Colunistas

Temer esquece compliance ao receber Joesley no Baixo Jaburu

Colunistas destacam o novo tropeço da gestão Temer. “O conceito de compliance diz respeito ao processo pelo qual empresas e órgãos do governo cumprem obrigações estratégicas, sejam decorrentes de leis, códigos e normas, ou mesmo da expectativa de partes interessadas”. Veja mais destaques do noticiário

 

 

Temer esquece compliance ao receber Joesley no Baixo Jaburu

O presidente Michel Temer descumpriu todos os protocolos ao receber o megaempresário Joesley Batista no Palácio Jaburu, tarde da noite e fora da agenda. O dono da JBS não precisou se identificar na garagem da residência oficial e o encontro passou longe de qualquer registro. “Funcionou super bem”, resumiu o empresário a Temer, ao iniciar a conversa gravada e incorporada à delação fatal para o ocupante do mais alto cargo da República.

Constitucionalista como é, Temer desprezou o ensinamento do juiz da Suprema Corte norte-americana, Louis Brandeis, na célebre frase “a luz do sol é o melhor desinfetante”, dita há mais de um século ao defender a transparência do sistema financeiro.

O contexto dos fatos é fundamental para a correta prospecção de cenários, um dos pilares da estratégia de comunicação eficiente. A conduta do presidente está inteiramente na contramão da minuta de decreto que regulamenta o lobby, encaminhada ao Planalto em 16 de maio pelo ministro da Transparência, Torquato Jardim.

O documento recomenda a publicidade da agenda de reuniões entre autoridades ou servidores e grupos de interesse em todos os níveis hierárquicos. Também veda o recebimento de presentes ou de qualquer tipo de benefícios por servidores.

O texto resulta de um ano de trabalho de comissão técnica e amplia a transparência do Executivo, além de ter aderência a compromissos de prevenção e de combate à corrupção assumidos pelo Brasil junto a organismos internacionais. Se a proposta do decreto tivesse sido antecipada e editada antes de 7 de março, e seus preceitos obedecidos pelo atual presidente, talvez o intento de Joesley Batista não tivesse “funcionado” tão bem.

Temer centrou armas no aspecto técnico da gravação, com a contratação de conhecido perito para demonstrar que o áudio é “imprestável” e não prova nada. Mas a questão aqui envolve muitos outros ângulos que direcionam para suspeições diversas. Na esfera da comunicação, as circunstâncias e o contexto em que um ato se dá exercem forte influência. A transparência dos agentes públicos, em especial de um presidente da República, é imperativa nos tempos atuais.

Organizações, privadas e públicas, correm para recuperar o tempo perdido na adoção de regras de compliance. Está provado que não segui- las implica em altíssimo custo. O conceito de compliance diz respeito ao processo pelo qual empresas e órgãos do governo cumprem obrigações estratégicas, sejam decorrentes de leis, códigos e normas, ou mesmo da expectativa de partes interessadas.

Em sua defesa, Temer disse que foi ingênuo ao se deixar gravar ou por ter concordado em receber Joesley Batista. Tentou aparentar normalidade para uma ação que foge aos padrões das boas práticas de governantes e respinga, se não mancha, de forma indelével, sua reputação. Pior: o presidente reconhece ser um hábito rotineiro receber pessoas à noite, fora da agenda oficial.

Daqui para diante, o neologismo “Baixo Jaburu” fica incorporado ao vocabulário nacional e é bom servir de aviso aos futuros ocupantes da residência oficial, para que não sigam os hábitos de Temer.

 

 

Sabia que o Whatsapp pode bloquear a sua conta?

Talvez milhões de internautas no mundo inteiro não saibam, mas o aplicativo pode suspender a conta de seus usuários de forma temporária ou permanente, sem aviso prévio, se o dono da conta violar os termos de serviços da companhia. A empresa não dá detalhes sobre a política de suspensões ou dados sobre os usuários bloqueados, mas dá exemplos de algumas ações que podem levar a uma suspensão temporária.

Uma hipótese é se um usuário enviar a mesma mensagem para “várias pessoas”, o emissor pode ter sua conta suspensa temporariamente. O Whatsapp não define o número máximo de pessoas para envio da mesma mensagem, mas recomenda o uso das listas de transmissão. É bom ficar de olho para não ter a conta bloqueada, mas, caso aconteça, é possível requerer o acesso novamente enviando email para support@WhatsApp.com

 

 

Facebook inova nas transmissões ao vivo

As transmissões ao vivo já estão em alta e com grande engajamento de usuários e agora ficarão ainda mais! O Facebook expande as funcionalidades das suas Lives ao permitir conversas privadas com amigos durante uma transmissão pública ao vivo. A ferramenta “Live Chat Com Amigos” está em fase de testes. Também será possível convidar uma pessoa para uma live em tela dividida, mesmo que os usuários da conversa não estejam no mesmo espaço. Essa funcionalidade chama-se “Live With” e já está disponível para o sistema iOS.

 

 

 

 

Mais do Cenas da Semana

Continuar lendo

Curtir Congresso em Foco no Twitter e Facebook:




Publicidade Publicidade