O amor pela humanidade

Emanuel, Jaci e Oxalá eram três amigos inseparáveis. Eles nasceram com vários dons, saberes e poderes mágicos. O amor pela humanidade era o maior de todos os seus talentos, o que mais gostavam de exercer. Passavam todos os dias brincando com os animais, ajudando as pessoas e espalhando um rastro de alegria em todos os cantos e recantos do planeta. Conheciam todos os lugares, a fauna, a flora e os seres humanos existentes ou que já existiram.

Apresentação das Parábolas de Emanuel, Jaci e Oxalá

– O que acha de irmos amanhã para a Amazônia? – perguntou Jaci aos seus amigos. – Os indiozinhos de lá estão muito tristes após o incêndio da floresta. Eles não entendem a ganância dos homens que derrubam as árvores, queimam a mata e cercam tudo com arame farpado como se fossem donos da Natureza.

Leia mais

A esperança

– Acho uma grande ideia, Jaci! Estou dentro! – assentiu Oxalá. – O seu carinho com os povos de lá é muito comovente.

– E eu não sei? – brincou Emanuel. – Não foram as lágrimas delas que criaram o rio Amazonas?

– Verdade Emanuel! – gargalhou Oxalá. – Jaci é muito romântica e apaixonada pelas matas. Você sabia que ela só sossegou quando eu convenci Oxóssi e Iansã a mandarem as tempestades e os ventos para apagar os incêndios provocados pela ambição dos homens?

– O coração de Jaci é a própria Lua! – sorriu Emanuel.

– E vocês também não são assim? – reagiu Jaci. – Emanuel não seria capaz de morrer para salvar a humanidade? Oxaguian não disse que ia ter uma espada para lutar pela paz?

– Chega de discussão e partamos para a ação. Vamos salvar a Amazônia! Quem sabe, juntos, levamos Sabedoria para todos eles – encerrou Oxalá, que também adorava ser chamado de Oxaguian por seus amigos. – Mas na próxima semana vamos para o sertão nordestino. Os sertanejos também precisam de nós.

– E não esqueçamos dos irmãos e das irmãs das comunidades que sofrem com a insensibilidade, a miséria e a violência – acrescentou Emanuel. – Nossos irmãos e irmãs que morrem diariamente, não raro baleados por armas oficiais que deveriam servir para proteção.

– Espalhar o amor pela humanidade é a única solução – concluiu Jaci. – Mas essa é uma tarefa de todos e todas. Vamos nos juntar e espalhar a paz Brasil afora?

– “Bem aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus” – disse, enigmático, Emanuel.

– E que os Orixás concedam a força necessária para que trilhem os caminhos da igualdade, da liberdade, da solidariedade e da justiça! – complementou Oxalá.

O texto acima expressa a visão de quem o assina, não necessariamente do Congresso em Foco. Se você quer publicar algo sobre o mesmo tema, mas com um diferente ponto de vista, envie sua sugestão de texto para redacao@congressoemfoco.com.br.

> Apresentação das Parábolas de Emanuel, Jaci e Oxalá

Continuar lendo