Parlamentares pedem à Justiça que determine lockdown em SP

Para evitar que o sistema de saúde fique sobrecarregado e que mais pessoas sejam infectadas pelo novo coronavírus no estado de São Paulo, parlamentares do Partido dos Trabalhadores (PT) encaminharam à Justiça um pedido de medida cautelar para que o lockdown seja determinado na capital e região metropolitana. O pedido foi protocolado nesta sexta-feira (8).

Os políticos solicitam que o bloqueio total tenha validade nas cidades que já atingiram 80% da capacidade hospitalar pública e que, nos últimos 14 dias, registraram um aumento no número de pessoas diagnosticadas com a covid-19.

> Cadastre-se e acesse de graça, por 30 dias, o melhor conteúdo político premium do país

No documento, os parlamentares justificam que as ações tomadas até o momento pelo governo do estado foram insuficientes para que a disseminação do vírus seja desacelerada. "Já passou da hora de o Estado de São Paulo usar todos os instrumentos coercitivos e protetivos – neste caso, especialmente os econômicos para abrigar e prover renda das populações carentes, além de proteger empregos – em resposta à pandemia".

Os petistas também alegam que o número de óbitos decorrentes da doença pode ser maior do que o registrado, por causa da subnotificação. "Nem todos os óbitos suspeitos foram a teste e é cada vez maior o número de pessoas que morrem em casa, sem qualquer assistência".

A insuficiência de leitos disponíveis para atender os que necessitam é outro argumento citado em defesa do lockdown. "Os leitos da rede pública, sob responsabilidade do SUS, encontram-se com oferta de atendimento esgotada em hospitais da Zona Leste da Capital e caminham para o mesmo cenário em questão de dias em todas as regiões; em compensação, os leitos privados apresentavam nesta data disponibilidade média de 50%", diz o trecho do documento que considera dados da Secretaria Municipal de Saúde, entre os dias 11 de março e 30 de abril.

O pedido assinado pelo vereador Antonio Donato, os deputados estaduais Paulo Fiorilo e José Américo e o federal Carlos Zarattini foi encaminhado ao Tribunal de Justiça e Procuradoria Geral de Justiça de São Paulo.

Quarentena

Nesta sexta, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), prolongou mais uma vez a quarentena no estado. Agora, a determinação vale até o dia 31 de maio e apenas serviços considerados como essenciais podem funcionar. A medida foi tomada devido ao acréscimo no número de óbitos e casos por covid-19.

Em coletiva de imprensa realizada nesta semana, o ministro da Saúde, Nelson Teich, disse que o lockdown deve ser adotado em regiões do país que estão em estado crítico. "Se você tiver uma situação onde você tem uma alta incidência da doença, infraestrutura baixa, você vê a doença crescendo, você vai buscar um distanciamento cada vez maior. Esse é o extremo da gravidade da situação", explicou.

De acordo com a atualização feita ontem (7), pelo Ministério foram registrados no estado de São Paulo 39.928 casos e 3.206 óbitos por covid-19.

> Navegue no painel da covid-19

 

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!