Congresso em Foco

Maranhão: “The Mona Lisa”

Caindo a ficha do cidadão brasileiro

06.06.2017 08:00 6

Reportagem

6 respostas para “Caindo a ficha do cidadão brasileiro”

  1. Vandernailen Medina disse:

    Se este vídeo não lhe causar nenhum impacto e você achar isso normal, OU ENTÃO DIZER QUE NÃO TEM REMÉDIO, NUNCA VAI MUDAR, o que que você quer que aconteça?
    A coisa só vai mudar, se você tomar uma atitude.
    VOCÊ TEM QUE REAGIR, meu amigo, minha amiga.
    A reação é tornar este vídeo um uma praga, um vírus.
    Mandar para cada deputado, senador, deputado estadual, vereador, porque a coisa se repete
    nos níveis estaduais, municipais.
    Veja no seu estado, na sua cidade, se não é exatamente a mesma coisa.
    Portanto, não fique aí parado, REAJA.

  2. Old Cesar 88 disse:

    Muito blá-blá-blá.

    Parei de ler em: “Mas a mídia aberta, de massa ou pelas redes sociais, que quase sempre incita os cidadãos com tantos desaforos e desmandos, sobretudo da classe política, pouco ou nada apresenta como possíveis saídas para a mudança dessa cultura geral de injustiça, iniquidade e impunidade.”

    Só para lembrar, a empresa para a qual ele escreve (revista época – grupo globo) jamais sobreviveria se não fizesse parte desses 5% de corporações dependentes de boquinhas e bocões do estado.

    Qualquer ranking de empresas beneficiadas com publicidade paga pelo estado costuma ser liderado pela globo.

  3. Walldemar Sobrinho disse:

    Parabéns pelo artigo, algo raro de se ler nos dias de hoje. Infelizmente criamos um Estado tão grande e tão parasita que ele é o primeiro entrave para o desenvolvimento do País, na medida em que suga impostos, contribuições e impõe um leque inteiro de dificuldades para quem deseja empreender (burocracia excessiva, altíssima carga tributária, insegurança jurídica, etc). Vamos tomar como exemplo um trabalhador que receba R$ 4 mil: ao empregador, custa quase R$ 8 mil mantê-lo e na prática, ele recebe aproximadamente R$ 3,2 mil. Não bastasse o confisco (pra não chamar de roubo) estatal, ainda há os outros impostos (IPVA, ISS, ICMS, ITBI, ICMD, IPTU, IRPF, etc) para tungar o que sobrou. Rumo aos 20 milhões de desempregados e mais 100 milhões de subempregados de salário mínimo !

  4. sergio filho disse:

    O meu representante para a reconstrução do Brasil é o advogado Antônio José Ribas Paiva;assino embaixo.

  5. O ELEFANTE NA SALA disse:

    Este artigo é impecável e toca nos problemas mais pungentes deste país. Gostaria de deixar um exemplo do acinte de nossa vida pública que nos agride a todo momento – embora os meios de comunicação tradicionais se esforcem por varrer pra baixo do tapete. Como é possível que num país dito democrático e republicano possa existir impunemente e sem solução à vista os descalabros existentes na estrutura salarial do serviço público federal, no qual nichos privilegiados – agora sobejamente conhecidos via internet – preservem remunerações absurdas e clamorosas, a ponto de um servidor de nível médio ganhar mais do que um diplomata e igual a um juiz federal? Se não formos ofendidos por isso, em nome da moralidade cidadã e do respeito ao contribuinte, então nada do que o ilustre Jorge Maranhão nos apontou com tanta ludidez terá algum dia consequências práticas.

    • Vandernailen Medina disse:

      Se este vídeo não lhe causar nenhum impacto e você achar isso normal, OU ENTÃO DIZER QUE NÃO TEM REMÉDIO, NUNCA VAI MUDAR, o que que você quer que aconteça?
      A coisa só vai mudar, se você tomar uma atitude.
      VOCÊ TEM QUE REAGIR, meu amigo, minha amiga.
      A reação é tornar este vídeo um uma praga, um vírus.
      Mandar para cada deputado, senador, deputado estadual, vereador, porque a coisa se repete nos níveis estaduais, municipais.
      Veja no seu estado, na sua cidade, se não é exatamente a mesma coisa.
      REAJA, não fique aí parado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

Seja Membro do Congresso em Foco

Apoie

Newsletter Farol Político

Perspectivas exclusivas e a melhor análise do poder

assine

Receba notícias também via