Congresso em Foco

Manifestante da Marcha de Mulheres Negras, realizada em Copacabana em 2017[fotografo]Mariana Maiara[/fotografo]

Especialistas veem reforma tributária como oportunidade para reduzir carga sobre mulheres negras e pobres

17.10.2020 15:51 64
Atualizado em 18.10.2020 18:19

64 respostas para “Especialistas veem reforma tributária como oportunidade para reduzir carga sobre mulheres negras e pobres”

  1. Valdir disse:

    Enquanto o país tratar qualquer política baseada na cor da pele, continuará estagnado.
    Vamos combinar que, no Brasil não existem “brancos”! Somos todos, com raríssimas exceções, descendentes da mistura de variadas raças.
    Pela primeira vez, no pós redemocratização, estamos tendo um governo interessado em “efetivamente” combater as desigualdades. A sociedade está discutindo/exigindo políticas eficazes. Muitas “sugestões” que aparentemente afloram agora, na realidade já eram sugeridas há décadas. Apenas tivemos o azar de cairmos em mãos de governantes “populistas”, que visavam apenas se perpetuarem no poder.
    Hoje, fora do poder, “sugerem” o que deveriam ter feito enquanto estavam no poder, mas “sugerem” da boca para fora, pois fazem “o diabo” para não deixarem que as políticas públicas do atual governo sejam implementadas.

    • Jorge Teixeira Carneiro disse:

      É só cobrar ‘menas’ das mulheres negras.
      Um fogão na Magazine Luiza custa 500 reais.
      A dona vai vender por metade para a mulheres negras.

      • Rodrigo Homer disse:

        Comentário ridículo, hein seu Jorge?

        • Jorge Teixeira Carneiro disse:

          Assim a Dona Magalu Lacradora realmente estaria beneficiando realmente as mulheres negras.

          • Rodrigo Homer disse:

            Lacração é definir políticas equalizadoras? Então todo mundo deveria ser “lacrador”

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Equal é sinônimo de igual.
            Por que uma branca pobre tem que pagar mais caro por um produto ou serviço?
            Isso é equal?

          • Rodrigo Homer disse:

            Ninguém tem que pagar mais caro, o ponto central é que a maioria dos que pagam mais caro são negr0s. Não está sendo levantada a hipótese de produtos mais baratos para negr0s, mas sim que eles deixarão de ser prejudicados, assim como brancos e brancas pobres. Fala-se em negr0s porque são maioria nessa situação.

    • Rodrigo Homer disse:

      O problema, caro Valdir, é que aqueles que não enxergam as desigualdades jamais concordam com políticas equalizadoras pois sempre irão achar que trata-se de “criar direitos demais” para alguma classe de cidadão em detrimento a outra. Mas como não enxergam as desigualdades reais, não percebem que a classe que é supostamente “beneficiada” sempre sofreu prejuízo.

      Desde a abolição da escravatura, o negr0 foi deixado à margem da sociedade. Foram libertos sem planejamento algum. E isso virou um ciclo que, de certo modo, dura até hoje.

      Não entra na minha cabeça uma pessoa que tenha um mínimo de estudo não enxergar que o negr0 no Brasil sempre foi prejudicado. Claro que existem os que se deram muito bem na vida , assim como tem brancos que passam dificuldades mas a cada branco bem sucedido tem quantos negr0s? Me explique isso. É falta de competência ou de oportunidade?

      E é balela esse papo de que não existem brancos no Brasil, claro que existem. Estamos falando de fenótipo, não de genética e o fenótipo chama mais a atenção do que a genética. Geneticamente somos bastante miscigenados de fato, mas quem tem o fenótipo de branco ainda leva vantagem, pois nunca vi alguém com essas características ser vítima de racismo, por exemplo.

      Não vejo onde esse governo está combatendo as desigualdades, cite um exemplo. Só vejo aumentá-las ao negar a luta dos negr0s. Todos somos iguais mas não basta apenas dizer isso. Tem que reconhecer que o Brasil É um país racista e, por tabela, dificulta para quem tem a pele escura e, por isso, existem políticas que tentam minimizar o prejuízo.

      • Valdir disse:

        O problema Rodrigo, é que enquanto ficar esse mimimi do país “pagar a dívida pela escravidão passada”, só aumentaremos as desigualdades. Em momento algum eu afirmei que não existe. Meus bisavós maternos eram negros e foram deixados ao Deus dará, mas tiveram a sabedoria de orientar a família quanto a importância dos estudos. Eu, para ler, pegava livro no lixo dos mais abastados, escrevia em papel de embrulhar pão. Mal tinha um ovo para comer, mas isso não me impediu de lutar por absorver conhecimento, trabalhando desde os 8 anos, estudando e correndo atrás de um futuro melhor. Um de meus primos, negro, também correu atrás, se formou engenheiro florestal e se aposentou como diretor no IBGE. E não foi de mão beijada não. Foi muita luta.
        Você diz que só existe racismo contra negros. Lêdo engano seu.
        Quando nós, idosos, falamos certas verdades, a turma do “socialismo caviar” cai matando a p@u, mandando a gente ir estudar história, blá blá blá, sem saber que nós fazemos parte da história, pois a vivemos.
        O problema dessa desigualdade está na “qualidade” do ensino que é ofertado à população mais carente. E quando o ensino começou a regredir no Brasil?
        Quando meu filho se formou em engenharia, em 2002, já se observava uma diferença brutal em relação aos anos 50/60/70. Hoje piorou muito. Basta ver o resultado do PISA.
        O fenótipo não elimina as dificuldades que os “brancos” descendentes de negros tiveram, e que eram bem piores do que hoje, pois o país como um todo era pobre, começando a se industrializar. Hoje você vê criança (exceto em áreas rurais onde ainda predomina o coronelismo) sem uma condução para ir à escola? Não, pois uniformizados pegam ônibus gratuitamente. Na minha época, eu caminhava 8 km à pé. Minha esposa caminhava 13 km.
        De que adianta falar das coisas boas que o governo tem feito, se tudo que ele faz é criticado e combatido?
        As escolas civico-militares, são ruins? Não. São ótimas, mas os pseudos “socialistas” metem o malho.
        Um exemplo clássico da hipocrisia que reina no país com essas medidas “paliativas” que não resolvem a desigualdade é o polêmico caso da Magalu. Veja o absurdo da coisa.
        A Magalu tem no seu quadro de funcionários, 53% de pessoas pardas/negras, mas só 16% têm cargos de liderança. Aí, para pagar parte da dívida que o país tem para com os negros (vou reivindicar meu quinhão), resolve fazer um programa de “trainee” só para negros. Porém, para que eles possam ser “aprovados”, eles tiveram que alterar as exigências na seleção, eliminando, por exemplo, a exigência do conhecimento do inglês.
        Pergunto: Isso é justo com os 16% que já ocupam cargos de liderança e que ralaram para chegar lá? Como eles se sentirão diante de tal situação? E os que entrarem, terão capacidade de performar o que a empresa precisa?
        Claro que o que a Magalu fez foi “lacrar” para ganhar um marketing gratuito na mídia.
        Na boa? Se o país não voltar a ofertar bons estudos à população mais carente, como existiu nos anos 50/60/70, quando todos pais, pobres ou ricos, queriam colocar seus filhos em escolas públicas, não acabaremos com essas desigualdades. Outro engano seu, ou falta de conhecimento, pelo menos no que se refere à minha época, tínhamos ótimos estudos e não foram poucos os negros que se formaram bem e tiveram sucesso na vida.

        • Rodrigo Homer disse:

          Olha, Valdir…não direi que vc está de todo errado não. Concordo com muitas coisas que vc escreveu. Mas colocar brancos e negr0s como iguais em oportunidades é de uma falta de visão da realidade que não creio que alguém tenha.

          O ensino público começou a degringolar na era militar. Louvável a atitude deles em querer estender o ensino para o maior número de pessoas possível pois antes era extremamente elitizado. Mas o número sem precedentes de matrículas não acompanhou em manutenção de qualidade. O processo de degeneração do ensino começou aí. Muito se credita as mazelas à redemocratização mas esquecem que o resultado ruim veio de um processo, não surgiu de repente com o governo Sarney.

          Lógico que cabe a cada um correr por si, assim como vc fez. Mas é inegável que o sistema como um todo, favorece mais os brancos do que os negr0s. Como eu canso de falar, olhemos para as periferias e a situação de pobreza das pessoas. Encontraremos mais negr0s nessa situação. E por que? Porque são todos preguiçosos que ” não correram atrás “? Um ou outro talvez, mas todos? Difícil…

          No mais, me diga o atual governo tem feito de bom para equalizar desigualdades? Só as vejo aumentar, a começar pelo diretor sem noção que colocaram lá na Fundação Zumbi dos Palmares.

          No ensino, escolas cívico militares são boas? São. Mas sabemos que vão omitir muita coisa, principalmente em se tratando de certos períodos históricos e demonizarão ideologias que não sejam compatíveis com o que eles pensam.

    • Jorge Teixeira Carneiro disse:

      O especialista defende o programa ”caviar popular”.
      E o país estagnado só começou em 01/01/2019.
      Antes disso a economia estava bombando, graças à Nova Matriz Econômica e a Contabilidade Criativa.

      • Valdir disse:

        Entre 2003 e 2016 não havia racismo, não havia diferença salarial entre homens/mulheres/negros/negras, éramos o 1° lugar no PISA, realmente o país dos sonhos. O mundo todo queria migrar para o Brasil.

        • Jorge Teixeira Carneiro disse:

          Sim.

          E o jornal The ”Ecomunist” botou o Cristo Redentor decolando rumo à Lua, patrocinado pelas empresas X do Eike Baptista e ”powered” pelos foguetes da pujante indústria aeroespacial da Ucrània, que havia feito uma ”concessaria”, quero dizer, uma join venture com a Pizidenta do Brasil para explorar a Base de Alcântara.

          • Valdir disse:

            ?????

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Procura aí nas suas respostas recebidas uma do Hommer BBK elogiando as famosas iniciativas do Melhor Pizidento da Estória Deçe Paíz.
            Ele tá me cobrando isso.

          • Valdir disse:

            Não sei se você assiste o “3 em 1” da Jovem Pan. São 2 “socialistas” contra o Constantino. Eles são iguaizinhos ao Hommer BBK. Tudo do governo Bolsonaro não presta, e se presta é “graças a terceiros, apesar do Bolsonaro”
            Um dia eu enviei um e-mail para o Rodrigo Constantino com o seguinte comentário:
            “O dia que a Taís ou o Josias elogiar o Bolsonaro, o sargento Garcia pega o Zorro.”

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Não assisto não.
            Eu só li o livro “Esquerda Caviar” há uns 5 ou 6 anos atrás e me CAGUEI de tanto rir.
            Nunca vi tanta piada afinada comigo.

            O Rodrigo Constantino é quase um alter ego meu.
            Quando eu lembro do Al Gore e a sua casa de 50 e tantos quartos que gasta de energia elétrica a mesma coisa do que uma pequena cidade ou do João Outravolta e o seu seu Boing 747 de uso exclusivo eu me MIJO de rir.
            Fora o Coma Andante Fidel Castro, que segundo a Revista Forbes, era o 8o Homem Mais Rico do Mundo

          • Valdir disse:

            Hehehe!

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Josias de Souza é tipo tucano, fica em cima do muro.
            Já a japa, ele é variante, às vezes fala umas coisas certas.
            Os verdadeiros jornalistas petistas são Sakamoto, Kfoury e Koscho.

            Tanto é quem não há debate nenhum com essas peças, fica ridículo.

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Lembra também?
            Naquela época nem a imprensa e nem o movimento quilombola não se opuseram a que a base de Alcântara fosse arrendada à Ucrânia.
            Acho que só não pode ser arrendada se for para americanos.
            Tá lá no UOL hoje

            ”’Ameaça a quilombolas pode travar acordo espacial EUA-Brasil em Alcântara”’

          • Valdir disse:

            Eles não sabem o que falam!
            Dos deputados do Maranhão, apenas 1 votou contra o acordo. E sem dizer que, o acordo não prevê remoção de nenhum quilomnba.

    • Jorge Teixeira Carneiro disse:

      Imagina você que um jogador de futebol brasileiro branco se juntasse com amigos jogadores de futebol brasileiros ou não, brancos ou não e se metessem a fazer uma orgia com uma prostituta negra brasileira ou não.
      O que você acha que a imprensa diria sobre o acontecido?

      • Valdir disse:

        Que ele tinha que ser banido do esporte, e o Santos teria suas dependências apedrejadas se aventasse a possibilidade de contratá-lo.
        ???

        • Jorge Teixeira Carneiro disse:

          Claro.
          Está claro que o clube que o formou e que o vendeu há dez anos atrás seria o responsável pelo ato de racismo.
          Afinal. um clube forma uma jogador branco e este jogador branco vai lá para fora estuprar moças negras ingênuas, que vão para uma festa da calcinha e que não sabiam que iriam participar de uma orgia?
          Isso é o que?
          Racismo.

  2. 13582196 disse:

    A redução de impostos deve beneficiar a todos os trabalhadores, independente de cor!

    • Rodrigo Homer disse:

      Deve beneficiar quem paga, proporcionalmente mais. Leu a matéria pelo menos? Quinze por cento, por exemplo, sobre quem ganha cem mil reais é mais do que quem ganha mil, mas o impacto desses 15% em cima de quem ganha mil reais por mês é muito maior, nem tem comparação. E onde se encontra a maior parte da população que ganha menos? É entre os brancos? Quem não enxerga a desigualdade nunca vai concordar em políticas equalizadoras, sempre vai achar que estão inventando benefícios e etc…

      • Jorge Teixeira Carneiro disse:

        E quem te disse que quem paga proporcionalmente mais imposto é negro?
        Não existe branco pobre?
        Não existe pardo pobre?
        Ou o ICMS que o branco pobre paga é menor do que o ICMS que o negro pobre paga?

        • Rodrigo Homer disse:

          Claro que existe branco pobre. Eu sou um exemplo, kkkkkkk. Mas faça um levantamento de quantos cidadãos brasileiros pobres existem e depois veja destes, quantos são negr0s . Vc acha isso normal?

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Mas isso é culpa dos outros?
            Por que Dona Magalú não segue a minha ideia e cria uma cota de produtos 30% mais baratos para negros.
            Assim ela estaria realmente ”equalizando” tirando do próprio lucro.

          • Rodrigo Homer disse:

            Culpa de quem, cara? Minha? Sua? Não! Mas é culpa sim de uma estrutura, de todo um racismo estrutural que existe e está enraizado em nossa sociedade. Pode não ser culpa direta minha nem sua mas a gente faz parte de um sistema que marginaliza sim, não só o negr0 mas todos que fujam do estereótipo “branco cristão hétero”. Criar políticas facilitadoras não é favorecer ninguém, é equalizar…

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Pode ser que o sistema marginalize, mas não o meu sistema.
            Eu pago o mesmo para todos que realizam a mesma função, independente da cor da pele e da religião.
            Uma vez eu usei a expressão ”raça”, alguém me criticou e eu tive concordar que a diferença é só na cor de pele. Realmente a espécie humana é uma só, o que existe são variações em função da evolução da espécie.

          • Rodrigo Homer disse:

            O sistema não é só você nem só eu, Jorge.

      • Jorge Teixeira Carneiro disse:

        Pelé, Neymar, Ronaldo, Romário, Robinho, Nego do Borel e outros me pediram para te avisar que não curtiram o seu comentário.

        • Rodrigo Homer disse:

          Cite aí quantos brancos bem sucedidos existem pra cada Pelé ou Nego do Borel, filhão

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Nenhum.
            Me diga um jogador branco que chegue em qualidade aos pés do Pelé, ou um funkeiro ou funkeira brancos?

          • Rodrigo Homer disse:

            E quantos diretores de empresa negr0s que vc conhece? Vamos diminuir a hierarquia dos cargos, vá num shopping center, principalmente em lojas de marca, veja quantos vendedores negr0s vc encontra. Já na faxina e na segurança não se pode dizer o mesmo . A que vc credita esse tipo de coisa?

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            À apresentação e a educação recebidas.

          • Rodrigo Homer disse:

            E por que a educação e apresentação parece não chegar em muitos negr0s? Vamos desenrolar isso…

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Vamos ver….huuuummmm…..dããããã…..será que é porque o ensino público está na sua pior fase de todos os tempos e quem não tem papai para pagar escola particular está fv&i$do?

          • Rodrigo Homer disse:

            Sim, uma das hipóteses com certeza. Parabéns! E quem, em grande parte usa o ensino público que começou a degringolar na era militar? Sim, começou ali, pois a degeneração do ensino foi um processo, não aconteceu do dia para a noite e pááááá…Sarney entrou e tudo piorou.

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Huummmmmm….
            Dããããããããã….
            E a “Pátria Educadora”?

          • Rodrigo Homer disse:

            Pois é, não deu certo também…o fato é que quem usa do ensino público hoje é a maioria da população de baixa renda, dentre essas pessoas a maioria é negr0. Daí me diz se tem condições de competir em igualdade?

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Na minha época já era assim.
            Mas tinha gente de cor e de classe mais baixa que já era inteligente, esforçado e estudiosos.
            Quando eu entrei no Pedro II, acho que 1973, passei em 3o lugar, o sujeito que passou em primeiro era mulato escuro.

          • Rodrigo Homer disse:

            Claro. Não é a cor da pele que indica capacidade. Mas a questão é oportunidade. Ninguém discute capacidade e sim oportunidades. E elas são desiguais, mesmo que queiram fazer de conta que isso é conto da carochinha.

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            No Brasil, o fundo do poço do ensino público tem um alçapão.
            As famílias pobres geralmente são desestruturadas socialmente.
            Além disso, o estado não presta nenhum serviço público bom.
            E realmente, as famílias pardas são a maioria das famílias pobres.

          • Rodrigo Homer disse:

            Pardos e negr0s, né?

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Muito mais pardos.
            Hoje 70% da população brasileira é de pardos.

          • Rodrigo Homer disse:

            É um pouco difícil separar totalmente o pardo do negr0 no Brasil visto que essa classificação é auto declaratória. O negr0 brasileiro é um fenótipo, é quem é afrodescendente e aí pode-se incluir muitos auto intitulados pardos, pois possuem todo o fenótipo, todas as características físicas, apenas com tom de pele um pouco mais claro.

            Não estou falando de gente morena de cabelo liso, tá? Tô falando de gente com pele de tom mais escuro, cabelo encaracolado ou crespo, nariz menos afilado…dizer que uma pessoa com essas características é parda e não negr@ , apenas por ela não ter aquele tom de pele de negr0 subsaariano é um erro pois existem diversos tons de pele negr@ e o preconceito não vai distingui-la de qualquer forma.

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            O fenótipo negro é bem definido.
            Igual ao fenótipo branco.
            Neymar é negro ou branco? Hamilton é negro ou branco?

          • Rodrigo Homer disse:

            Nem tanto. Muita gente com todas as características de negr0, só tendo um tom de pele um pouco mais claro, pode ser considerada parda em algum levantamento ou mesmo se autodeclarar parda.

            Respondendo, eu te digo: o Neymar é pardo e o Hamilton é negr0. O The Rock é negr0 ou pardo? Ele é um exemplo de fora mas corresponde ao biotipo de muita gente aqui no Brasil. O Vin Diesel é branco, negr0 ou pardo? Ambos possuem cabelo crespo, quando o deixam crescer…

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Pra mim. nenhum deles é branco e nenhum deles é negro.
            No sentido literal de branco e negro.

            São todos pardos de diferentes graduações.
            Mas eu acho feio a gente ficar rotulando as pessoas.
            São pessoas com famílias cujos integrantes são de etnias diversas e fenótipos variados.

          • Rodrigo Homer disse:

            Pois é. Mas esse tipo de classificação existe e é importante sabermos pois é esse o ponto de maior discussão entre as mais variadas vertentes politico ideológicas.

            Quando fala-se que o Brasil é o primeiro ou segundo país fora da África com maior população negr@, tem quem proteste, tem quem concorde…então é complicado. Só sei que não dá pra descartar a pessoa afrodescendente como negr@, unicamente por ter a pele num tom um pouco mais clara. E é isso o que está fazendo o abestalhado do presidente da Zumbi dos Palmares. Entre outras personalidades negr@s ele descartou a filha do Gilberto Gil, a Preta Gil, dizendo que ela não é negr@…isso é colocar fundo ideológico à frente de tudo, me desculpe. É só pra afrontar, porque artistas geralmente são mais ligados à esquerda e daí os ” anticomunistas” querem reinventar a roda…

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            A Preta Gil é loura de cabelos lisinhos.
            E eu sou mais comunista que a maioria dos artistas e cantores;
            Pelo menos eu não estaciono meu carro no Leblon.
            Eu vou de metrô.

          • Rodrigo Homer disse:

            Hahahaha, normal, cara…achar que ser de esquerda significa que não se possa ter bens é um erro bastante comum. Eu também achava isso. Costumam confundir esquerdista com monge franciscano nesse aspecto e não tem nada a ver.

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Não é nada disso.
            É que se eu for de metrô, eu gasto 10 reais e levo 40 minutos para ir e 40 para voltar.
            Se eu for de carro gasto 10 reais só de estacionamento e levo uns 30 minutos só para achar uma vaga, além de hora e meia para ir e hora e meia para voltar.
            E além do mais ninguém gosta mais de exibir bens materiais do que esquerdista.
            Veja a sua ídala Loura Gil.
            Todo dia ela está numa coluna de fofoca do UOL se hospedando em um resort nas Maldivas ou Taiti cuja diária custa no mínimo 26 mil reais.

          • Rodrigo Homer disse:

            Não tenho ídolos, meu caro…nem “ídala”. Nem do Gilberto Gil eu gosto, piorou a filha. Apenas tento ser honesto e justo sobre o que penso e escrevo, ao contrário de muita gente aí que não sai da caixinha e vive nesse eterno dualismo “esquerda vs direita”, gente que viaja na batatinha com um papo sobre “combater o comunismo” que tem no mínimo uns cinquenta anos de atraso.

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Realmente, não se pode combater o que não existe.

          • Rodrigo Homer disse:

            Ok, Jorge. Só que o interessante é que não existe mas só se fala em combater o que não existe, kkkkk. Não te soa um tanto quanto ” quixotesco “? Depois quando eu falo que tá cheio de esquizofrênic0 por aí, o errado sou eu, kkkk

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            O maior líder mundial fiel aos princípios do comunismo é o Kim Jung Un.
            Que tem um passaporte brasileiro só para poder tirar férias na Dysney andando montanha russa e comendo Big Mac.
            Já a maior líder comunista brasileira é a Manuela d’Avila, aquela que vive indo passear em Nova York.
            Isso é sério?
            E Havana, ninguém quer?

          • Rodrigo Homer disse:

            O “líder supremo” norte coreano é um ditador. Ditaduras são ditaduras, pontos fora da curva que não medem esquerda nem direita em sua essência. Se assim fosse, a direita também teria que ser varrida do mapa pois produziu o fascismo e o nazismo. E não seja mais um desses que diz que o nazismo é de esquerda, por favor tá?

            Quanto à Manuela ir pra Nova Iorque, qual o problema? As pessoas tem uma ideia completamente equivocada sobre quem é de esquerda não poder ter grana, não poder ter casa, carro…onde isso é proibido, onde a ideologia prega a pobreza? Até onde eu sei, prega-se uma melhor distribuição de renda, não pobreza.

            Às vezes eu converso com uns e outros nesses fóruns de discussão e tenho a nítida impressão de que estou falando com adolescentes filhinhos de papai, só pode…

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Nazismo e fascismo eram de extrema-direita.
            Extrema quer dizer máxima ou total, entendeu? Princípios radicais.
            O comunismo que existiu era extrema-esquerda.
            A mesma coisa no, outro oposto.
            Portanto qualquer partido que se apresente com essa nomenclatura, é, pelo menos em teoria, adepto da ditadura do proletariado.
            A moça toda tatuada na verdade é uma admiradora da cultura capitalista judaico-cristã ocidental.
            Popular sex, drugs e rock’n roll.

          • Rodrigo Homer disse:

            Então, por isso que eu disse que ditaduras não medem esquerda nem direita. Mas o comunismo não é “ditadura do proletariado” coisa nenhuma. Isso é papo de quem desconhece minimamente a ideia e vive repetindo bordões de quem se diz contrário à esquerda.

            Comunismo seria,em tese, a última instância do socialismo onde quem trabalha é o dono dos meios de produção e não vejo onde isso representa algum tipo de “ditadura”. Representa sim, uma utopia por enquanto e nada mais do que isso. O comunismo em si nunca chegou a ser implantado em lugar nenhum é apenas uma ideia de sociedade ideal, segundo a teoria.

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            Então não reclame comigo, reclame com Karl Marx.
            Não é isso que está escrito no livro dele.
            E reclame com Lênin e Stálin.
            Stálin inclusive voltou à moda no Leblon.

            Stálin estacionou a sua limusine no Leblon.
            A modo desse verão vai ser morar em Gulag e praticar o Holod(amor) livre.

          • Rodrigo Homer disse:

            Se me mostrar onde Karl Marx fala em ditadura meu filho, eu concordo com vc. Ele era contra exatamente esse tipo de situação.

            O problema é que não se leva em consideração o contexto histórico de certas coisas. Num período onde se trabalhava em troca de prato de comida e olhe lá, evidentemente que teremos discursos mais ferozes contra a classe patronal. Não é o caso hoje, embora eu ache que esse é o sonho de muito patrão por aí mas tudo bem…deixa isso pra discutir numa outra ocasião.

            Já no caso de Lenin e Stalin, é o mesmo que Hitler e Mussolini, meu filho. Se for nivelar ideias pelo mau uso delas, não tem nada que se salve. São personagens que usaram uma ideologia como pano de fundo para transformá-las em outra coisa, em aberrações moldadas a seu bel prazer.

            Por aí, nem a religião cristã se salva se formos analisar as atrocidades cometidas em nome da Igreja.

            Por isso que eu repito: ditaduras, regimes autoritários não medem nada, não servem de exemplo para nada em termos de esquerda ou direita.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

Seja Membro do Congresso em Foco

Apoie

Newsletter Farol Político

Perspectivas exclusivas e a melhor análise do poder

assine

Receba notícias também via