimento de quam os elege e paga, aliás, caríssimo. Vamos nos unir contra todas as imoralildades e todos seus praticantes que quisermos um pais minimamente decente.

  15. Valdir disse:

    A única conclusão, até o momento, é que Haddad, Rui Falcão e Henrique Meirelles se utilizaram de disparos em massa e feriram a lei eleitoral.
    O “alvo” que essa cambada queria atingir ficou só nas ilações. Eu fiz campanha de livre e espontânea vontade, e de graça!

    • Antonio Carlos Wanderley disse:

      Ninguém é contra “campanhas” volutnárias ou pagas. O que não podemos aceitar são mentiras, invenções, difamações, acusações descabidas, etc. onde os únicos prejudicados são o Brasil e os brasileiros. Os políticos, tão logo termine as eleições, se derrotados estarão “negociando” com os vencedores para se manter no poder ou garantir a “boquinha” e a conta sempre será nossa. Temos que nos unir contra todos os imorais e não só contra os do outros partidos.

      • Valdir disse:

        Concordo contigo. Por isso só citei os três nomes que se tem confirmação.
        Assim que terminaram as eleições, acusaram que o presidente havia se utilizado dessa, digamos, “artimanha” e as empresas foram consultadas na época, porém todas negaram que tivesse havido disparos na campanha dele. Já naquela época surgiram indícios na campanha do Haddad, mas a imprensa se calou, como sempre fazem.
        E é isso mesmo que você falou que não podemos mais aceitar: mentiras, invenções, difamações, acusações descabidas, etc., que no fundo é o objetivo dessa CPMI.

      • CARLOS ALBERTO RANGEL disse:

        Quando você diz.. ‘não podemos aceitar mentiras e difamações”.. como é que vc acha possível impedir isso??

        • Antonio Carlos Wanderley disse:

          Usando nosso direito, ou melhor, é nossa obrigação de exigir dos políticos a criação de leis que punam estes criminosos. Por exemplo, quando um político faz promessas, mente, difama acusa sem provas adeversários, etc. ser responsabilizado civil e criminalmente pela pratica. Claro que é difícil, afinal, são os próprios políticos que tem poder para mudar e são os maiores beneficiários das “falhas” nas leis. Um exemplo da mais absoluta imoralidade e na interpretação das leis é a imunidade parlamentar que estende sua “impunidade” para parlamentares que roubam, batem na mulher, dirigem alcoolizados, etc. Infelizmente achamos “normal” todas estas patifarias e nosso judiciário, incluindo a justiça eleitoral ignora solenemente estes crimes e não faz nada para mudar. Abç.

          • CARLOS ALBERTO RANGEL disse:

            A ideia é até boa. .mas 100% inviável. Não há como impedir que isso seja FEITO. Se for investigado e descoberto.. já há leia que cuidam disso. Especificamente sobre fake news.,. não há NADA que possa ser feito além do que já é feito. O estrago vem ANTES. A investigação DEPOIS que o estrago já está feito. Já quanto a imunidade parlamentar.. seria excelente que deixasse de existir. mas acho praticamente impossível que seja aprovada.. infelizmente!!

  16. Adyneusa Moura Oliveira disse:

    A CPI foi criada pra investigar o impulso de fake News nas eleições de 2018.
    Os deputados que estão metidos nessa sujeira pedem a presença dos ex presidentes, última eleição em 2014.
    Parece um grande circo

    • Antonio Carlos Wanderley disse:

      Não, fake news não foram inventadas nas últimas eleições, são praticadas desde a volta desta “pseudo-democracia”. Sempre houve este tipo de crime com panfletos, com “jornais dos partidos ou pagos por eles”, em palanques, em debates, etc. Nas últimas eleições o meio mais usado foi a internet e redes sociais, portanto, a única novidade foi o meio. Por exemplo, antes das eleições de 2014, quando a “presidenta” baixou os preços da energia elétrica em 16% antes das eleições e aumentou em 60% após eleita e, ainda, subsidiou todo este rempo as concessionárias, foi fake news, ou melhor um verdadeiro estelionato eleitoral; Quando o ex-presidente falou taxou a crise mundial de “marolinha” induzindo a população a comprar o que não precisava e ficar devendo o que não poderia pagar que resultou na maior crise eocnomica deste pais, foi fake news ou mais um estelionato. Mas concordo com você que estas CPIs são um circo onde políticos tentam aparecer fazendo do “glorioso” congresso nacionl um palanque políticos de agressões, acusadções descabidas, etc, visando “continuar enganando os eleitores”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

Seja Membro do Congresso em Foco

Apoie

Newsletter Farol Político

Perspectivas exclusivas e a melhor análise do poder

assine

Receba notícias também via