Os 30 dias que podem mudar a vida de um concurseiro

“Somos o que repetidamente fazemos. A excelência, portanto, não é um efeito, mas um hábito.”
Aristóteles

Vocês já ouviram falar de Matt Cutts? Provavelmente não, assim como eu até assistir a um interessante vídeo na internet, em que ele faz uma palestra sobre um tema incrível: o que você pode fazer em 30 dias para melhorar sua vida! Suas ideias, tenho certeza, podem ajudar muito os concurseiros a conquistar seu tão sonhado cargo público num dos próximos concursos: o segredo é a simplicidade do método, que o torna tão eficiente.

Matt Cutts é um engenheiro do Google e há alguns anos decidiu seguir as ideias de um certo Morgan Spurlock, segundo ele “um filósofo americano”, que na verdade é um cineasta independente e criativo, autor de um documentário sobre os males da comida de fast food à saúde dos americanos, intitulado “Super Size Me: A dieta do palhaço” (2005). Ele próprio foi o astro do filme, durante o qual passou 30 dias comendo apenas na rede McDonalds, engordou 11 quilos e teve vários problemas de saúde por causa disso. Mais tarde, dirigiu um documentário sobre a busca dos americanos a Osama Bin Laden, antes que ele fosse localizado e morto no Afeganistão, por ordem de Barack Obama.

De acordo com Cutts, “a ideia é bem simples: pense em algo que você sempre quis incluir em sua vida e experimente pelos próximos 30 dias. É mais ou menos o tempo para abandonar ou assumir um hábito, como assistir ao noticiário da TV”.

Está aí uma fórmula bem interessante para ajudar a quem estuda para concurso público. Experimente, por exemplo, pelos próximos 30 dias, criar o hábito de estudar algumas horas por dia em casa, para revisar o conteúdo das matérias dadas nas aulas. Estabeleça o seu tempo ideal e cumpra o programa rigorosamente. Isso vai ajudá-lo a vencer a concorrência e garantir sua vaga.

Matt Cutts garante que dá certo. Um dos desafios foi tirar uma foto todos os dias, durante um mês. Ele notou que quando começou a encarar mais e maiores desafios de 30 dias sua autoconfiança cresceu: “Eu passei de nerd plantado na frente do computador para o tipo de cara que vai para o trabalho de bicicleta, por diversão”.

Ele ficou tão empolgado que, no ano passado, aprontou uma façanha espetacular, escalar o Kilimanjaro – a montanha mais alta da África. Mas o que Matt realmente descobriu, depois de tudo isso, é que “se você quer algo, pode fazer qualquer coisa por 30 dias”.  Aí está um recado direto para os concurseiros: vocês podem tornar os próximos 30 dias os mais importantes de suas vidas, se quiserem realmente passar num concurso público.

Um bom exemplo que Cutts dá em sua palestra é o desafio de escrever um romance de 50 mil palavras em 30 dias. “Tudo o que você precisa é escrever 1.667 palavras por dia, durante um mês. Foi o que eu fiz. O segredo é não ir dormir antes de escrever suas palavras do dia. Talvez você fique sem dormir, mas terminará seu romance”, ensina o “engenheiro dos 30 dias”. Para um concurseiro, também vale o conselho: não vá dormir sem ler pelo menos suas 1.667 palavras do dia. Ou mais, se puder. E seja feliz!

As lições de Matt Cutts me fizeram lembrar de outro sujeito que criou uma técnica de estudo conhecida como “Sugestopedia”. O nome pode ser horrível, mas o método é comprovadamente eficiente e sugiro aos concurseiros que também tratem de conhecê-lo. Seu criador é o psiquiatra e educador búlgaro Georgi Lozanov, que desenvolveu uma teoria da aprendizagem cuja ideia central é que as informações percebidas pelos sentidos, quando a mente se encontra em estado de vigília relaxada (ondas cerebrais alfa) são registradas na memória profunda de longo prazo.

Lozanov constatou também que algumas músicas têm a propriedade de facilitar a memorização de informações a longo prazo. É como se o cérebro “abrisse seus filtros” mais facilmente para a música do que para qualquer outro tipo de informação. Segundo ele, a música barroca é a mais indicada para isso, com suas 60/70 batidas por minuto.

A contribuição de Lozanov para a educação mundial foi reconhecida pela Unesco e sua teoria de aprendizado e ensino é hoje uma das principais fontes de estudos sobre o tema. Em resumo, ele ensina que qualquer pessoa pode aprender mais e melhor se estiver "condicionada para aprender". E este condicionamento é obtido a partir das técnicas de relaxamento, que abrem os "poros do subconsciente" para a memorização perfeita. Um aluno conduzido a este estado mental aprende mais e melhor num espaço de tempo bem menor. Esse é o estado de vigília relaxada, obtido quando o cérebro passa a operar na faixa de 8 a 12 ciclos por segundo e entra em "alfa".

Dê uma lida nas teorias de Lozanov e de Maxwell Maltz, um médico e psicólogo que desenvolveu a Psicocibernética, um sistema usado para melhorar a autoimagem e autoconfiança das pessoas. A essência dessas teorias eu já comentei em outros artigos que se encontram disponíveis em nosso portal. Assim como Matt Cutts, eles podem ser muito importantes para os concurseiros, com seus métodos inovadores para tornar as pessoas mais eficientes, inteligentes, estudiosas e bem sucedidas em suas vidas. Exatamente o que você, que se prepara para concurso público, está precisando para alcançar mais rapidamente o seu feliz cargo novo.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!