O golpe chileno, um dos mais sanguinários dos anos de chumbo

América Latinaanos de chumboAugusto PinochetBolsonaroBrilhante UstraCarlos Alberto Brilhante UstraCelso LungarettiChileCosta Gravasditaduraditadura militarJair BolsonaromilitarismoPablo NerudaPalacio de la MonedaSalvador AllendeVioleta Parra
Comentários (2)
Comentar
  • Fábio

    A esquerda se esmera sempre em contar meias verdades, o que equivale a desinformar, a trazer às pessoas uma versão deturpada da realidade.
    Existiram os anos de chumbo e Pinochet foi um ditador sanguinário? Sem dúvida, com a única ressalva de que acertou muito na política econômica, o que se reflete até hoje no fato de o Chile ser a nação mais desenvolvida da América Latina. Não era um estatista como os milicos brasileiros. Mas óbvio: isso não apaga o fato de que foi um regime de terror, uma ditadura abominável e tudo mais.
    Agora, porque Pinochet era um ditador, isso faz de Allende um herói? Claro que não, era outro canalha! Basta pesquisar sua biografia. É famosa a tese de mestrado de Allende defendendo a eugenia, em que ele classificava judeus e ciganos como “vagabundos” e “degenerados”, e também disse o seguinte sobre os homossexuais: “O homossexual orgânico é um enfermo que, em consequência, deve ser tratado como tal”. Defendia haver uma associação entre raça e delinquência. Esse fã de Lombroso, projeto de Hitler sul-americano, é o ídolo da esquerda…
    Com a história brasileira ocorre mais ou menos o mesmo: mencionam a ditadura, sem destacar que os esquerdistas, especialmente os guerrilheiros, não lutavam por democracia coisa nenhuma, mas buscavam substituir um regime autoritário por outro, aos moldes cubanos.

    • Bento Sartori de Camargo

      Falou tudo Fábio!.