Presidente do Senado fala em auxílio emergencial “até junho”

auxilio emergencialLuiz Eduardo RamosMarcio Bittar (MDB-AC)Paulo GuedesPEC do Pacto do FederativoPEC emergencialRodrigo Pacheco (DEM-MG)vacinação
Comentários (2)
Comentar
  • Edison Sampaio

    Os ladrões da República se reuniram e já decidiram pela renovação de uma espécie de “orçamento de guerra”, q correrá à parte do orçamento deste ano q ainda não foi aprovado. Desse modo, não haverá nenhum remanejamento de verbas, mas apenas uma liberação para q o Executivo gaste muito além do q já devemos e passe a dever mais ainda. A conta pagaremos no futuro. O importante para os ladrões da República é q nenhuma medida ocorrerá para prejudicá-los, ou seja, continuarão numa boa, gastando à vontade, enquanto o Povo se lasca!

  • Fabio Martins

    Aquela boa e velha esmola pra comprar voto. Não sei como alguém acreditou em “nova política” vinda de um sujeito que ficou 28 anos nadando em mamatas, rachadinhas e milícias no congresso…

    O auxílio – qualquer auxílio – em si é fundamental num país tomado pela pandemia, mas desde que seja justificado com a adoção de novas medidas restritivas para frear essa nova onda de contágio e mortes, assim como de mutações do vírus que podem jogar no lixo a eficácia das pouquíssimas vacinas já aplicadas. Mas sabemos que não vai ser assim. Joga o dinheiro na não do desempregado e garante o voto em 2022.