Em clima de despedida, Mandetta diz que equipe vai ajudar na transição

A coletiva diária sobre a situação do coronavírus no Brasil realizada nesta quarta (15) teve clima de despedida. O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM), disse que não aceitou a demissão do secretário de Vigilância em Saúde da pasta, Wanderson de Oliveira, um de seus principais auxiliares na força-tarefa de combate à pandemia de covid-19. Em clima de despedida, Mandetta disse: "Entramos no Ministério juntos e sairemos do Ministério juntos".

O ministro afirmou ainda que seus desentendimentos com o presidente Jair Bolsonaro são públicose que, diante disso, já está orientado sua equipe sobre como se comportar durante a transição no comando do ministérios, o que deve acontecer nos próximos dias. Segundo Mandetta, sua recomendação aos secretários é que contribuam com o novo ministro.

> Osmar Terra é o parlamentar que mais publica fake news sobre covid-19, aponta levantamento

Um dos nomes que apareceu na lista de cotados para substituir Mandetta foi João Gabbardo dos Reis , atual secretário-executivo da pasta. Questionado se aceitaria substituir o atual chefe, Gabardo afirmou que não aceitaria a proposta, mas que ficaria no atual cargo tempo suficiente para fazer uma transição.

"Eu sou servidor do Ministérios desde 1981. Eu não vou jogar no lixo esse meu patrimônio. Não vou abandonar o barco, vou ficar no Ministério o tempo necessário para fazer a transição porque sei que a população espera continuidade. não podemos interromper isso. Nem que seja por 2 ou 3 semanas, pode ser significativo". 

Assista na íntegra


Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!