Senado aprova moção de apelo à comunidade internacional por vacina

O Plenário do Senado Federal aprovou nesta terça-feira (23) uma moção de apelo à comunidade internacional por ajuda para acelerar a vacinação contra covid-19 no país. O requerimento, de autoria da senadora Kátia Abreu (PP-TO), foi apoiado por outros 65 parlamentares.

A moção fala dos riscos que uma imunização ineficaz e demorada no Brasil pode trazer ao mundo.

"Nosso ritmo de imunização é insuficiente para conter a propagação da doença. Até o momento, cerca de 5% dos 210 milhões de brasileiros foram vacinados. Dependemos de vacinas e insumos farmacêuticos ativos (IFA) importados, que chegam em ritmo lento, se comparado ao desafio posto pela segunda e devastadora onda da pandemia no Brasil", justifica o texto.

"Deixar que o povo brasileiro continue a morrer sem vacinas significa uma agressão a todas as tradições humanas. É o oposto de tudo o que a civilização representa. Destrói os princípios de convivência humana. Impõe o medo e compromete a tranquilidade e segurança de todos os países", lê-se em outro trecho da moção. "Em todos os momentos dramáticos da história do mundo o Brasil deu sua contribuição. Agora, precisamos contar com a comunidade internacional, em especial dos países produtores de vacinas, bem como dos detentores de estoques estratégicos da mesma."

Katia Abreu, que é presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) do Senado, disse que o país necessita "imediatamente" de 100 milhões de doses, o que poderia garantir a imunização, em duas doses, de menos de 25% da população total do Brasil.

O texto a ser redigido pelo Senado será encaminhado à órgãos internacionais, como a Organização das Unidas (ONU), Organização Mundial da Saúde (OMS) e Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Estados Unidos, China e Reino Unido, que produzem a vacina contra a covid-19, também irão receber uma cópia do documento.

O Senado já perdeu três parlamentares para a doença – o Major Olímpio, do PSL paulista, foi o último, na semana passada.


> Congresso em Foco é o segundo veículo digital mais lido pelos parlamentares
> Governo diz que sempre apoiou vacinação. Declarações mostram o contrário

Continuar lendo