Duas revoluções: entenda a guerra entre Olavo de Carvalho e Paulo Guedes

direitaEscola de ChicagoliberalismomercadoMilton FriedmanOlavo de CarvalhoPaulo Guedesrevolução
Comentários (3)
Comentar
  • THIAGOPE80

    Luiz Flávio Gomes aparenta ser da ideologia do fracasso “ESQUERDA DO ABISMO.
    Tão antiga e tão idealizada pelo vagabundo do Karl Max…
    Colunista doutrinado pelo marximo cultura e a velha tática de tentar desconstruir O CAPITALISMO, sistema no qual o SOCIALISMO sempre perdeu

  • Antonio Fernando Navarro

    Luiz Flávio como sempre nos brinda com suas pérolas. Realmente estamos diante de um cenário que aponta para desgovernos em vários de seus componentes, pois que um só não o há. O mais ridículo de tudo isso é o de entendermos que a opinião de pessoas que não estão envolvidas em nenhum processo, pois que não o foram citadas pelo presidente que foi escolhido pelo povo, vem se meter em temas de discussão interna, onde quem irá definitivamente opinar e aprovar é o Congresso, queiramos ou não. Também vejo que o “Rei está nú”, pois que sistemas dito previdenciários, incluindo os municípios, estados e e união, foram constituídos de fundos, imobiliários e ou financeiro, e recebimento de contribuições de empregados e empregadores, em proporções iguais ou não. Nas mais de 80 mudanças do sistema, desde sua origem, nunca se buscou realmente equalizá-lo. Nenhum fundo se mantem estável com a exclusão de 40 milhões de contribuintes por distintas maneiras, sendo o desemprego a mais comum de todos. O nó de Górdio não é o Sistema Previdenciário e nunca o foi. O problema é de estados, municípios e união inchados de pessoas, que custam muito aos contribuintes e nada agregam em termos de qualidade de serviços prestados. Cobramos mal e nunca daqueles que devem bilhões aos cofres do governo. A esperteza (será?) de aumentar a DRU a quase 5 anos para 30% foi um facilitador para repassar verbas para municípios e estados que constroem obras de curta duração ou que normalmente ligam ou conectam o nada com o lugar nenhum, que é o que se observa na maior parte de estradas com viadutos que não custaram barato para o povo. Com que recursos Brasília foi construída? Com que recursos a Ponte Rio – Niterói foi construída e mesmo a Transamazônica? São apenas três exemplos. Os carteiros há cinco anos choravam tentando recompor o fundo de pensão destruído com aplicações indevidas por representantes desses que ao invés de fazerem com que as aplicações aumentassem e gerassem resultados simplesmente micaram. O papo é longo e se formos reler o que ocorreu no passado basta olhar para o fundo de pensão da Telerj, que tinha como um de seus diretores um ex-presidente da Câmara como gestor. Após um ano e meio ele foi afastado, depois de haver deixado um rastro de estragos econômico-financeiro.

  • Ernesto Freire Pichler

    A mula Bozo tem quatro patas. Uma é o guru maluco. Outra é a cretinice “evangélica”. Outra são os milicos (não os militares, esses são dignos). E a outra é a indústria falsificadora bilionária do antipetismo. O problema é controlar as quatro patas, exigiria um cérebro. Então, não consegue andar.