Congresso em Foco

Câmara dos Deputados busca garantir benefícios para vítimas da tragédia de Brumadinho[fotografo]Ricardo Stuckert[/fotografo] Ricardo Stuckert

Novo e PSL votam contra as vítimas de Brumadinho e o meio ambiente

26.06.2019 14:19 13

Publicidade

13 respostas para “Novo e PSL votam contra as vítimas de Brumadinho e o meio ambiente”

  1. uB. disse:

    Se vc procurar entender sobre o q se trata a PL 2788/19 e o pq do Novo ser contra, vc vai dar razão ao Novo ter votado contra!

    Já q tá falando sobre PLs, barragens, Brumadinho… aproveita e cita a PL 2787/19, onde o Novo foi TOTALMENTE a favor. E, diferente da PL 2788/19, a 2787/19 tem total relação com os desastres ocorridos.

  2. Bruno Antônio dos Santos Silva disse:

    Terminei de ler o PL aqui e confirmei a minha impressão inicial. O texto do Congresso em Foco é escrito com a clara intenção de “vilanizar” a oposição. O PL é interessante no que diz respeito a responsabilização de criminosos que façam algo como o que a Vale fez, no entanto havia diversos pontos no texto que inviabilizariam o exercício responsável da mineração, impedindo o emprego dezenas de milhares de famílias em Minas e em todo o Brasil. Por esse fato os Dep. do Novo foram contrários ao PRIMEIRO texto apresentado. Após a inclusão de emendas ao projeto (emendas estas propostas pelos dep. do novo e alguns do PSL/MG) visando melhorar esse aspecto os Dep. que anteriormente foram contrários ao PL apoiaram o novo texto. Por fim é de fato um projeto muito interessante e necessário e com o novo texto tornou – se também eficiente e justo.

    • Antonio Luiz Ferreira disse:

      Oi, amigo. Tem algum link para o texto com as emendas. Afinal, o projeto aprovado foi o original ou aquele com as emendas? Estou tendo muita dificuldade para achar essas informações.

      • Bruno Antônio dos Santos Silva disse:

        Foi aprovado com as emendas, aqui tem o texto na integra – https://www .camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1744723&filename=PL+2788/2019. O Link está com espaço após o www, pq não dá pra envia-lo inteiro aqui.

        • Antonio Luiz Ferreira disse:

          Eu teria que ter o texto original para comparar as diferenças, mas obrigado mesmo assim.
          Na resposta do Novo, eles falavam a respeito de que essa lei atingiria pequenos e médios empreendimentos, especialmente setores de agricultura.
          Procurei me informar e descobri que o DNPM categoriza barragens conforme risco estrutural e potencial de dano; e que o setor agrícola frequentemente utiliza barragens de água para irrigação, de tamanho extremamente inferior e tipo muito diferente em relação às barragens de rejeitos sólidos empregadas pelas grandes empresas de mineração.
          Ou seja, para cada hiperestrutura como Mariana ou Brumadinho, centenas ou talvez milhares de barragens com potencial de dano e risco virtualmente negligível iriam entrar juntos na mesma regulação. Isso apenas geraria burocracia e custos desnecessários a quem não tinha absolutamente nada a ver com essas tragédias, e nem condição de gerar qualquer tipo de dano semelhante ou relevante.
          Isso fere os princípios da isonomia e da proporcionalidade. O tratamento de iguais como iguais e desiguais como desiguais na medida das suas desigualdades.

  3. Lucas disse:

    Para escrever algum artigo aqui precisa de um bom Q.I(quem indica ou bom “teste de sofá”) e ser ferrenhamente oposição, não precisa ler os projetos, as pautas, entender o que estão dizendo ou escrevendo, aqui apenas a capacidade de vilanizar a oposição e saber escrever já é o suficiente, resumindo é tipo uma “malhação” “jornalística”(entre aspas porque nem isso deve ser categorizado) sendo o mais “bonitinho”, tiver alguma capacidade de argumentação e consegue ler e entender passa para outro editorial! É daí que sai “onde gente de fuzil oferece risco a população?”

  4. Luiz Peralta disse:

    Artigo decepcionante. Concordo com Vitor: “Novo e PSL são contra, mas não sei a que, e nem quero saber. O que importa é a manchete passar uma idéia que eles são os vilões”.
    Se os partidos A ou B são defensores ou não é uma conclusão que o leitor tira à partir de uma matéria escrita com isenção (já que em outra matéria, esta questão estava em voga por conta do Moro).
    Esta matéria depõe contra o princípio da existência deste site.

  5. Gabriel disse:

    Que matéria tendenciosa e sem estudo jornalístico algum sob a matéria. O autor pode ter vários diplomas na área ambiental, mas esqueceu de fazer o dever de casa.

  6. Vitor disse:

    O que foi escrito: “Neste breve artigo não examinamos o conteúdo da proposta mas interessa verificar como votaram os partidos em relação a essa matéria no Plenário da Câmara”
    O que o jornalista quer dizer: “Novo e PSL são contra, mas não sei a que, e nem quero saber. O que importa é a manchete passar uma idéia que eles são os vilões”

    • Reginaldo Lucia disse:

      Perfeito Vitor, o missivista já diz “Trata-se de uma matéria diretamente associada à questão ambiental…” ou seja, não importa as questões e interesses existentes lá por ser questão ambiental, “tem” que ser aprovada. Lamentável esse jornalismo ideológico.

    • Marcelo Bello disse:

      Exatamente, se o “jornalista” admite que desconhece o teor do projeto, como pode julgar que votar contra é necessariamente ruim?

  7. Fagner Henrique disse:

    André Lima, que não sabemos quem é, faria um brilhante jornalismo se, em vez de emitir sua opinião e juízo, tentasse obter a posição da liderança do Novo.

  8. Leonardo disse:

    NOVO e PSL são duas faces da mesma moeda, movidas a viabilizar o enriquecimento imoral de alguns poucos setores em detrimento de todo o País. Um dos grandes estandartes disso é o atual Ministro do Meio Ambiente, já condenado criminalmente em primeira instância por improbidade administrativa justamente em casos de favorecimentos ilícitos a setores privados que geraram danos ambientais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

Seja Membro do Congresso em Foco

Apoie

Newsletter Farol Político

Perspectivas exclusivas e a melhor análise do poder

assine

Receba notícias também via