Congresso em Foco

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, participa na cidade de Guaratinguetá, no Vale do Paraíba, em São Paulo, da formatura de sargentos da Aeronáutica na Escola de Especialistas da Aeronáutica (EEAR). [fotografo]Rovena Rosa/Agência Brasil[/fotografo]

Bolsonaro critica Ibama e Icmbio e diz que acabará com “política tacanha e mesquinha”

01.12.2018 14:15 29

29 respostas para “Bolsonaro critica Ibama e Icmbio e diz que acabará com “política tacanha e mesquinha””

  1. wzfr disse:

    Tudo aparelhado pela esquerda, hora de mudança.

  2. Gilson Luis da Silva disse:

    Incrível como esse cidadão tem capacidade para se superar em falar besteiras. Messias Bolsonaro se supera em desconhecimento geral de questões básicas do país, como saúde, educação e meio ambiente. Em resumo, o futuro presidente é um despreparado arrogante!

  3. P Sanchez disse:

    O IBAMA e o ICMbio são o Braço direito e o Braço esquerdo do PT na garganta de quem quer produzir… O Bolsonaro esta certo de novo, de novo, de novo…

  4. lilian janaina santos disse:

    esse lixo ambulante estava pescando em área de preservação, foi multado, agora quer retalhar o Ibama com a desculpa esfarrapada de acabar com a industria da multa, essa criatura é de uma baixeza sem tamanho!!! o que este lixo quer é dar autorização para degradação do meio ambiente em favor dos fazendeiros , grileiros aturarem sem serem incomodados…

  5. Roberto Mello disse:

    Vai devagar, meio ambiente é nosso patrimônio e não permitiremos hipocrisias.

  6. crypto four disse:

    Cada vez mais rarefeitos os “É melhor jair se acostumando”. Isso com simples notícias das declarações da imundície que foi eleita. Quando vierem as dores como fato consumado, ninguém vai admitir que votou nesse idiota.

  7. Caboclo Bom disse:

    Gostaria que o Bolsonaro fala-se sobre o projeto Radam executado entre nos anos 70 pelos governos militares que tinha como objetivo maior preservar as riquezas minerais do Brasil.
    Sobre cada aldeia indígena demarcada existe uma jazida de minério de grandes proporções.

  8. Roberto disse:

    Eleitores de Bolsonaro, ou seja, a maioria: se não é comigo, se o mito falou eu apoio, era tudo o que eu queria mesmo.

  9. forposts disse:

    Acabei de ouvir a própria voz dele na entrevista.

    O UOL continua fazendo tempestade em copo dágua.

    Ele só quis dizer que tem sido exagerada a política que trata os indígenas como indigentes.

    Que ele quer que os indígenas sejam gente como a gente, que possam chegar um dia a presidência como chegou o Evo. Nem os esquerdoides disseram isso. Os esquerdoides querem manter os índios em redomas de vidro para os apreciarmos num estado de miséria.

    Não é escondendo os índios e tratando-os como incapazes e ineptos, como diz absurdamente a Constituição, que vai trazer a eles a qualidade de vida que temos. Simples assim.

    Em parte é uma visão muito correta. Em parte, porque não vimos na prática o que ele fará mesmo. Mas alguma coisa tem de ser feita para melhor.

    Na minha cidade é impressionante, os indígenas vivem de esmolas e os filhos maltrapilhos tomando Coca-cola o dia inteiro. Se recebem ajuda financeira e de comida do Estado, por que os filhos deles que não param de crescer não estão na escola? A assistência social não funciona? Numa universidade os indigenas queriam aposentos especiais para eles. Ora, são diferentes dos outros? Não tem cabimento.

    Quero a mesma educação para eles como eu tive, que estudem, que se se façam profissionais, que sejam cidadãos como nós, mas alguns querem mantê-los numa redoma de vidro achando que os cérebros deles são incapazes, e sabe por quê? Por questão ideológica limitada, como sempre, pensando sempre na manutenção do pior, porque isso passa a impressão que é uma “política social responsável”. Não é. Não é responsável nem justo mantè-los na miséria.

    Quero ainda ver um índio na presidência, mas por competência, por ter ido à escola, por mérito, não por “cota social para presidentes”, coisa que nesse país do “mundo invertido” era só o que faltava acontecer.

    Esse país do “coitadismo social” não pune criminosos com a devida pena, do “coitadismo” que deixa alunos se formarem analfabetos funcionais no Ensino Médio, que tutela empregados mesmo adultos como se fossem incapazes de eles mesmos fazerem seus contratos civeis de trabalho, tutelados por uma legislação trabalhista tão patética, parecem que somos todos uns boçais que não sabemos nos virar e tomar decisões profissionais por conta.

    E o caos está aí com todo esse “coitadismo”: econômico, social, moral, não produzimos, não geramos riqueza, não inovamos, temos um dos piores índices de educação do mundo. Política do “coitadismo”. Todos são vistos como “dependentes”. Enquanto isso, os países que fazem a cosia certa cada vez mais ricos e prósperos e as pessoas independentes. Por que aqui tem de ser diferente?

    • Luis gregorio disse:

      Verdade. Uma vez fizemos uma campanha para arrecadar alimento roupa e material de construção e centena de outras coisas. Arrecadamos 4 carretas abarrotadas. Uma maravilhosa campanha. Levamos para Mundo Novo Mato Grosso. Gente chegando lá tivemos uma grande decepção. Não só com os indiginas. Igreja católica e outro canalha que dos indiginas se beneficiam. Foi jurado por todos que nunca mais iriamos ajudar essa raça. E assim foi feito. Bando de canalhas. Tá com dó de uma deles levem para suas casas.

  10. Ernesto Freire Pichler disse:

    É ideia de milico ou de jerico: “o índio tem que ser civilizado”. Entrar para o mercado de trabalho para haver mais a quem explorar. Vender suas terras para a especulação, mineradoras e madeireiros destruírem as florestas.

    • forposts disse:

      Para entrar no mercado de trabalho é preciso estudar antes. Quem estuda, e estuda bem, e se capacita, não é explorado. Eu não sou explorado. Eu defino onde quero trabalhar e em que condições. Quem estuda vai adiante. Ou quer ganhar bem estando na mesmo patamar de milhões de analfabetos funcionais? Nesse patamar você tem de aceitar o que te dão, e sem mimimi, vai ter de estudar.

      • Ernesto Freire Pichler disse:

        De fato, você pode escolher quem te explora.

        • forposts disse:

          Amiguinho, não sou explorado. Ganho o que acho que minha pós-graduação me capacitou e o que meu cargo vale na iniciativa privada, sem frescuras.

          A qualqeur momento vou para onde eu bem quiser, se o trabalho deixar de ser interessante ou aparecer novos desafios.

          Essa conversinha de “patrão explorador” é coisa do século XVIII. As pessoas aqui precisam estudar, se capacitar, crescer e parar de mimimi, achando que o tempo parou, e até empreenderem para ver o “outro lado”, para ver que é bom para a tosse. Elaborar um plano de negócios, de marketing, pensar em como atender bem o cliente que paga as contas, como criar um diferencial, como inovar, o que é procurar algo para oferecer às pessoas para ter clientes, como é a estrutura de custos sociais e altos impostos que temos, absurdos, o que é precisar competir com empresas sempre antenadas. para manter as empresas abertas e não demitir ninguém.

          Se você está num subemprego, só mostra o quanto a sua função está prestes a ser extinta, e o problema não é do seu patrão, é você que não vai para a frente.

  11. Tico disse:

    Por falar nisso, quem vai arcar com o aumento pros militares?
    E outra coisa, num país sem emprego, com defasagem de médicos e sistema de ensino em frangalhos, onde ele vai alocar os indígenas? No Palácio do Planalto?

  12. Tico disse:

    Em primeiro lugar, ele pagou a multa?
    Em segundo lugar, o relaxamento das punições será fruto de uma experiência pessoal dele, tipo uma rixa com o Ibama?
    Terceiro, ele sabe que o desmatamento na Amazônia esse ano aumento cerca de 40%? De onde saiu isso de que “O Brasil é o país que mais preserva?”

    Quarto, as pessoas que concordam com ele, tem alguma noção do impacto que isso causará?

  13. Lyz Zyl disse:

    Proteger a forma de viver dos indios não é tolice, pois esta ideia de indio em TI é acabar com a cultura e o modo de vida deste povo maravilhoso. Dar uma de Custer e acabar com os indios é isto que ele quer fazer!
    E mais, o IBAMA fez o serviço dele multando Bolsonaro que estava em area protegido onde não podia estar.
    Isto demonstra que é outro que com poder simplesmente o usa ´para obrigar a aceitarem seus erros e persegue aqueles que botarem o dedo na cara dele.
    Outro pro IMPEACHMENT logo logo, pq de déspota tarado o Brasil não precisa mais mesmo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

Seja Membro do Congresso em Foco

Apoie

Newsletter Farol Político

Perspectivas exclusivas e a melhor análise do poder

assine

Receba notícias também via